Países MixPlanet

Capas para Facebook


Países

Afeganistão
África do Sul
Albânia
Alemanha
Andorra
Angola
Antigua e Barbuda
Arábia Saudita
Argélia
Argentina
Armênia
Austrália
Áustria
Azerbaijão
Bahamas
Bangladesh
Barbados
Bélgica
Belize
Benin
Bielorrússia
Bolívia
Bósnia e Herzegovina
Botsuana
Brasil
Brunei
Bulgária
Burkina Fasso
Burundi
Butão
Cabo Verde
Camarões
Camboja
Canadá
Catar
Cazaquistão
Chade
Chile
China
Chipre
Cingapura
Colômbia
Comores
Congo
Coréia do Norte
Coréia do Sul
Costa do Marfim
Costa Rica
Croácia
Cuba
Dinamarca
Djibuti
Dominica
Egito
El Salvador
Emirados Árabes Unidos
Equador
Eritréia
Escócia
Eslováquia
Eslovênia
Espanha
Estados Unidos da América
Estônia
Etiópia
Federação Russa
Fiji
Filipinas
Finlândia
França
Gabão
Gâmbia
Gana
Geórgia
Granada
Grécia
Guatemala
Guiana
Guiana Francesa
Guiné
Guiné Equatorial
Guiné-Bissau
Haiti
Holanda
Honduras
Hungria
Iêmen
Ilhas Marshall
Ilhas Salomão
Índia
Indonésia
Irã
Iraque
Irlanda
Irlanda do Norte
Islândia
Israel
Itália
Jamaica
Japão
Jordânia
Kiribati
Kuweit
Laos
Lesoto
Letônia
Líbano
Libéria
Líbia
Liechtenstein
Lituânia
Luxemburgo
Macedônia
Madagáscar
Malásia
Malauí
Maldivas
Mali
Malta
Marrocos
Maurício
Mauritânia
México
Mianmar
Micronésia
Moçambique
Moldávia
Mônaco
Mongólia
Namíbia
Nauru
Nepal
Nicarágua
Níger
Nigéria
Noruega
Nova Zelândia
Omã
Palau
Panamá
Papua Nova Guiné
Paquistão
Paraguai
Peru
Polônia
Portugal
Quênia
Quirguistão
Reino Unido
República Centro-Africana
República Dominicana
República Tcheca
Romênia
Ruanda
Samoa
San Marino
Santa Lúcia
São Cristovão e Névis
São Tomé e Príncipe
São Vicente e Granadinas
Seicheles
Senegal
Serra Leoa
Sérvia e Montenegro
Síria
Somália
Sri Lanka
Suazilândia
Sudão
Suécia
Suíça
Suriname
Tadjiquistão
Tailândia
Taiwan (Formosa)
Tanzânia
Togo
Tonga
Trinidad e Tobago
Tunísia
Turcomenistão
Turquia
Tuvalú
Ucrânia
Uganda
Uruguai
Uzbequistão
Vanuatu
Vaticano
Venezuela
Vietnã
ZAIRE (República Democrática do Congo)
Zâmbia
Zimbábue


Dúvidas >?<
Fale Conosco

Parceiros
Webix
Recados
Frases
Receitas
Novelas
Recados para Facebook
Butão

Scraps para Orkut

Butão



DADOS PRINCIPAIS:
Nome oficial: Reino do Butão (Druk-Yul).
Nacionalidade: butanesa.
Data nacional: 17 de dezembro (Proclamação do Reino).
Capital: Timfu.
Cidade principal: Timfu (30.300) (1993).
Idioma: zoncá (oficial).
Religião: budismo 69,6%, hinduísmo 24,6%, islamismo 5%, outras 0,8% (1980).

GEOGRAFIA:
Localização: centro-sul da Ásia.
Hora local: +8h30.
Área: 47.000 km2.
Clima: de montanha.
Área de floresta: 28 mil km2 (1995).

POPULAÇÃO:
Total: 2,1 milhões (2000), sendo butaneses 60%, nepaleses 25%, charchopes 15% (1996).
Densidade: 44,68 hab./km2.
População urbana: 7% (1998).
População rural: 93% (1998).
Crescimento demográfico: 2,8% ao ano (1995-2000).
Fecundidade: 5,5 filhos por mulher (1995-2000).
Expectativa de vida M/F: 59,5/62 anos (1995-2000).
Mortalidade infantil: 63 por mil nascimentos (1995-2000).
Analfabetismo: 52,7% (2000).
IDH (0-1): 0,483 (1998).

