Países MixPlanet

Capas para Facebook


Países

Afeganistão
África do Sul
Albânia
Alemanha
Andorra
Angola
Antigua e Barbuda
Arábia Saudita
Argélia
Argentina
Armênia
Austrália
Áustria
Azerbaijão
Bahamas
Bangladesh
Barbados
Bélgica
Belize
Benin
Bielorrússia
Bolívia
Bósnia e Herzegovina
Botsuana
Brasil
Brunei
Bulgária
Burkina Fasso
Burundi
Butão
Cabo Verde
Camarões
Camboja
Canadá
Catar
Cazaquistão
Chade
Chile
China
Chipre
Cingapura
Colômbia
Comores
Congo
Coréia do Norte
Coréia do Sul
Costa do Marfim
Costa Rica
Croácia
Cuba
Dinamarca
Djibuti
Dominica
Egito
El Salvador
Emirados Árabes Unidos
Equador
Eritréia
Escócia
Eslováquia
Eslovênia
Espanha
Estados Unidos da América
Estônia
Etiópia
Federação Russa
Fiji
Filipinas
Finlândia
França
Gabão
Gâmbia
Gana
Geórgia
Granada
Grécia
Guatemala
Guiana
Guiana Francesa
Guiné
Guiné Equatorial
Guiné-Bissau
Haiti
Holanda
Honduras
Hungria
Iêmen
Ilhas Marshall
Ilhas Salomão
Índia
Indonésia
Irã
Iraque
Irlanda
Irlanda do Norte
Islândia
Israel
Itália
Jamaica
Japão
Jordânia
Kiribati
Kuweit
Laos
Lesoto
Letônia
Líbano
Libéria
Líbia
Liechtenstein
Lituânia
Luxemburgo
Macedônia
Madagáscar
Malásia
Malauí
Maldivas
Mali
Malta
Marrocos
Maurício
Mauritânia
México
Mianmar
Micronésia
Moçambique
Moldávia
Mônaco
Mongólia
Namíbia
Nauru
Nepal
Nicarágua
Níger
Nigéria
Noruega
Nova Zelândia
Omã
Palau
Panamá
Papua Nova Guiné
Paquistão
Paraguai
Peru
Polônia
Portugal
Quênia
Quirguistão
Reino Unido
República Centro-Africana
República Dominicana
República Tcheca
Romênia
Ruanda
Samoa
San Marino
Santa Lúcia
São Cristovão e Névis
São Tomé e Príncipe
São Vicente e Granadinas
Seicheles
Senegal
Serra Leoa
Sérvia e Montenegro
Síria
Somália
Sri Lanka
Suazilândia
Sudão
Suécia
Suíça
Suriname
Tadjiquistão
Tailândia
Taiwan (Formosa)
Tanzânia
Togo
Tonga
Trinidad e Tobago
Tunísia
Turcomenistão
Turquia
Tuvalú
Ucrânia
Uganda
Uruguai
Uzbequistão
Vanuatu
Vaticano
Venezuela
Vietnã
ZAIRE (República Democrática do Congo)
Zâmbia
Zimbábue


Dúvidas >?<
Fale Conosco

Parceiros
Webix
Recados
Frases
Receitas
Novelas
Recados para Facebook
Austrália

Scraps para Orkut

Austrália



DADOS PRINCIPAIS:
Nome oficial: Comunidade da Austrália (Commonwealth of Australia).
Nacionalidade: australiana.
Data nacional: 26 de janeiro (Dia da Austrália, chegada da primeira frota inglesa, em 1788).
Capital: Canberra.
Cidades principais: Sydney (3.934.700), Melbourne (3.321.700), Brisbane (1.548.300), Perth (1.319.000), Adelaide (1.083.100), Newcastle (468.900), Canberra (309.500) (1997).
Idioma: inglês (oficial).
Religião: cristianismo 74% (católicos 27,3%, anglicanos 23,8%, Igreja Unitária e Metodista 8,2%, presbiterianos 4,3%, outros protestantes 7,6%, ortodoxos 2,8%), islamismo 0,9%, budismo 0,8%, judaísmo 0,4%, hinduísmo 0,3%, sem filiação 12,9%, outras 10,7% (1991).

GEOGRAFIA:
Localização: sudoeste da Oceania.
Hora local: +13h.
Área: 7.682.300 km2.
Clima: árido tropical (maior parte), subtropical (SE), tropical (N e NO), mediterrâneo (S).
Área de floresta: 409 mil km2 (1995).

POPULAÇÃO:
Total: 18,9 milhões* (2000), sendo europeus meridionais e setentrionais 95%, asiáticos 3,5%, grupos étnicos autóctones 1,5% (1996).
Densidade: 2,46 hab./km2.
População urbana: 85% (1998).
População rural: 15% (1998).
Crescimento demográfico: 1% ao ano* (1995-2000).
Fecundidade: 1,79 filho por mulher* (1995-2000).
Expectativa de vida M/F: 75,5/81 anos* (1995-2000).
Mortalidade infantil: 6 por mil nascimentos (1995-2000).
Analfabetismo: menor do que 5% (2000).
IDH (0-1): 0,929 (1998).

POLÍTICA:
Forma de governo: Monarquia parlamentarista.
Divisão administrativa: 6 estados e 3 territórios.
Principais partidos: Liberal da Austrália (LPA), Trabalhista Australiano (ALP), Nacional da Austrália (NAP), dos Democratas Australianos (AD).
Legislativo: bicameral - Senado, com 76 membros eleitos por voto direto para mandato de 3 a 6 anos; Casa dos Representantes, com 148 membros eleitos por voto direto para mandato de 3 anos.
Constituição em vigor: 1901.
Territórios administrados: Ilhas Cocos, Christmas e Norfolk.

ECONOMIA:
Moeda: dólar australiano.
PIB: US$ 361,7 bilhões (1998).
PIB agropecuária: 3% (1998).
PIB indústria: 26% (1998).
PIB serviços: 71% (1998).
Crescimento do PIB: 3,8% ao ano (1990-1998).
Renda per capita: US$ 20.640 (1998).
Força de trabalho: 10 milhões (1998).
Agricultura: trigo, cana-de-açúcar, algodão em pluma, uva, outras frutas.
Pecuária: bovinos, suínos, ovinos, aves.
Pesca: 214,2 mil t (1997).
Mineração: carvão, minério de ferro, chumbo, cobre, ouro, prata, petróleo, gás natural, bauxita.
Indústria: alimentícia, bebidas, tabaco, máquinas e equipamentos, metalúrgica, extração de petróleo, carvão, química, gráfica e editorial, madeireira, papel.
Exportações: US$ 55,9 bilhões (1998).
Importações: US$ 64,7 bilhões (1998).
Principais parceiros comerciais: Japão, EUA, Coréia do Sul, Nova Zelândia, Reino Unido, Cingapura, Taiwan (Formosa), China, Alemanha.

DEFESA:
Efetivo total: 57,4 mil (1998).
Gastos: US$ 7,4 bilhões (1998).

RELAÇÕES EXTERIORES:
Organizações: Apec, Banco Mundial, Comunidade Britânica, FMI, OCDE, OMC, ONU.
Embaixada: SES, Avenida das Nações, Quadra 801 Conjunto K Lote 07, CEP 70200-010 - Brasília (DF)
Tel (61) 3223.7772 / 3226.3111 e fax (61) 3224.5777 / 3226.3112, site: http://www.brazil.embassy.gov.au/ e-mail: embaustr@dfat.gov.au.

Conhecendo um pouco mais.........

A Austrália oficialmente Comunidade da Austrália é um país do hemisfério sul, localizado na Oceania, que compreende a menor área continental do mundo ("continente australiano"), a ilha da Tasmânia e várias ilhas adjacentes nos oceanos Índico e Pacífico. O continente-ilha, como a Austrália por vezes é chamada, é banhado pelo oceano Índico, a sul e a oeste, pelo mar de Timor, mar de Arafura e Estreito de Torres, a norte, e mar de Coral e mar da Tasmânia, a leste. Através destes mares, tem fronteira marítima com a Indonésia, Timor-Leste e Papua-Nova Guiné, a norte, e com o território francês da Nova Caledónia, a leste, e a Nova Zelândia a sudeste.
Durante cerca de 40.000 anos antes da colonização europeia iniciada no final do século XVIII, o continente australiano e Tasmânia eram habitadas por cerca de 250 nações individuais de aborígenes. Após esporádicas visitas de pescadores do norte, e pela descoberta europeia por parte de exploradores holandeses em 1606, a metade oriental da Austrália foi alegada pelos britânicos em 1770 e inicialmente colonizada através do transporte de presos para a colônia de Nova Gales do Sul, fundada em 26 de Janeiro de 1788. A população aumentou de forma constante nos anos seguintes, o continente foi explorado e, durante o século XIX outros cinco grandes territórios autogovernativos foram estabelecidos.
Em 1 de Janeiro de 1901, as seis colônias se tornaram uma federação, e da Comunidade da Austrália foi formada. Desde a Federação, a Austrália tem mantido um sistema político democrático liberal estável e continua a ser um reino da Commonwealth. A população é um pouco mais de 21,7 milhões, com cerca de 60% concentradas em torno das capitais continentais estaduais de Sydney, Melbourne, Brisbane, Perth, Adelaide, e Darwin. A capital da nação é Camberra, localizada no Território da Capital da Austrália.
Tecnologicamente avançado e industrializado, a Austrália é um próspero país multicultural e tem excelentes resultados em muitas comparações internacionais dos desempenhos nacionais, tais como os cuidados de saúde, esperança de vida, qualidade de vida, desenvolvimento humano, a educação pública, a liberdade econômica, bem como a protecção de liberdades civis e direitos políticos. As cidades australianas também rotineiramente situam-se entre as mais altas do mundo em termos de habitabilidade, oferta cultural, a qualidade de vida. É um membro da ONU, G-20, Comunidade das Nações, ANZUS, da OCDE, bem como a OMC.

Etimologia
O nome Austrália vem da palavra em latim australis, que significa "do sul", e sua origem data de lendas do século II de "terra desconhecida do sul" (terra australis incognita). O explorador Matthew Flinders deu o nome para o lugar de Terra Australis, que mais tarde foi abreviado para a forma actual. Anteriormente, quando os holandeses exploraram a área chamaram-na de Nova Hollandicus ou Nova Holanda.
Flinders mais tarde renomeou a terra para Australia, em 1804, enquanto estava preso pelos franceses em Maurícia. Quando retornou à Inglaterra e publicou seus trabalhos, em 1814, foi forçado a trocar o nome para Terra Australis pelo almirantado britânico. Tomando conhecimento da preferência de Flinders por Austrália, o governador Lachlan Macquarie, de New South Wales, começou a usar o nome em seus despachos para a Inglaterra. Em 1824 o almirantado britânico finalmente aceitou que o continente deveria ser conhecido oficialmente como Austrália.
História

A Austrália faz parte do continente mais novo do mundo - a Oceania.
Apesar de ser habitada por aborígines há mais de 40 mil anos, somente há dois séculos iniciou-se sua colonização por europeus. Geograficamente para o mundo, a Austrália era um continente invisível, uma vasta terra que estranhamente foi desconsiderada pelos cartógrafos sem nada que justificasse a sua ausência nos mapas-múndi.
Segundo algumas versões, portugueses e holandeses, bem como outros povos, passavam ao largo da costa e, no entanto, nunca acharam convidativa uma possível colonização.

Dois séculos depois o capitão inglês James Cook foi enviado para fazer uma expedição científica neste desconhecido lugar. Conta a história que a 28 de Abril de 1770, após circunavegar o continente, ele finalmente desembarcou na costa leste australiana. Continuou viagem para norte, e, a 22 de Agosto, proclamou a posse do território, a que se deu o nome de New South Wales, (Nova Gales do Sul). Iniciava-se assim a colonização inglesa da Austrália, no começo feita apenas com o objectivo de "esvaziar" as cadeias britânicas. Os condenados, após cumprirem a sua pena em solo australiano, recebiam uma pequena parcela de terra, desde que não houvesse habitantes nativos nelas. Aos poucos foi-se ampliando o domínio dos ex-saqueadores ingleses naquele vasto e desprotegido continente, até, por volta de 1950, o censo mundial estimar a população australiana em menos de 5 milhões de habitantes.
O país é uma nação multicultural que recebeu e recebe imigrantes desde o início do processo de colonização européia de forma efetiva e duradoura, no século XVIII, pelo Reino Unido. Por isso, a maioria étnica da populaçao é de origem britânica, porém é significativa a presença de outras minorias étnicas, como gregos, asiáticos e os marginalizados nativos (restam 2% do total da população), dizimados pela implantação da "moderna" sociedade branca européia. A Austrália tornou-se independente do Império Britânico em 1942, mas faz parte do Commonwealth (Comunidade Britânica das Nações).
Geografia
De longe, a maior parte da Austrália é composta de desertos ou zonas semi-áridas — 40% da massa terrestre está coberta por dunas de areia. Só os cantos sudeste e sudoeste têm clima temperado e um solo moderadamente fértil. A parte norte do país tem um clima tropical: parte é floresta tropical, parte são pastagens e parte é deserto como, por exemplo, o Deserto do Outback.


Zonas climáticas da Austrália de acordo com a classificação climática de Köppen-Geiger.
Enquanto a maior parte do país se caracteriza pelo clima subtropical seco, as regiões situadas, de uma maneira geral, ao norte do Trópico de Capricórnio possuem clima tropical com a estação chuvosa nos meses de verão. A costa oriental, por sua vez, recebe chuvas de monção. Grande parte da costa sul confronta com a Grande Baía Australiana, de mais de 1200 km de amplitude.
A Grande Barreira de Coral, maior recife de coral do mundo, situa-se a pouca distância da costa nordeste e estende-se por mais de 1200 quilómetros. O Uluru (conhecido como Ayers Rock até 1986) é o maior monolito do mundo e situa-se na Austrália central. A vegetação em geral é de savanas e temperadas (eucaliptos), e sua fauna é uma consequência direta de seu milenar isolamento geográfico.
Formada por um imenso bloco conquistado à costa, a Austrália é um pouco variada em termos de relevo e de paisagem. Dois terços do país são ocupados pelo Escudo Australiano, uma vasta planície desértica cuja monotonia só é quebrada por montanhas pouco elevadas e alguns cumes arredondados, isolados no meio das planícies. A leste deste Escudo, a Grande Bacia Artesiana estende-se entre o golfo de Carpentária e o lago Eyre, que neste último encontra-se abaixo do nível do mar em quinze metros (-15 m). É nesta grande depressão que se encontram as reservas subterrâneas de água e a única bacia fluvial com alguma importância: o Murray-Darling.

Ocupando toda a parte oriental, da península do Cabo York à Tasmânia, surge uma sucessão de modestas montanhas e planaltos, que constitui a Cordilheira Australiana. Esta prolonga-se para sueste através dos Alpes australianos, nos quais se encontram os cumes mais altos do país, como por exemplo o Monte Kosciuszko, que tem 2.228 metros de altura, o ponto mais alto do continente-ilha, tendo em vista que o ponto culminante em geral encontra-se no Pico Mawson (2745 m), no território ultramarino de Ilha Heard e Ilhas McDonald (centro da Ilha Heard), situado no centro sul do Oceano Índico.

Fauna e flora
A Austrália tem grande diversidade de fauna e flora, já que boa parte do país é desértica ou semi-árida, mas também existem diversas regiões onde o clima é mais ameno. Existe um órgão federal com o fim de proteger a fauna e a flora australianas. Uma importante particularidade da fauna australiana é a ocorrência de diversas espécies marsupiais.
O isolamento da Austrália tem favorecido a evolução de uma fauna que não se parece com nenhuma outra do planeta. A mesma caracteriza-se, sobretudo, pela presença de marsupiais (animais com uma bolsa para as crias) entre os quais destacam os cangurus, wallabees ou coalas (alimentam-se exclusivamente de folhas de eucaliptos), wombats ou topos marsupiais. Os mamíferos marsupiais desapareceram no resto dos continentes ao sucumbir à supremacia dos mamíferos placentários (os marsupiais finalizam a gravidez no exterior, em uma bolsa onde a mãe tem um mamilo interno para alimentar o filhote). Destacam espécies como o ornitorrinco, próprias e exclusiva do país, a equidna e o tamanduá espinhoso. Quanto à fauna marítima encontram-se baleias, golfinhos, pinguins, lobos-marinhos, focas de diversas espécies e tipos aquáticos. Quanto aos carnívoros, o país conta com uma só espécie, o dingo, ou cão selvagem. Crocodilos só existem nas zonas tropicais. O diabo espinhoso oferece um aspecto feroz, mas na realidade trata-se de um animal de menos de 20 centímetros de comprimento e é totalmente inofensivo. No sul da Tasmânia pode-se admirar um estranho animal chamado Diabo da Tasmânia, um carnívoro marsupial parecido com a raposa. Quanto à ornito-fauna, é rica e variada com mais de 650 espécies, destacam os pássaros lira ou pássaros do paraíso, papagaios, casuarws, cisnes pretos, louros e emus.
Nem todos os animais são nativos da Austrália. Os camelos foram trazidos do Afeganistão para trabalhar no deserto; porcos, cavalos e coelhos foram enviados também ao continente, e assim, um grande número de outros animais chegaram á Austrália. Isto significou uma problemática alteração do meio ambiente, prejudicando o homem e os animais naturais que já lá estavam; muitas espécies desapareceram, embora agora se estejam a realizar trabalhos de proteção para moderar os destroços.
A flora da Austrália caracteriza-se pelo reduzido número de formas e pela alta percentagem de espécies endémicas e espécies típicas exclusivas de cada área. Na zona da Cordilheira Australiana encontram-se bosques de eucaliptos, acácias, cedros e pinheiros, enquanto nas terras baixas predominam a savana, as pradarias e a vegetação própria da estepe. Nas regiões mais áridas e nos desertos prevalece uma flora espinhosa conhecida como "scrub". Porém, na região do oeste existem mais de 6.000 variedades de flores, que desabrocham entre os meses de Setembro e Novembro. Mesmo assim, não se deve esquecer que na Austrália os corais e as madrepérolas atingem o seu maior desenvolvimento.
Por outro lado, deve-se dizer que Austrália foi o primeiro país a declarar uma determinada zona como parque nacional no ano de 1879. O país conta com zonas declaradas Patrimônio Mundial, como a Grande Barreira de Coral, o Uluru (Ayers Rock), os Bosques Pluviais de Queensland, a Ilha Fraser ou os vales do sudeste da Tasmânia, entre outras muitas zonas. A Austrália conta com 2.000 parques nacionais e reservas.
Demografia
A Austrália é um país de imigrantes, sendo 23,1% da sua população formada por estrangeiros. A maior parte da população é descendente de imigrantes ingleses e irlandeses que se mudaram para o país nos séculos XIX e XX.
Isso acontece porque o crescimento vegetativo da população é muito baixo (pois o número de nascimentos é cada vez menor) e o governo atrai imigrantes, em virtude da sua reduzida população. Segundo estimativas, a taxa média de crescimento populacional do país vem se mantendo aos 1,4% ao ano.
Importantes grupos étnicos minoritários incluem chineses, indianos, vietnamitas, italianos, gregos, irlandeses, franceses e alemães. A população aborígene está restrita à 366.436 indivíduos, representando menos de 1% da população australiana.
Nos últimos anos vem se verificando um grande aumento da população idosa e uma retração na porcentagem de crianças sobre a população
Política
A Austrália é uma monarquia constitucional. O chefe de estado é a rainha Elizabeth da Grã-Bretanha, representada pelo governador geral australiano. O governo emana de um Parlamento eleito por sufrágio universal.
O Parlamento Federal é composto pelo Senado e pela Câmara dos Representantes. O primeiro-ministro, atualmente Kevin Rudd, é o líder do partido político com maior número de deputados na Câmara dos Representantes, da qual são ainda selecionados os outros ministros.
O Senado é composto de 76 membros, com representação igual para todos os estados, como no Senado dos Estados Unidos da América. Um estado elege doze senadores, mas um território (como o Território do Norte ou o Território da Capital Australiana) pode eleger somente dois senadores.