POLÍTICA:
Forma de governo: Monarquia.
Divisão administrativa: 18 distritos.
Partidos políticos: não há.
Legislativo: unicameral - Assembléia Nacional, com 150 membros (105 eleitos por voto direto, 10 representantes religiosos, 35 oficiais, ministros e membros do Conselho Real Consultivo), com mandato de 3 anos.
Constituição em vigor: não há.

ECONOMIA:
Moeda: ngultrum.
PIB: US$ 398 milhões (1998).
PIB agropecuária: 38% (1998).
PIB indústria: 36% (1998).
PIB serviços: 26% (1998).
Crescimento do PIB: 7% ao ano (1998).
Renda per capita: US$ 470 (1998).
Força de trabalho: 360 mil (1998).
Agricultura: laranja, maçã, noz-moscada e cardamomo.
Pecuária: bovinos, suínos, ovinos, aves.
Pesca: 330 t (1997).
Mineração: carvão, gipsita, calcário, dolomita, ardósia.
Indústria: materiais de construção (cimento).
Exportações: US$ 108 milhões (1997).
Importações: US$ 164 milhões (1997).
Principal parceiro comercial: Índia.

O Butão , "Terra do Dragão" é um pequeno e fechado reino nos Himalaias, encravado entre a China, a norte, e a Índia, a leste, sul e oeste. A sua capital é Thimphu.

A tradição situa o início da sua história no século VII, quando o rei tibetano Songtsen Gampo construíu os primeiros templos budistas nos vales de Paro e de Bumthang. No século VIII, é introduzido o budismo tântrico pelo Guru Rimpoché, "O Mestre Precioso", considerado o segundo Buda na hierarquia tibetana e butanesa.
Os séculos IX e X são de grande turbulência política no Tibete e muitos aristocratas vieram instalar-se nos vales do Butão onde estabeleceram o seu poder feudal.
Nos séculos seguintes, a actividade religiosa começa a adquirir grande vulto e são fundadas várias seitas religiosas, dotadas de poder temporal por serem protegidas por facções da aristocracia. No Butão estabeleceram-se dois ramos, embora antagônicos, da seita Kagyupa. A sua coexistência será interrompida pelo príncipe tibetano Ngawang Namgyel que, fugido do Tibete, no século XVII unifica o Butão com o apoio da seita Drukpa, tornando-se no primeiro Shabdrung do Butão, "aquele a cujos pés todos se prostram". Ele mandaria construir as mais importantes fortalezas do país que tinham como função suster as múltiplas invasões mongóis e tibetanas. O relato da época foi feito por Estêvão Cacella, o primeiro europeu a entrar no Butão. Este missionário jesuíta português, que viajou através dos Himalaias em 1626, encontrou-se com o Shabdrung Ngawang Namgyel e no fim de uma estadia de quase oito meses escreveu uma longa carta do Mosteiro Chagri relatando as suas viagens. Este é o único relato deste Shabdrung que resta. A partir do seu reinado estabeleceu-se um sistema político e religioso que vigoraria até 1907, em que o poder é administrado por duas entidades, uma temporal e outra religiosa, sob a supervisão do Shabdrung.
Desde sempre que o Butão só mantinha relações com os seus vizinhos na esfera cultural do Tibete (Tibete, Ladakh e Sikkim) e com o reino de Cooch Behar na sua fronteira sul. Com a presença dos ingleses na Índia, no século XIX, e após alguns conflitos relacionados com direitos de comércio, dá-se a guerra de Duar em que o Butão perdeu uma faixa de terra fértil ao longo da sua fronteira sul. Ao mesmo tempo, o sistema político vigente enfraquecia por a influência dos governadores regionais se tornar cada vez mais poderosa. O país corria o risco de se dividir novamente em feudos.
Um desses governadores, o "Penlop" de Tongsa, Ugyen Wangchuck, que já controlava o Butão central e oriental, conseguiria dominar os seus opositores de Thimbu e, assim, implantar a sua influência sobre todo o país. Em 1907 seria coroado rei do Butão, após consultas ao clero, à aristocracia e ao povo, e com a aliança dos ingleses. Foi assim criada a monarquia hereditária que hoje vigora.
Política
O Butão é uma monarquia constitucional. O chefe religioso do Reino, o Je Khenpo, goza de uma importância quase idêntica à do rei.
Depois de um histórico discurso do rei Jigme Singye Wangchuck, no dia nacional, em Dezembro de 2006, abdicando a favor do seu filho e anunciando a realização de eleições democráticas, os butaneses foram às urnas a 24 de Março de 2008, terminando assim mais de um século de monarquia absoluta .
Subdivisões
O Butão, para finalidades administrativas, está dividido em quatro dzongdey (zonas administrativas). As zonas administrativas estão divididas em dzongkhang (distritos). Os distritos (20 no total) estão divididos em dungkhang (subdistritos). No nível básico os grupos de vilas formam um círculo eleitoral chamado gewog e são administrados pelo gup que é eleito pelo povo. Os distritos do Butão são os seguintes:
Símbolos nacionais
A bandeira nacional está dividida diagonalmente desde a esquina inferior esquerda até à esquina superior direita, formando assim dois triângulos. O superior amarelo e o inferior cor-de-laranja. Ao centro está um dragão branco olhando para o exterior da bandeira. O dragão apresentado na bandeira, Druk o dragão do trono, representa o nome do Butão em tibetaniano, que é "A Terra do Dragão" (Druk Yul). O dragão possuí jóias nas suas garras que representam a abundância. O amarelo por sua vez representa a monarquia secular e o laranja a religião budista.
O brasão de armas mantém vários elementos da bandeira do Butão, ligeiramente diferentes dos originais, e contém muito simbolismo budista. A designação oficial é: "O emblema nacional, contido num círculo, é composto por um duplo diamante-raio (dorji) colocado acima de um loto, encimado por uma jóia e emoldurado por dois dragões. O raio representa a harmonia entre o poder secular e o poder religioso. O lótus simboliza pureza, a jóia manifesta o poder soberano, e os dois dragões, macho e fêmea, defendem o nome do país que proclama com a sua grande voz, o trovão".
Druk tsendhen ("Reino do Dragão do Trovão") é o hino nacional do Butão. Com música de Aku Tongmi e letra de Gyaldun Dasho Thinley Dorji, foi adoptado em 1953.
Geografia