A Câmara dos Representantes, cujo modelo é a Câmara dos Comuns na Grã-Bretanha, é composta de 148 membros. A representação dos estados nesta Câmara é determinada pelo tamanho da sua população, mas cada distrito eleitoral tem somente um membro. O Senado tem o poder de modificar os projetos de lei da Câmara dos Representantes, que inclui assuntos fiscais. Em 1975, houve uma crise constitucional, quando o Senado não aprovou o orçamento do governo trabalhista de Gough Whitlam. A paralisia legislativa resultou na demissão do primeiro-ministro pelo governador-geral, Sir John Kerr.
Este ato controverso pelo representante da Rainha, contribuiu para o apoio crescente para uma república, mas no referendo de 1999, houve divisões entre os republicanos sobre a questão da escolha do presidente. Embora muitos australianos apoiassem a declaração de uma república, desejavam um presidente escolhido por eleição direta, não por nomeação do Parlamento Federal.
Subdivisões
Austrália é formada por seis estados - Nova Gales do Sul, Queensland, Austrália do Sul, Tasmânia, Victoria, Austrália Ocidental e dois grandes territórios, o Território do Norte e Território da Capital da Austrália (TCA). Na maioria dos aspectos, estes dois territórios funcionam como os estados, mas o Parlamento da Comunidade pode substituir toda a legislação dos respectivos parlamentos. Em contrapartida, a legislação federal apenas substitui a legislação do estado em determinadas áreas que são definidos no artigo 51º da Constituição da Austrália.
Cada estado e território continental importante tem a sua própria legislação ou parlamento: unicameral no Território do Norte, no TCA e em Queensland e bicameral nos demais estados. Os Estados são soberanos, embora sujeitos a certas competências da Comunidade, tal como definido pela Constituição. A câmara baixa é conhecida como a Assembleia Legislativa (Casa da Assembleia na Austrália do Sul e Tasmânia) e a câmara alta é conhecida como Conselho Legislativo. O chefe do governo em cada estado é o Primeiro-Ministro e em cada território, o Ministro-Chefe.
O governo federal administra diretamente os seguintes territórios:
Território da Baía Jervis, uma base naval e um porto marítimo para a capital do país que anteriormente era parte da Nova Gales do Sul;
Ilha Christmas e Ilhas Cocos (Keeling);
Ilhas Ashmore e Cartier;
Ilhas do Mar de Coral;
Ilha Heard e Ilhas McDonald;
Território Antártico Australiano (suspenso pelo Tratado da Antártica).
A Ilha Norfolk também é, tecnicamente, um território externo, no entanto, sob a lei de 1979 da Ilha Norfolk, quando foi concedida mais autonomia à ilha e um governado local regido por sua própria assembleia legislativa.
Economia

A economia australiana é uma das maiores e mais avançadas do mundo. Mesmo tendo somente uma população estimada em 21 milhões de habitantes é atualmente a 17ª maior economia do mundo, segundo o Fundo Monetário Internacional. Esta é muito diversificada: a indústria desenvolve atividades ligadas ao setor primário, como a produção de alimentos, principalmente na produção de gado ovino e de seus derivados, como lã. As fazendas do interior do país são modernas e avançadas, produzindo diversos materiais in situ. Elas formam o arcabouço da economia australiana. Além de vinhos, tabaco, trigo e a exploração mineral, as atividades que exigem maior tecnologia, como a indústria de máquinas e equipamentos, a indústria química, metalúrgica, siderúrgica e petroquímica. O setor de serviço tem o maior peso, principalmente pelo fator turistico. A indústria e a agricultura representam um importante papel. As exportações australianas também incluem bens alimentícios, como carne e trigo, e minérios, como bauxita, chumbo, níquel, manganês, além de ouro e prata.
O dólar australiano é a moeda da Comunidade da Austrália, incluindo a Ilha Christmas, Ilhas Cocos, e Ilha Norfolk, bem como os países independentes de Kiribati, Nauru e Tuvalu. A Australian Securities Exchange e a Sydney Futures Exchange são os maiores bolsas de valores da Austrália.

A Austrália é uma das economias capitalistas mais laissez-faire, de acordo com índices de liberdade económica. O PIB per capita da Austrália é ligeiramente superior à do Reino Unido, Alemanha e França, em termos de paridade do poder de compra. O país foi classificado em terceiro no Índice de Desenvolvimento Humano da ONU de 2007, e em sexto na "Lista de qualidade de vida" mundial do The Economist em 2005. Todas as principais cidades da Austrália estão bem no mundial nos inquéritos comparativos de vivibilidade; Melbourne chegou em 2 º lugar na lista de cidades mais habitáveis do mundo do The Economist em 2008, seguido por Perth em 4º, Adelaide em 7º, e Sydney 9º. A ênfase sobre a exportação de matérias-primas e não manufacturados tem apoiado um aumento significativo em termos de comércio da Austrália durante a subida dos preços das matérias, desde o início do século. A Austrália tem uma balança de pagamentos que é mais do que 7% do PIB negativo, e teve o déficit em conta corrente persistentemente elevado há mais de 50 anos. A Austrália tem crescido a uma taxa média anual de 3,6% durante mais de 15 anos, um período em que a média anual da OCDE foi de 2,5%. A economia australiana pode cair em recessão em 2009 após 17 anos de crescimento, de acordo com o FMI.
A Austrália faz parte do tratado internacional APEC (Asia-Pacific Economic Cooperation), um bloco econômico que tem por objetivo transformar os países à volta do Pacífico em uma área de livre comércio, e que engloba economias asiáticas, americanas e da Oceania.
Cultura
Muito da cultura da Austrália é derivada de raízes européias e mais recentemente americanas, mas características australianas distintivas evoluíram do ambiente, cultura aborígene, e a influência de vizinhos da Austrália. O vigor e originalidade das artes em filmes da Austrália, ópera, música, pintura, teatro, dança, e artes – estão alcançando reconhecimento internacional.
Muito da cultura da Austrália é derivada de raízes europeias e mais recentemente americanas, mas características australianas distintivas evoluíram do ambiente, cultura aborígine, e a influência de vizinhos da Austrália. O vigor e originalidade das artes em filmes da Austrália, ópera, música, pintura, teatro, dança, e artes – estão alcançando reconhecimento internacional.
A base da cultura australiana foi anglo-cética até meados do século XIX. Durante os últimos 50 anos, sua cultura foi muito influenciada pela cultura estadunidense (principalmente na televisão e no cinema) devido à imigração de pessoas vindas de outros países.
O país tem uma longa história referente às suas artes visuais desde a época das pinturas rupestres. O assentamento europeu na paisagem australiana tem sido um tema comum na arte nacional, o qual se tornara muito evidente.
As tradições no tempo dos povos aborígines têm sido transmitidas majoritariamente de forma oral, muito relacionada às cerimônias e histórias antigas. A música, as danças e a arte do povo aborígine australiano têm tido uma notável influência nas artes. A Austrália tem uma ativa tradição de música, balé e teatro.
Sua literatura também é influída pela paisagem do estado. O caráter da Austrália Ocidental tem reafirmado a literatura do país e repercutiu em sua etapa moderna.
Por ter sido uma colônia de povoamento britânico, sua população se compõe basicamente de europeus, como ingleses, irlandeses, escoceses, entre outros. Quando da colonização europeia, em 1788, a maior parte de sua população era composta de aborígines. Hoje, esse número corresponde a apenas 1%.

PRINCIPAIS CIDADES
Sydney
Sydney é a mais populosa cidade da Austrália, com uma população, em sua área metropolitana, de aproximadamente 4,28 milhões de pessoas (estimativa 2006).
É a capital do estado de Nova Gales do Sul e foi o local escolhido para a primeira colônia britânica na Austrália. Foi criado em 1788 em Sydney Cove por Arthur Phillip, líder da Primeira Frota da Grã-Bretanha. Um residente da cidade é referido como um Sydneysider. Está localizada a 300 km da capital do país, Camberra.
Sydney está situada na costa sudeste da Austrália. A cidade é construída em torno de Port Jackson, que inclui Sydney Harbour, levando para a cidade do apelido, o "Cidade Porto". Sydney é muita conhecida pela Opera House e pela Harbour Bridge, além de suas praias. A área metropolitana é rodeada por parques nacionais, e contém muitas baías, rios e enseadas. É considerada como uma cidade global beta pelo inevntário da Loughborough University de 1999. A cidade já sediou importantes eventos de repercussão internacional, seja em âmbito esportivo, político ou cultural, como, por exemplo, os Jogos do Império Britânico de 1938, os Jogos Olímpicos de Verão de 2000 e a Copa do Mundo de Rugby de 2003. Em Setembro de 2007, a cidade recebeu os líderes dos 21 membros da APEC e em julho de 2008 sediou Jornada Mundial da Juventude de 2008. O principal aeroporto de Sydney é o Aeroporto de Sydney.
Sydney é uma das mais multiculturais cidades do mundo, o que reflete o seu papel como um importante destino imigratório na Austrália. Segundo o levantamento Mercer sobre custo de vida, Sydney é a mais cara cidade da Austrália e a 15ª mais cara do planeta.

História

A região onde hoje em dia fica a cidade de Sydney tem sido ocupada continuamente pelo ser humano há pelo menos 40 000 anos por povos aborígenes. Quando os britânicos ali chegaram, em 1788, batizaram-nos povos "Eora", pois ao perguntarem aos aborígenes locais de onde eles haviam vindo, a resposta dada era sempre "eora", que significa "aqui", ou "deste lugar". O principal grupo aborígene na região era o Cadigal, mas havia muitos outros espalhados pelas proximidades, como o Wangal, Kameygal, Birrabirragal, e Cannalgal. O Governador Phillip estimou na época que havia cerca de 1500 aborígenes num raio de 10 milhas (cerca de 16 km) da Baía de Sydney. No entanto, a população aborígene foi drasticamente reduzida após uma epidemia de varíola em 1789, trazida pelos recém-chegados europeus. Os sobreviventes foram gradativamente sendo empurrados pelos europeus para áreas periféricas, como Botany Bay e La Perouse, ao Sul. Em 1830, já quase não havia aborígenes vivendo na cidade de Sydney.
O capitão James Cook foi o primeiro europeu a alcançar a região de Sydney, a 29 de Abril de 1770, ancorando o seu navio Endeavour na Baía Botany (Botany Bay). Quando o governo britânico procurava um lugar para onde enviar condenados, Sir Joseph Banks, o botânico a bordo do Endeavour, recomendou Botany Bay. Sob instruções do governo britânico, Arthur Phillip e o primeiro dos onze navios da First Fleet (Primeira Frota) chegou à baía em 18 de Janeiro de 1788. No entanto, não havia boas fontes de água doce e nem uma ancoragem segura no local, o que levou-o a navegar para norte até Port Jackson (que viria a ser conhecido como Baía de Sydney), onde encontrou condições ideais em Sydney Cove. Lá, em 26 de Janeiro de 1788, realizou uma cerimônia para marcar o início da nova colônia, a Nova Gales do Sul. Esta data é hoje celebrada como o Dia da Austrália.