O Butão é uma nação muito montanhosa, de interior, situada na Ásia. Os picos do norte atingem mais de 7.000 m de altitude, e o ponto mais elevado é o Gangkhar Puensum, com 7.570 m, que nunca foi escalado. A parte sul do país tem menor altitude e contém vários vales férteis densamente florestados, que escoam para o rio Bramaputra, na Índia.
A maioria da população vive nas terras altas centrais. A maior cidade do país, a capital Thimphu (população de 50.000 habitantes), situa-se na parte ocidental destas terras altas. O clima varia de tropical no sul a um clima de invernos frescos e verões quentes nos vales centrais, com invernos severos e verões frescos nos Himalaias.
Economia
O Butão tem sua economia essencialmente baseada na agricultura, extração florestal e na venda de energia hidroelétrica para a Índia. A agricultura, essencialmente de subsistência, e a criação animal, são os meios de vida para 90% da população. É uma das menores e menos desenvolvidas economias do mundo.
Em 2004, o Butão foi o primeiro país do mundo a banir o fumo e a venda de tabaco.
Demografia
A cultura do Butão já foi definida como sendo, simultaneamente, patriarcal e matriarcal e o membro que detém a maior estima é considerado o chefe da família. O Butão também já foi descrito como tendo um regime feudal caracterizado pela ausência de uma forte estratificação social.
Nos tempos pré-modernos existiram três grandes classes:
• A comunidade monástica, a liderança da qual veio da nobreza;
• Os empregados civis leigos, que dirigiam o aparato governamental e
• Os agricultores, a maior classe, que vivia em aldeias auto-suficientes.
Cultura

A cultura do Butão já foi definida como sendo, simultaneamente, patriarcal e matriarcal e o membro que detém a maior estima é considerado o chefe da família. O Butão também já foi descrito como tendo um regime feudal e caracterizado pela ausência de uma forte estratificação social.
Nos tempos pré-modernos existiram três grandes classes:
• A comunidade monástica, a liderança da qual veio a nobreza;
• Os empregados civis leigos, que dirigiam o aparato governamental;
• E os agricultores, a maior classe, que vivia em aldeias auto-suficientes.



DEFESA:
Efetivo total: 6 mil (1998).
Gastos: US$ 18 milhões (1998).

RELAÇÕES EXTERIORES:
Organizações: Banco Mundial, FMI, ONU.
Embaixada: Tel. (212) 826-1919, fax (212) 826-2998, e-mail: pmbnewyork@aol.com
Missão Permanente de Butão junto às Nações Unidas, Nova Iorque, EUA. Não há embaixada no Brasil.


Referência para busca:
Butão ásia zoncá hinduismo islamismo
Fotos de Butão.

Indicar ao amigo(a) Página anterior

Curta nossa página
 
Publicidade





Recados - Frases - Receitas - Resumo de Novelas - Webix - Recados para Facebook - Dicionário Português - Capas para Facebook

Política de Privacidade
©2007 - 2016 .: Mix Planet :.