Os condenados para lá enviados construíram ruas, pontes, cais, edifícios públicos, e em torno de 1822 a cidade já possuía bancos, mercados, policiamento e vias públicas bem estabelecidas. Grande desenvolvimento ocorreu sob o governo de Lachlan Macquarie. A partir de 1830, imigrantes britânicos livres começaram a chegar à cidade em busca de uma vida melhor nas novas terras. Em 1851, ocorreu a primeira de uma série de "corridas do ouro", que expandiram a cidade e trouxeram rápido crescimento e o consequente desenvolvimento de vários subúrbios, com a chegada de imigrantes de vários outros países. A industrialização no final do século XIX, e a construção de linhas de trens ligando Sydney ao interior, atraiu ainda mais gente à cidade, e no início do século XX a cidade já tinha mais de um milhão de habitantes.
Durante o século XX, imigrantes chegaram da Europa primeiramente, e da Ásia, em seguida. Hoje Sydney continua a receber um enorme número de imigrantes, agora vindos de todos os locais. Nos últimos anos, pela primeira vez na história, o número de imigrantes provenientes da China têm sido maior do que o de qualquer outro país, incluindo da Grã-Bretanha, historicamente a maior fonte de imigrantes. Bairros onde os chineses estabeleceram-se incluem Ashfield e Chinatown, próximo ao centro da cidade. Os italianos escolheram Leichhardt como moradia, e os gregos estabeleceram-se em La Perouse. Strathfield serve aos coreanos. Muitos libaneses e outros povos árabes vivem em Bankstown e Liverpool. Os portugueses estão presentes principalmente na região de Petersham, no oeste da cidade.
Geografia
Topografia


A área urbana de Sydney está em uma bacia costeira delimitada pelo Oceano Pacífico a leste, pelas Montanhas Azuis a oeste, pelo rio Hawkesbury ao Norte e do Royal National Park ao Sul. Localiza-se sobre um litoral submergido, onde o nível do oceano subiu formando profundos vales fluviais (Ria) esculpidos no arenito. Port Jackson, mais conhecido como Baía de Sydney, segue esses critérios e é o maior porto natural do mundo. A área de Sydney não é afetada por sismos significativos. A área urbana tem cerca de 70 portos e praias oceânicas, incluindo a famosa Bondi Beach. A área urbana de Sydney abrangia 1.687 km² em 2001. A divisão estatística de Sydney, usada para dados censitários, é não oficialmente a área metropolitana e abrange 12.145 km². Este área inclui o Central Coast, as Montanhas Azuis, e parques nacionais e outras áreas não urbanizadas.
Geograficamente, Sydney recai sobre duas regiões: o Cumberland Plain, uma região relativamente plana situada a sul e oeste do porto, e Hornsby Plateau, um planalto arenítico sobretudo a norte do porto e dissecado por vales íngremes. As partes da cidade mais antigas estão localizadas em áreas de planície ao sul do porto. A região de North Shore foi a mais lenta a se desenvolver por causa de sua topografia acidentada e falta de acesso em todo o porto. A Ponte da Baía de Sydney foi inaugurada em 1932 para ligar North Shore ao resto da cidade.
Clima
Sydney localiza-se em uma área de clima subtropical úmido, numa latitude aproximada do ponto mais meridional do Brasil e semelhante à da Madeira (no hemisfério Norte). O inverno é moderado, com temperatura média de 12°C. Embora a temperatura na área central raramente caia abaixo de 10 °C no inverno, em subúrbios mais afastados e próximos das montanhas a Oeste (Montanhas Azuis), como Penrith e Campbelltown, temperaturas próximas a zero ou mesmo negativas são comuns. O verão é quente, com temperatura média de 23 °C, embora em alguns dias a temperatura ultrapasse os 40 °C. Em tais dias, moradores e milhares de turistas australianos e estrangeiros lotam as belas praias da cidade, como Manly, Bondi, Coogee, e Maroubra.
Política
Com excepção do Conselho do Condado de Cumberland (1945–1964), nunca existiu uma entidade única de governo local que abarcasse a área metropolitana de Sydney. É o governo estadual da Nova Gales do Sul que controlada directamente a administração da área metropolitana no que se refere, por exemplo, aos transportes públicos, às vias de comunicação principais, ao controlo do tráfego, ao policiamento, ao ensino e ao planeamento de grandes infraestruturas.
A área metropolitana está dividida em 38 zonas de administração local nas quais o governo estadual delega alguns poderes mais locais como, por exemplo, o planeamento urbano e a recolha de resíduos sólidos urbanos. Estas zonas, as designadas Local Government Areas (LGA), são governadas por conselhos locais eleitos.
A Cidade de Sydney (City of Sydney) propriamente dita é uma das 38 LGA. Inclui o centro financeiro e alguns subúrbios mais centrais, tal como South Sydney. A cidade é governada pelo Lord Mayor de Sydney e por um conselho local. O Lord Mayor é, muitas vezes, considerado o representante de toda a área metropolitana, como foi, por exemplo, o caso durante a realização dos Jogos Olímpicos de 2000 .

Economia
Os maiores setores econômicos de Sydney, conforme medido pelo número de pessoas empregadas, incluem bens e serviços prestados às empresas, comércio, indústria, saúde e serviços comunitários. Desde a década de 1980, os postos de trabalho foram transferidos para a produção de serviços e setores de informação. Sydney é responsável por aproximadamente 25% do total do PIB do país. A Australian Securities Exchange e o Reserve Bank of Australia estão localizados em Sydney, assim como a sede de 90 bancos e mais de metade das principais companhias da Austrália, além das sedes regionais de cerca de 500 empresas multinacionais. Das dez maiores corporações da Austrália (com base nas receitas), quatro têm sede em Sydney (Austrália Caltex, o Commonwealth Bank, Westpac e Woolworths). A Fox Studios Austrália possui grandes estúdios de cinema na cidade. A Sydney Futures Exchange (SFE) é uma das maiores da região em futuros financeiros e opções de intercâmbio, com 64,3 milhões de contratos negociados em 2005. É o 12 º maior mercado futuro do mundo e o 19.º maior incluindo opções.
A cidade possui a maior mediana da renda familiar de qualquer grande cidade da Austrália. Segundo o levantamento The Economist Intelligence Unit's Worldwide sobre custo de vida, Sydney é a 16.ª cidade mais cara do mundo, enquanto a UBS classifica a cidade como Sydney 15ª no mundo em termos de lucro líquido. Em 20 de Setembro de 2007, Sydney tinha maior preço médio de casas do que qualquer outra capital australiana, US$ 559.000. Sydney também tem a maior renda média em preços do qualquer outra cidade, 450 dólares australianos por semana. Um relatório publicado pela OCDE em Novembro de 2005, mostra que a Austrália tem os mais altos preços de habitação do mundo ocidental quando medido rendimentos com aluguéis. Sydney é classificada como uma cidade global "beta" pela Globalization and World Cities Study Group and Network.
Transportes

A maioria dos habitantes de Sydney utilizam automóveis através do sistema de estradas e auto-estradas. O mais importante tronco viário na zona urbana são as nove Metroads, que incluem os 110 km da Rede Orbital de Sydney. Sydney é servida também por uma extensa frota de táxis, ônibus e balsas.
A rede ferroviária de Sydney é gerida pela CityRail, uma empresa do governo da Nova Gales do Sul. Os comboios circulam dos subúrbios e, em seguida, convergem para o centro financeiro da cidade.

Sydney possui uma linha light rail privada operada pela empresa Metro Light Rail, percorrendo um trecho entre a Estação Central e o pequeno subúrbio de Lilyfield. Há também uma pequena monorail, loacalizada ao redor do principal distrito comercial e Darling Harbour. Sydney foi outrora servida por uma extensa rede de bondes, que foi progressivamente encerrada durante as décadas de 1950 e 1960. A maioria das partes da área metropolitana é servida por ônibus, muitos seguindo as antigas rotas dos bondes. A construção de uma rede de ônibus rápidos em áreas que não eram bem servidas por transportes públicos começou em 1999, a primeira delas, a Liverpool-Parramatta Bus Rapid Transitway, foi inaugurada em fevereiro de 2003.
O Aeroporto de Sydney, no subúrbio de Mascot, é o principal aeroporto da cidade e um dos mais antigos aeroportos operados continuamente em todo o mundo. O menor, o Aeroporto Bankstown, serve essencialmente para voos privados e de aviação geral. A questão da necessidade de um segundo aeroporto na cidade tem suscitado muita controvérsia. O resultado da expansão do aeroporto internacional da cidade teria um impacto substancial sobre a comunidade, incluindo o ruído das aeronaves adicionais que afetam os residentes.
Cultura
Religião
Cristãos formam de longe o maior grupo religioso na região metropolitana de Sydney, incluindo 67% dos moradores. 30,3% dos habitantes declaram-se católicos, 18,8% anglicanos, e 4,8% ortodoxos. Apenas 10,4% dos habitantes declaram-se não-cristãos. Outros 11,9% dizem não seguir religião alguma.
Turismo

Em Março de 2008 Sydney recebeu 2,7 milhões de visitantes internacionais. As mais conhecidas atrações incluem a Ópera de Sydney e a Ponte da Baía de Sydney. Outras atrações incluem o Real Jardim Botânico de Sydney, Luna Park, Hyde Park, as praias e a Torre de Sydney.
Sydney também tem vários museus populares, tais como, a Australian Museum (história natural e antropologia), o Powerhouse Museum (ciência, tecnologia e design), a Galeria de Arte de Nova Gales do Sul, o Museu de Arte Contemporânea e o Australian National Maritime Museum.
Entre as principais atracções turísticas encontram-se:

Baía de Sydney (Sydney Harbour em inglês), também chamada Port Jackson, é um porto natural em volta do qual situa-se a maior aglomeração urbana da Austrália, Sydney. Na baia localizam-se dois dos mais famosos símbolos da cidade, a Ópera de Sydney (Sydney Opera House), e a Ponte do Porto de Sydney (Sydney Harbour Bridge)
Sydney Opera House (Ópera de Sydney): a Ópera de Sydney foi construída em 1973. O edifício tem uma estrutura orgânica muito peculiar em forma de "velas" com azulejos brancos. Este teatro de ópera tem uma sala grande para concertos, uma sala para ópera e outras salas mais pequenas. É o principal emblema da cidade e o seu edifício mais conhecido.
Sydney Harbour Bridge (Ponte da Baía de Sydney), construída em 1932 e a primeira da baía. Foi a ponte de um só arco com o maior vão do mundo. Pode visitar-se com guia.
The Rocks (As Rochas): o bairro mais antigo da cidade. Há edifícios históricos renovados, galerias de arte, pubs, restaurantes, cafés e lojas turísticas. O Museum of Contemporary Art (Museu de Arte Contemporânea) está neste bairro e tem uma coleção de arte contemporânea australiana e internacional. É o bairro mais europeu da cidade.
Praias de Sydney, muito conhecidas, como Bondi e Manly. Sydney tem mais de 50 praias e estas influenciam a cultura urbana. Umas são muito visitadas, com parques, paredões, surf, mercados, restaurantes e lojas; outras são isoladas e tranquilas.
Chinatown (Bairro Chinês de Sydney) está no sul do centro da cidade e é o centro cultural para a comunidade chinesa de Sydney. Esta comunidade tem vivido nesta parte da cidade desde o século XVIII. Hoje não é um centro residencial mas um centro cultural e comercial. Há muitas empresas de outras partes da Ásia. Muitas pessoas de origem chinesa vivem noutras partes de Sydney, como Chatswood, Strathfield e Hurstville (estes bairros também têm centros comerciais chineses). Na Chinatown, o grande mercado de Paddy’s Market é um centro de actividade aos fins-de-semana.
Paddington é um bonito bairro situado a 3 km a leste do centro de Sydney. Encontram-se aí muitas casas vitorianas e um interessante mercado aos sábados. A Oxford Street tem lojas de moda e galerias de arte independentes.

Darling Harbour ("Porto de Darling") é um porto da cidade. Hoje é um sitio turístico popular, com restaurantes, bares, lojas e parques. Também há concertos e outros eventos públicos. Sítios interessantes incluem o jardim chinês, o National Maritime Museum (Museu Marítimo Nacional) e o Sydney Aquarium (Aquário de Sydney).
A Universidade de Sydney, fundada em 1850 e a mais antiga da Austrália. Tem mais de 43 000 estudantes e vários edifícios antigos de pedra de estilo neogótico.
Art Gallery of New South Wales (Galeria de Arte de Nova Gales do Sul), a mais antiga galeria de arte de Sydney, com importante colecção de arte australiana dos séculos XVIII, XIX e XX. Tem também arte asiática, europeia, internacional e aborígene australiana.
Parque Olímpico, a 20 km a oeste do centro, onde se celebraram os Jogos Olímpicos de 2000. Os estádios e edifícios desportivos ficam neste lugar. Depois dos Jogos Olímpicos a actividade na zona decaiu.
Newtown, bairro a 3 km a sul do centro da cidade, com mistura muito interessante de culturas e centro de movimentos alternativos. A rua principal, King Street, tem lojas e restaurantes étnicos. Só King Street tem mais de 30 restaurantes tailandeses.
Kings Cross, a 1 km a leste do centro, é um bairro vermelho (zona vermelha) da cidade, onde há também bares e cafés. Há pensões populares para jovens turistas.
Royal Botanic Gardens (Jardins Botânicos Reais), jardins com árvores e plantas australianas e de outros países. O lugar dos jardins, numa baía do porto, é de grande beleza, e do mesmo tem-se excelente vista da cidade, da casa de ópera e da ponte.
Hyde Park é um parque de tamanho médio, no centro, muito popular entre os trabalhadores locais.
Centennial Park (Parque do Centenário), grande parque no leste de Sydney, perto de Paddington, com animais à solta e zona de recreio e lazer.
Taronga Zoo, o principal jardim zoológico, em Mosman, a 15 minutos por ferry de Circular Quay, com uma completa colecção de animais da Ásia, África e Austrália.

Geografia
Topografia


A área urbana de Sydney está em uma bacia costeira delimitada pelo Oceano Pacífico a leste, pelas Montanhas Azuis a oeste, pelo rio Hawkesbury ao Norte e do Royal National Park ao Sul. Localiza-se sobre um litoral submergido, onde o nível do oceano subiu formando profundos vales fluviais (Ria) esculpidos no arenito. Port Jackson, mais conhecido como Baía de Sydney, segue esses critérios e é o maior porto natural do mundo. A área de Sydney não é afetada por sismos significativos. A área urbana tem cerca de 70 portos e praias oceânicas, incluindo a famosa Bondi Beach. A área urbana de Sydney abrangia 1.687 km² em 2001. A divisão estatística de Sydney, usada para dados censitários, é não oficialmente a área metropolitana e abrange 12.145 km². Este área inclui o Central Coast, as Montanhas Azuis, e parques nacionais e outras áreas não urbanizadas.
Geograficamente, Sydney recai sobre duas regiões: o Cumberland Plain, uma região relativamente plana situada a sul e oeste do porto, e Hornsby Plateau, um planalto arenítico sobretudo a norte do porto e dissecado por vales íngremes. As partes da cidade mais antigas estão localizadas em áreas de planície ao sul do porto. A região de North Shore foi a mais lenta a se desenvolver por causa de sua topografia acidentada e falta de acesso em todo o porto. A Ponte da Baía de Sydney foi inaugurada em 1932 para ligar North Shore ao resto da cidade.
Clima
Sydney localiza-se em uma área de clima subtropical úmido, numa latitude aproximada do ponto mais meridional do Brasil e semelhante à da Madeira (no hemisfério Norte). O inverno é moderado, com temperatura média de 12°C. Embora a temperatura na área central raramente caia abaixo de 10 °C no inverno, em subúrbios mais afastados e próximos das montanhas a Oeste (Montanhas Azuis), como Penrith e Campbelltown, temperaturas próximas a zero ou mesmo negativas são comuns. O verão é quente, com temperatura média de 23 °C, embora em alguns dias a temperatura ultrapasse os 40 °C. Em tais dias, moradores e milhares de turistas australianos e estrangeiros lotam as belas praias da cidade, como Manly, Bondi, Coogee, e Maroubra.
Política
Com excepção do Conselho do Condado de Cumberland (1945–1964), nunca existiu uma entidade única de governo local que abarcasse a área metropolitana de Sydney. É o governo estadual da Nova Gales do Sul que controlada directamente a administração da área metropolitana no que se refere, por exemplo, aos transportes públicos, às vias de comunicação principais, ao controlo do tráfego, ao policiamento, ao ensino e ao planeamento de grandes infraestruturas.
A área metropolitana está dividida em 38 zonas de administração local nas quais o governo estadual delega alguns poderes mais locais como, por exemplo, o planeamento urbano e a recolha de resíduos sólidos urbanos. Estas zonas, as designadas Local Government Areas (LGA), são governadas por conselhos locais eleitos.
A Cidade de Sydney (City of Sydney) propriamente dita é uma das 38 LGA. Inclui o centro financeiro e alguns subúrbios mais centrais, tal como South Sydney. A cidade é governada pelo Lord Mayor de Sydney e por um conselho local. O Lord Mayor é, muitas vezes, considerado o representante de toda a área metropolitana, como foi, por exemplo, o caso durante a realização dos Jogos Olímpicos de 2000 .

Economia
Os maiores setores econômicos de Sydney, conforme medido pelo número de pessoas empregadas, incluem bens e serviços prestados às empresas, comércio, indústria, saúde e serviços comunitários. Desde a década de 1980, os postos de trabalho foram transferidos para a produção de serviços e setores de informação. Sydney é responsável por aproximadamente 25% do total do PIB do país. A Australian Securities Exchange e o Reserve Bank of Australia estão localizados em Sydney, assim como a sede de 90 bancos e mais de metade das principais companhias da Austrália, além das sedes regionais de cerca de 500 empresas multinacionais. Das dez maiores corporações da Austrália (com base nas receitas), quatro têm sede em Sydney (Austrália Caltex, o Commonwealth Bank, Westpac e Woolworths). A Fox Studios Austrália possui grandes estúdios de cinema na cidade. A Sydney Futures Exchange (SFE) é uma das maiores da região em futuros financeiros e opções de intercâmbio, com 64,3 milhões de contratos negociados em 2005. É o 12 º maior mercado futuro do mundo e o 19.º maior incluindo opções.
A cidade possui a maior mediana da renda familiar de qualquer grande cidade da Austrália. Segundo o levantamento The Economist Intelligence Unit's Worldwide sobre custo de vida, Sydney é a 16.ª cidade mais cara do mundo, enquanto a UBS classifica a cidade como Sydney 15ª no mundo em termos de lucro líquido. Em 20 de Setembro de 2007, Sydney tinha maior preço médio de casas do que qualquer outra capital australiana, US$ 559.000. Sydney também tem a maior renda média em preços do qualquer outra cidade, 450 dólares australianos por semana. Um relatório publicado pela OCDE em Novembro de 2005, mostra que a Austrália tem os mais altos preços de habitação do mundo ocidental quando medido rendimentos com aluguéis. Sydney é classificada como uma cidade global "beta" pela Globalization and World Cities Study Group and Network.
Transportes

A maioria dos habitantes de Sydney utilizam automóveis através do sistema de estradas e auto-estradas. O mais importante tronco viário na zona urbana são as nove Metroads, que incluem os 110 km da Rede Orbital de Sydney. Sydney é servida também por uma extensa frota de táxis, ônibus e balsas.
A rede ferroviária de Sydney é gerida pela CityRail, uma empresa do governo da Nova Gales do Sul. Os comboios circulam dos subúrbios e, em seguida, convergem para o centro financeiro da cidade.

Sydney possui uma linha light rail privada operada pela empresa Metro Light Rail, percorrendo um trecho entre a Estação Central e o pequeno subúrbio de Lilyfield. Há também uma pequena monorail, loacalizada ao redor do principal distrito comercial e Darling Harbour. Sydney foi outrora servida por uma extensa rede de bondes, que foi progressivamente encerrada durante as décadas de 1950 e 1960. A maioria das partes da área metropolitana é servida por ônibus, muitos seguindo as antigas rotas dos bondes. A construção de uma rede de ônibus rápidos em áreas que não eram bem servidas por transportes públicos começou em 1999, a primeira delas, a Liverpool-Parramatta Bus Rapid Transitway, foi inaugurada em fevereiro de 2003.
O Aeroporto de Sydney, no subúrbio de Mascot, é o principal aeroporto da cidade e um dos mais antigos aeroportos operados continuamente em todo o mundo. O menor, o Aeroporto Bankstown, serve essencialmente para voos privados e de aviação geral. A questão da necessidade de um segundo aeroporto na cidade tem suscitado muita controvérsia. O resultado da expansão do aeroporto internacional da cidade teria um impacto substancial sobre a comunidade, incluindo o ruído das aeronaves adicionais que afetam os residentes.
Cultura
Religião
Cristãos formam de longe o maior grupo religioso na região metropolitana de Sydney, incluindo 67% dos moradores. 30,3% dos habitantes declaram-se católicos, 18,8% anglicanos, e 4,8% ortodoxos. Apenas 10,4% dos habitantes declaram-se não-cristãos. Outros 11,9% dizem não seguir religião alguma.
Turismo



Melbourne

Melbourne é a capital e a maior cidade do estado de Victória, na Austrália. É a segunda maior região metropolitana do país e está localizada na costa sul australiana. É um grande centro industrial, possuindo indústrias de construção naval, de maquinaria agrícola, têxtil e de objectos elétricos, comercial, exportando algodão e bens agrícolas e agro-industriais e de transportes, a cidade é um dos principais pólos econômicos do país. Há cerca de 62 mil habitantes na cidade propriamente dita e além disso há mais de 3,7 milhões de habitantes na sua região metropolitana.
Foi fundada em 1835 e a capital da federação entre 1901 e 1927. Sediou os Jogos Olímpicos de Verão de 1956 e é considerada uma cidade global beta + pela Loughborough University. A cidade recebe anualmente mais de um milhão de turistas estrangeiros e mais de 7 milhões de australianos, sendo um dos principais destinos turísticos do país. Existem vários pontos de interesse, como as Torres Rialto, e a Torre Eureka, para além de vários parques, museus, entre outras atrações.


História
Foi fundada em 1835 e a sua designação actual foi atribuída dois anos mais tarde por Lorde Melbourne.
Melbourne teve dois grandes ciclos de desenvolvimento. O primeiro foi na década de 1850, impulsionado pela procura do ouro, que originou um grande crescimento da cidade, de tal forma que ultrapassou Sydney e tornou-se a capital temporária e sede do governo australiano, entre 1901 e 1927.
O segundo acontecimento que proporcionou o seu desenvolvimento foi o incentivo dado pelo Governo à imigração após a Segunda Guerra Mundial, nomeadamente de europeus, mas também de asiáticos, assim como o acontecimento desportivo importante que foi a realização dos Jogos Olímpicos de Verão de 1956.
Atualmente Melbourne é umas das cidades do mundo com maior qualidade de vida.
Geografia
Melbourne localiza-se no sudeste da Austrália. A cidade é atravessada pelo Rio Yarra, situando-se junto a Port Phillip. Melbourne é uma cidade australiana típica, com baixa densidade demográfica na sua área metropolitana. Tem vários parques e jardins, muitos dos quais junto ao centro da cidade. O clima é temperado.
Clima
O clima de Melbourne é temperado oceânico, com precipitações uniformes durante o ano inteiro. As estações do ano são bem definidas.
Durante o inverno, há muitos dias nublados e chuvosos, mas a chuva geralmente é leve, então o acumulado não é grande. Devido à esses dias nublados, a temperatura pouco varia ao longo do dia. Às vezes, massas de ar de origem polar atingem a região e faz a temperatura cair para abaixo de zero durante à madrugada.
No verão, apesar de a quantidade média de chuva registrada ser idêntica à do inverno, a umidade é, em média, um pouco menor do que no inverno, já que a tendência é de vento vir de norte. O número de dias ensolarados também é maior, permitindo que a temperatura se eleve bastante em dias mais secos.
Demografia
Melbourne é uma cidade multicultural. Uma importante percentagem dos seus habitantes nasceu no estrangeiro. Atualmente a população da cidade é de cerca de 3,7 milhões habitantes, sendo esperado que atinja a marca dos 4,5 milhões em 2030. A cidade concentra cerca de 70% dos habitantes do estado de Victoria.

Economia
Melbourne é um importante centro comercial e industrial. O seu porto é o mais movimentado da Austrália. O turismo tem uma grande importância na economia da cidade.
Infra-estrutura
A cidade conta com cerca de 30 hospitais na sua área metropolitana. Além disso, Melbourne tem um sistema de transportes públicos de referência, apesar de a maioria das viagens ser feita em transporte particular.
Educação
A cidade destaca-se pela existência da Universidade de Melbourne, fundada em 1853, a Universidade Monash, fundada em 1958, Universidade RMIT, fundada em 1887 e a Universidade La Trobe, fundada em 1964, possuindo também um Colégio Técnico e uma conhecida escola de ballet.
Transportes
Melbourne possui um sistema integrado de transporte público conhecido como Metlink, originalmente implantando no século 19 quando trens e bondes eram o principal meio de transporte para os subúrbios. Nos idos de 1950 observou-se um aumento no número de transportes particulares e construção de rodovias. Esta tendência tem continuado através dos governos mesmo com o aumento dos congestionamentos. O resultado tem sido uma queda significativa no uso do transporte público comparado aos idos de 1940 onde o nível de utilização era de 25% comparados aos atuais 9%. O sistema de transporte público de Melbourne foi privatizado em 1999.

Chinatown (Bairro Chinês de Sydney) está no sul do centro da cidade e é o centro cultural para a comunidade chinesa de Sydney. Esta comunidade tem vivido nesta parte da cidade desde o século XVIII. Hoje não é um centro residencial mas um centro cultural e comercial. Há muitas empresas de outras partes da Ásia. Muitas pessoas de origem chinesa vivem noutras partes de Sydney, como Chatswood, Strathfield e Hurstville (estes bairros também têm centros comerciais chineses). Na Chinatown, o grande mercado de Paddy’s Market é um centro de actividade aos fins-de-semana.

Além das linhas de ônibus, a cidade conta com o transporte através de bondes, conhecidos como trams.

A malha ferroviária possui mais de 15 linhas. Flinders Street Station, a mais importante estação e ponto de encontro foi eleita em 1926 como a mais congestionada estação de passageiros do mundo.
O Porto de Melbourne, considerado o maior e o mais movimentado porto de containers e cargas em geral na Australia. Em 2007, foi registrado um trânsito de 2 milhões de containers em um período de 12 meses, fazendo dele um dos 4 maiores portos do hemisfério sul. Station Pier na baia de Port Phillip recebe navios de cruzeiro e a famosa balsa Spirit of Tasmania que atravessa de Bass Strait até a Tasmânia.
Melbourne tem quatro aeroportos. Aeroporto Internacional de Melbourne localizado na Tullamarine corresponde ao principal aeroporto nacional e internacional da cidade, com operações da (Qantas, Virgin Blue e Jetstar). Tullamarine também é a sede das empresas de baixo custo Jetstar e Tiger Airways Australia. Avalon Airport, localizado entre Melbourne e Geelong, corresponde a base secundaria da Jetstar. Também utilizada para cargas e manutenção de aeronaves. Moorabbin Airport considerado um aeroporto importante para aviação em geral, localizado no sudoeste da cidade. Essendon Airport, antigamente o principal aeroporto da cidade, antes da construção do aeroporto em Tullamarine, suporta aviação em geral e operações de cargas.
Cultura
Na cidade celebram-se vários eventos culturais anuais. Em Melbourne existem ainda vários pontos de interesse. São de destacar a Galeria Nacional, o Centro de Arte Vitoriana, o Jardim Botânico, a prática de desportos aquáticos na baía e pista de Fórmula 1, no Albert Park. Melbourne é considerada a capital cultural da AustráliaPredefinição:Cacrece de fontes.
Esportes
Melbourne já foi sede da Olimpíadas de 1956 e dos Jogos da Commonwealth de 2006, tendo como principal referência o estádio Melbourne Cricket Ground, usado em ambas as edições dos torneios é considerado patrimônio cultural da cidade e a vila olímpica próxima ao Albert Park, foi na região onde nasceu o esporte mais popular da Austrália, o futebol australiano, a final da Australian Football League sempre é disputada no Melbourne Cricket Ground. Melbourne também recebe um dos quatro torneios do Grand Slam da ATP (Associação dos Tenistas Profissionais). O Australian Open é disputado na cidade desde 1972, torneio que até 1988 era disputado em quadras de grama quando foi substituída pelo Rebound Ace.


A maioria dos habitantes de Sydney utilizam automóveis através do sistema de estradas e auto-estradas. O mais importante tronco viário na zona urbana são as nove Metroads, que incluem os 110 km da Rede Orbital de Sydney. Sydney é servida também por uma extensa frota de táxis, ônibus e balsas.
A rede ferroviária de Sydney é gerida pela CityRail, uma empresa do governo da Nova Gales do Sul. Os comboios circulam dos subúrbios e, em seguida, convergem para o centro financeiro da cidade.

Sydney possui uma linha light rail privada operada pela empresa Metro Light Rail, percorrendo um trecho entre a Estação Central e o pequeno subúrbio de Lilyfield. Há também uma pequena monorail, loacalizada ao redor do principal distrito comercial e Darling Harbour. Sydney foi outrora servida por uma extensa rede de bondes, que foi progressivamente encerrada durante as décadas de 1950 e 1960. A maioria das partes da área metropolitana é servida por ônibus, muitos seguindo as antigas rotas dos bondes. A construção de uma rede de ônibus rápidos em áreas que não eram bem servidas por transportes públicos começou em 1999, a primeira delas, a Liverpool-Parramatta Bus Rapid Transitway, foi inaugurada em fevereiro de 2003.
O Aeroporto de Sydney, no subúrbio de Mascot, é o principal aeroporto da cidade e um dos mais antigos aeroportos operados continuamente em todo o mundo. O menor, o Aeroporto Bankstown, serve essencialmente para voos privados e de aviação geral. A questão da necessidade de um segundo aeroporto na cidade tem suscitado muita controvérsia. O resultado da expansão do aeroporto internacional da cidade teria um impacto substancial sobre a comunidade, incluindo o ruído das aeronaves adicionais que afetam os residentes.
Cultura
Religião
Cristãos formam de longe o maior grupo religioso na região metropolitana de Sydney, incluindo 67% dos moradores. 30,3% dos habitantes declaram-se católicos, 18,8% anglicanos, e 4,8% ortodoxos. Apenas 10,4% dos habitantes declaram-se não-cristãos. Outros 11,9% dizem não seguir religião alguma.
Turismo

Em Março de 2008 Sydney recebeu 2,7 milhões de visitantes internacionais. As mais conhecidas atrações incluem a Ópera de Sydney e a Ponte da Baía de Sydney. Outras atrações incluem o Real Jardim Botânico de Sydney, Luna Park, Hyde Park, as praias e a Torre de Sydney.
Sydney também tem vários museus populares, tais como, a Australian Museum (história natural e antropologia), o Powerhouse Museum (ciência, tecnologia e design), a Galeria de Arte de Nova Gales do Sul, o Museu de Arte Contemporânea e o Australian National Maritime Museum.
Entre as principais atracções turísticas encontram-se:

Baía de Sydney (Sydney Harbour em inglês), também chamada Port Jackson, é um porto natural em volta do qual situa-se a maior aglomeração urbana da Austrália, Sydney. Na baia localizam-se dois dos mais famosos símbolos da cidade, a Ópera de Sydney (Sydney Opera House), e a Ponte do Porto de Sydney (Sydney Harbour Bridge)
Sydney Opera House (Ópera de Sydney): a Ópera de Sydney foi construída em 1973. O edifício tem uma estrutura orgânica muito peculiar em forma de "velas" com azulejos brancos. Este teatro de ópera tem uma sala grande para concertos, uma sala para ópera e outras salas mais pequenas. É o principal emblema da cidade e o seu edifício mais conhecido.
Sydney Harbour Bridge (Ponte da Baía de Sydney), construída em 1932 e a primeira da baía. Foi a ponte de um só arco com o maior vão do mundo. Pode visitar-se com guia.
The Rocks (As Rochas): o bairro mais antigo da cidade. Há edifícios históricos renovados, galerias de arte, pubs, restaurantes, cafés e lojas turísticas. O Museum of Contemporary Art (Museu de Arte Contemporânea) está neste bairro e tem uma coleção de arte contemporânea australiana e internacional. É o bairro mais europeu da cidade.
Praias de Sydney, muito conhecidas, como Bondi e Manly. Sydney tem mais de 50 praias e estas influenciam a cultura urbana. Umas são muito visitadas, com parques, paredões, surf, mercados, restaurantes e lojas; outras são isoladas e tranquilas.
Chinatown (Bairro Chinês de Sydney) está no sul do centro da cidade e é o centro cultural para a comunidade chinesa de Sydney. Esta comunidade tem vivido nesta parte da cidade desde o século XVIII. Hoje não é um centro residencial mas um centro cultural e comercial. Há muitas empresas de outras partes da Ásia. Muitas pessoas de origem chinesa vivem noutras partes de Sydney, como Chatswood, Strathfield e Hurstville (estes bairros também têm centros comerciais chineses). Na Chinatown, o grande mercado de Paddy’s Market é um centro de actividade aos fins-de-semana.
Paddington é um bonito bairro situado a 3 km a leste do centro de Sydney. Encontram-se aí muitas casas vitorianas e um interessante mercado aos sábados. A Oxford Street tem lojas de moda e galerias de arte independentes.

Darling Harbour ("Porto de Darling") é um porto da cidade. Hoje é um sitio turístico popular, com restaurantes, bares, lojas e parques. Também há concertos e outros eventos públicos. Sítios interessantes incluem o jardim chinês, o National Maritime Museum (Museu Marítimo Nacional) e o Sydney Aquarium (Aquário de Sydney).
A Universidade de Sydney, fundada em 1850 e a mais antiga da Austrália. Tem mais de 43 000 estudantes e vários edifícios antigos de pedra de estilo neogótico.
Art Gallery of New South Wales (Galeria de Arte de Nova Gales do Sul), a mais antiga galeria de arte de Sydney, com importante colecção de arte australiana dos séculos XVIII, XIX e XX. Tem também arte asiática, europeia, internacional e aborígene australiana.
Parque Olímpico, a 20 km a oeste do centro, onde se celebraram os Jogos Olímpicos de 2000. Os estádios e edifícios desportivos ficam neste lugar. Depois dos Jogos Olímpicos a actividade na zona decaiu.
Newtown, bairro a 3 km a sul do centro da cidade, com mistura muito interessante de culturas e centro de movimentos alternativos. A rua principal, King Street, tem lojas e restaurantes étnicos. Só King Street tem mais de 30 restaurantes tailandeses.
Kings Cross, a 1 km a leste do centro, é um bairro vermelho (zona vermelha) da cidade, onde há também bares e cafés. Há pensões populares para jovens turistas.
Royal Botanic Gardens (Jardins Botânicos Reais), jardins com árvores e plantas australianas e de outros países. O lugar dos jardins, numa baía do porto, é de grande beleza, e do mesmo tem-se excelente vista da cidade, da casa de ópera e da ponte.
Hyde Park é um parque de tamanho médio, no centro, muito popular entre os trabalhadores locais.
Centennial Park (Parque do Centenário), grande parque no leste de Sydney, perto de Paddington, com animais à solta e zona de recreio e lazer.
Taronga Zoo, o principal jardim zoológico, em Mosman, a 15 minutos por ferry de Circular Quay, com uma completa colecção de animais da Ásia, África e Austrália.

Geografia
Topografia


A área urbana de Sydney está em uma bacia costeira delimitada pelo Oceano Pacífico a leste, pelas Montanhas Azuis a oeste, pelo rio Hawkesbury ao Norte e do Royal National Park ao Sul. Localiza-se sobre um litoral submergido, onde o nível do oceano subiu formando profundos vales fluviais (Ria) esculpidos no arenito. Port Jackson, mais conhecido como Baía de Sydney, segue esses critérios e é o maior porto natural do mundo. A área de Sydney não é afetada por sismos significativos. A área urbana tem cerca de 70 portos e praias oceânicas, incluindo a famosa Bondi Beach. A área urbana de Sydney abrangia 1.687 km² em 2001. A divisão estatística de Sydney, usada para dados censitários, é não oficialmente a área metropolitana e abrange 12.145 km². Este área inclui o Central Coast, as Montanhas Azuis, e parques nacionais e outras áreas não urbanizadas.
Geograficamente, Sydney recai sobre duas regiões: o Cumberland Plain, uma região relativamente plana situada a sul e oeste do porto, e Hornsby Plateau, um planalto arenítico sobretudo a norte do porto e dissecado por vales íngremes. As partes da cidade mais antigas estão localizadas em áreas de planície ao sul do porto. A região de North Shore foi a mais lenta a se desenvolver por causa de sua topografia acidentada e falta de acesso em todo o porto. A Ponte da Baía de Sydney foi inaugurada em 1932 para ligar North Shore ao resto da cidade.
Clima
Sydney localiza-se em uma área de clima subtropical úmido, numa latitude aproximada do ponto mais meridional do Brasil e semelhante à da Madeira (no hemisfério Norte). O inverno é moderado, com temperatura média de 12°C. Embora a temperatura na área central raramente caia abaixo de 10 °C no inverno, em subúrbios mais afastados e próximos das montanhas a Oeste (Montanhas Azuis), como Penrith e Campbelltown, temperaturas próximas a zero ou mesmo negativas são comuns. O verão é quente, com temperatura média de 23 °C, embora em alguns dias a temperatura ultrapasse os 40 °C. Em tais dias, moradores e milhares de turistas australianos e estrangeiros lotam as belas praias da cidade, como Manly, Bondi, Coogee, e Maroubra.
Política
Com excepção do Conselho do Condado de Cumberland (1945–1964), nunca existiu uma entidade única de governo local que abarcasse a área metropolitana de Sydney. É o governo estadual da Nova Gales do Sul que controlada directamente a administração da área metropolitana no que se refere, por exemplo, aos transportes públicos, às vias de comunicação principais, ao controlo do tráfego, ao policiamento, ao ensino e ao planeamento de grandes infraestruturas.
A área metropolitana está dividida em 38 zonas de administração local nas quais o governo estadual delega alguns poderes mais locais como, por exemplo, o planeamento urbano e a recolha de resíduos sólidos urbanos. Estas zonas, as designadas Local Government Areas (LGA), são governadas por conselhos locais eleitos.
A Cidade de Sydney (City of Sydney) propriamente dita é uma das 38 LGA. Inclui o centro financeiro e alguns subúrbios mais centrais, tal como South Sydney. A cidade é governada pelo Lord Mayor de Sydney e por um conselho local. O Lord Mayor é, muitas vezes, considerado o representante de toda a área metropolitana, como foi, por exemplo, o caso durante a realização dos Jogos Olímpicos de 2000 .

Economia
Os maiores setores econômicos de Sydney, conforme medido pelo número de pessoas empregadas, incluem bens e serviços prestados às empresas, comércio, indústria, saúde e serviços comunitários. Desde a década de 1980, os postos de trabalho foram transferidos para a produção de serviços e setores de informação. Sydney é responsável por aproximadamente 25% do total do PIB do país. A Australian Securities Exchange e o Reserve Bank of Australia estão localizados em Sydney, assim como a sede de 90 bancos e mais de metade das principais companhias da Austrália, além das sedes regionais de cerca de 500 empresas multinacionais. Das dez maiores corporações da Austrália (com base nas receitas), quatro têm sede em Sydney (Austrália Caltex, o Commonwealth Bank, Westpac e Woolworths). A Fox Studios Austrália possui grandes estúdios de cinema na cidade. A Sydney Futures Exchange (SFE) é uma das maiores da região em futuros financeiros e opções de intercâmbio, com 64,3 milhões de contratos negociados em 2005. É o 12 º maior mercado futuro do mundo e o 19.º maior incluindo opções.
A cidade possui a maior mediana da renda familiar de qualquer grande cidade da Austrália. Segundo o levantamento The Economist Intelligence Unit's Worldwide sobre custo de vida, Sydney é a 16.ª cidade mais cara do mundo, enquanto a UBS classifica a cidade como Sydney 15ª no mundo em termos de lucro líquido. Em 20 de Setembro de 2007, Sydney tinha maior preço médio de casas do que qualquer outra capital australiana, US$ 559.000. Sydney também tem a maior renda média em preços do qualquer outra cidade, 450 dólares australianos por semana. Um relatório publicado pela OCDE em Novembro de 2005, mostra que a Austrália tem os mais altos preços de habitação do mundo ocidental quando medido rendimentos com aluguéis. Sydney é classificada como uma cidade global "beta" pela Globalization and World Cities Study Group and Network.
Transportes

A maioria dos habitantes de Sydney utilizam automóveis através do sistema de estradas e auto-estradas. O mais importante tronco viário na zona urbana são as nove Metroads, que incluem os 110 km da Rede Orbital de Sydney. Sydney é servida também por uma extensa frota de táxis, ônibus e balsas.
A rede ferroviária de Sydney é gerida pela CityRail, uma empresa do governo da Nova Gales do Sul. Os comboios circulam dos subúrbios e, em seguida, convergem para o centro financeiro da cidade.

Sydney possui uma linha light rail privada operada pela empresa Metro Light Rail, percorrendo um trecho entre a Estação Central e o pequeno subúrbio de Lilyfield. Há também uma pequena monorail, loacalizada ao redor do principal distrito comercial e Darling Harbour. Sydney foi outrora servida por uma extensa rede de bondes, que foi progressivamente encerrada durante as décadas de 1950 e 1960. A maioria das partes da área metropolitana é servida por ônibus, muitos seguindo as antigas rotas dos bondes. A construção de uma rede de ônibus rápidos em áreas que não eram bem servidas por transportes públicos começou em 1999, a primeira delas, a Liverpool-Parramatta Bus Rapid Transitway, foi inaugurada em fevereiro de 2003.
O Aeroporto de Sydney, no subúrbio de Mascot, é o principal aeroporto da cidade e um dos mais antigos aeroportos operados continuamente em todo o mundo. O menor, o Aeroporto Bankstown, serve essencialmente para voos privados e de aviação geral. A questão da necessidade de um segundo aeroporto na cidade tem suscitado muita controvérsia. O resultado da expansão do aeroporto internacional da cidade teria um impacto substancial sobre a comunidade, incluindo o ruído das aeronaves adicionais que afetam os residentes.
Cultura
Religião
Cristãos formam de longe o maior grupo religioso na região metropolitana de Sydney, incluindo 67% dos moradores. 30,3% dos habitantes declaram-se católicos, 18,8% anglicanos, e 4,8% ortodoxos. Apenas 10,4% dos habitantes declaram-se não-cristãos. Outros 11,9% dizem não seguir religião alguma.
Turismo



Melbourne

Melbourne é a capital e a maior cidade do estado de Victória, na Austrália. É a segunda maior região metropolitana do país e está localizada na costa sul australiana. É um grande centro industrial, possuindo indústrias de construção naval, de maquinaria agrícola, têxtil e de objectos elétricos, comercial, exportando algodão e bens agrícolas e agro-industriais e de transportes, a cidade é um dos principais pólos econômicos do país. Há cerca de 62 mil habitantes na cidade propriamente dita e além disso há mais de 3,7 milhões de habitantes na sua região metropolitana.
Foi fundada em 1835 e a capital da federação entre 1901 e 1927. Sediou os Jogos Olímpicos de Verão de 1956 e é considerada uma cidade global beta + pela Loughborough University. A cidade recebe anualmente mais de um milhão de turistas estrangeiros e mais de 7 milhões de australianos, sendo um dos principais destinos turísticos do país. Existem vários pontos de interesse, como as Torres Rialto, e a Torre Eureka, para além de vários parques, museus, entre outras atrações.


História
Foi fundada em 1835 e a sua designação actual foi atribuída dois anos mais tarde por Lorde Melbourne.
Melbourne teve dois grandes ciclos de desenvolvimento. O primeiro foi na década de 1850, impulsionado pela procura do ouro, que originou um grande crescimento da cidade, de tal forma que ultrapassou Sydney e tornou-se a capital temporária e sede do governo australiano, entre 1901 e 1927.
O segundo acontecimento que proporcionou o seu desenvolvimento foi o incentivo dado pelo Governo à imigração após a Segunda Guerra Mundial, nomeadamente de europeus, mas também de asiáticos, assim como o acontecimento desportivo importante que foi a realização dos Jogos Olímpicos de Verão de 1956.
Atualmente Melbourne é umas das cidades do mundo com maior qualidade de vida.
Geografia
Melbourne localiza-se no sudeste da Austrália. A cidade é atravessada pelo Rio Yarra, situando-se junto a Port Phillip. Melbourne é uma cidade australiana típica, com baixa densidade demográfica na sua área metropolitana. Tem vários parques e jardins, muitos dos quais junto ao centro da cidade. O clima é temperado.
Clima
O clima de Melbourne é temperado oceânico, com precipitações uniformes durante o ano inteiro. As estações do ano são bem definidas.
Durante o inverno, há muitos dias nublados e chuvosos, mas a chuva geralmente é leve, então o acumulado não é grande. Devido à esses dias nublados, a temperatura pouco varia ao longo do dia. Às vezes, massas de ar de origem polar atingem a região e faz a temperatura cair para abaixo de zero durante à madrugada.
No verão, apesar de a quantidade média de chuva registrada ser idêntica à do inverno, a umidade é, em média, um pouco menor do que no inverno, já que a tendência é de vento vir de norte. O número de dias ensolarados também é maior, permitindo que a temperatura se eleve bastante em dias mais secos.
Demografia
Melbourne é uma cidade multicultural. Uma importante percentagem dos seus habitantes nasceu no estrangeiro. Atualmente a população da cidade é de cerca de 3,7 milhões habitantes, sendo esperado que atinja a marca dos 4,5 milhões em 2030. A cidade concentra cerca de 70% dos habitantes do estado de Victoria.

Economia
Melbourne é um importante centro comercial e industrial. O seu porto é o mais movimentado da Austrália. O turismo tem uma grande importância na economia da cidade.
Infra-estrutura
A cidade conta com cerca de 30 hospitais na sua área metropolitana. Além disso, Melbourne tem um sistema de transportes públicos de referência, apesar de a maioria das viagens ser feita em transporte particular.
Educação
A cidade destaca-se pela existência da Universidade de Melbourne, fundada em 1853, a Universidade Monash, fundada em 1958, Universidade RMIT, fundada em 1887 e a Universidade La Trobe, fundada em 1964, possuindo também um Colégio Técnico e uma conhecida escola de ballet.
Transportes
Melbourne possui um sistema integrado de transporte público conhecido como Metlink, originalmente implantando no século 19 quando trens e bondes eram o principal meio de transporte para os subúrbios. Nos idos de 1950 observou-se um aumento no número de transportes particulares e construção de rodovias. Esta tendência tem continuado através dos governos mesmo com o aumento dos congestionamentos. O resultado tem sido uma queda significativa no uso do transporte público comparado aos idos de 1940 onde o nível de utilização era de 25% comparados aos atuais 9%. O sistema de transporte público de Melbourne foi privatizado em 1999.

Chinatown (Bairro Chinês de Sydney) está no sul do centro da cidade e é o centro cultural para a comunidade chinesa de Sydney. Esta comunidade tem vivido nesta parte da cidade desde o século XVIII. Hoje não é um centro residencial mas um centro cultural e comercial. Há muitas empresas de outras partes da Ásia. Muitas pessoas de origem chinesa vivem noutras partes de Sydney, como Chatswood, Strathfield e Hurstville (estes bairros também têm centros comerciais chineses). Na Chinatown, o grande mercado de Paddy’s Market é um centro de actividade aos fins-de-semana.

Além das linhas de ônibus, a cidade conta com o transporte através de bondes, conhecidos como trams.

A malha ferroviária possui mais de 15 linhas. Flinders Street Station, a mais importante estação e ponto de encontro foi eleita em 1926 como a mais congestionada estação de passageiros do mundo.
O Porto de Melbourne, considerado o maior e o mais movimentado porto de containers e cargas em geral na Australia. Em 2007, foi registrado um trânsito de 2 milhões de containers em um período de 12 meses, fazendo dele um dos 4 maiores portos do hemisfério sul. Station Pier na baia de Port Phillip recebe navios de cruzeiro e a famosa balsa Spirit of Tasmania que atravessa de Bass Strait até a Tasmânia.
Melbourne tem quatro aeroportos. Aeroporto Internacional de Melbourne localizado na Tullamarine corresponde ao principal aeroporto nacional e internacional da cidade, com operações da (Qantas, Virgin Blue e Jetstar). Tullamarine também é a sede das empresas de baixo custo Jetstar e Tiger Airways Australia. Avalon Airport, localizado entre Melbourne e Geelong, corresponde a base secundaria da Jetstar. Também utilizada para cargas e manutenção de aeronaves. Moorabbin Airport considerado um aeroporto importante para aviação em geral, localizado no sudoeste da cidade. Essendon Airport, antigamente o principal aeroporto da cidade, antes da construção do aeroporto em Tullamarine, suporta aviação em geral e operações de cargas.
Cultura
Na cidade celebram-se vários eventos culturais anuais. Em Melbourne existem ainda vários pontos de interesse. São de destacar a Galeria Nacional, o Centro de Arte Vitoriana, o Jardim Botânico, a prática de desportos aquáticos na baía e pista de Fórmula 1, no Albert Park. Melbourne é considerada a capital cultural da AustráliaPredefinição:Cacrece de fontes.
Esportes
Melbourne já foi sede da Olimpíadas de 1956 e dos Jogos da Commonwealth de 2006, tendo como principal referência o estádio Melbourne Cricket Ground, usado em ambas as edições dos torneios é considerado patrimônio cultural da cidade e a vila olímpica próxima ao Albert Park, foi na região onde nasceu o esporte mais popular da Austrália, o futebol australiano, a final da Australian Football League sempre é disputada no Melbourne Cricket Ground. Melbourne também recebe um dos quatro torneios do Grand Slam da ATP (Associação dos Tenistas Profissionais). O Australian Open é disputado na cidade desde 1972, torneio que até 1988 era disputado em quadras de grama quando foi substituída pelo Rebound Ace.


Referência para busca:
Austrália australiana inglês oceania
Fotos de Austrália.

Indicar ao amigo(a) Página anterior

Curta nossa página
 
Publicidade





Recados - Frases - Receitas - Resumo de Novelas - Webix - Recados para Facebook - Dicionário Português - Capas para Facebook

Política de Privacidade
nódoa
©2007 - 2016 .: Mix Planet :.