PaÝses MixPlanet

Capas para Facebook


PaÝses

AfeganistŃo
┴frica do Sul
AlbÔnia
Alemanha
Andorra
Angola
Antigua e Barbuda
Arßbia Saudita
ArgÚlia
Argentina
Armŕnia
Austrßlia
┴ustria
AzerbaijŃo
Bahamas
Bangladesh
Barbados
BÚlgica
Belize
Benin
Bielorr˙ssia
BolÝvia
Bˇsnia e Herzegovina
Botsuana
Brasil
Brunei
Bulgßria
Burkina Fasso
Burundi
ButŃo
Cabo Verde
Camar§es
Camboja
Canadß
Catar
CazaquistŃo
Chade
Chile
China
Chipre
Cingapura
Col˘mbia
Comores
Congo
CorÚia do Norte
CorÚia do Sul
Costa do Marfim
Costa Rica
Croßcia
Cuba
Dinamarca
Djibuti
Dominica
Egito
El Salvador
Emirados ┴rabes Unidos
Equador
EritrÚia
Escˇcia
Eslovßquia
Eslovŕnia
Espanha
Estados Unidos da AmÚrica
Est˘nia
Etiˇpia
FederašŃo Russa
Fiji
Filipinas
FinlÔndia
Franša
GabŃo
GÔmbia
Gana
Geˇrgia
Granada
GrÚcia
Guatemala
Guiana
Guiana Francesa
GuinÚ
GuinÚ Equatorial
GuinÚ-Bissau
Haiti
Holanda
Honduras
Hungria
Iŕmen
Ilhas Marshall
Ilhas SalomŃo
═ndia
IndonÚsia
IrŃ
Iraque
Irlanda
Irlanda do Norte
IslÔndia
Israel
Itßlia
Jamaica
JapŃo
JordÔnia
Kiribati
Kuweit
Laos
Lesoto
Let˘nia
LÝbano
LibÚria
LÝbia
Liechtenstein
LituÔnia
Luxemburgo
Maced˘nia
Madagßscar
Malßsia
MalauÝ
Maldivas
Mali
Malta
Marrocos
MaurÝcio
MauritÔnia
MÚxico
Mianmar
MicronÚsia
Mošambique
Moldßvia
M˘naco
Mongˇlia
NamÝbia
Nauru
Nepal
Nicarßgua
NÝger
NigÚria
Noruega
Nova ZelÔndia
OmŃ
Palau
Panamß
Papua Nova GuinÚ
PaquistŃo
Paraguai
Peru
Pol˘nia
Portugal
Quŕnia
QuirguistŃo
Reino Unido
Rep˙blica Centro-Africana
Rep˙blica Dominicana
Rep˙blica Tcheca
Romŕnia
Ruanda
Samoa
San Marino
Santa L˙cia
SŃo CristovŃo e NÚvis
SŃo TomÚ e PrÝncipe
SŃo Vicente e Granadinas
Seicheles
Senegal
Serra Leoa
SÚrvia e Montenegro
SÝria
Somßlia
Sri Lanka
SuazilÔndia
SudŃo
SuÚcia
SuÝša
Suriname
TadjiquistŃo
TailÔndia
Taiwan (Formosa)
TanzÔnia
Togo
Tonga
Trinidad e Tobago
TunÝsia
TurcomenistŃo
Turquia
Tuval˙
UcrÔnia
Uganda
Uruguai
UzbequistŃo
Vanuatu
Vaticano
Venezuela
VietnŃ
ZAIRE (Rep˙blica Democrßtica do Congo)
ZÔmbia
Zimbßbue


D˙vidas >?<
Fale Conosco

Parceiros
Webix
Recados
Frases
Receitas
Novelas
Recados para Facebook
Arm´┐Żnia

Scraps para Orkut

Arm´┐Żnia



DADOS PRINCIPAIS:
Nome oficial: Rep´┐Żblica da Arm´┐Żnia (Hayastani Hanrapetut'yun).
Nacionalidade: arm´┐Żnia.
Data nacional: 28 de maio (Independ´┐Żncia).
Capital: Yerevan.
Cidades principais: Yerevan (1.283.000) (1991); Gyumri (206.600), Vanadzor (Kirovakan) (170.200) (1990).
Idioma: arm´┐Żnio (oficial), curdo.
Religi´┐Żo: cristianismo (maioria apost´┐Żlica arm´┐Żnia) (1991).
Densidade: 117,45 hab./km2.

GEOGRAFIA:
Localiza´┐Ż´┐Żo: extremo leste da Europa.
´┐Żrea: 29.800 km2.
Clima: temperado continental.
´┐Żrea de floresta: 3 mil km2 (1995).

POPULA´┐Ż´┐ŻO:
Total: 3,5 milh´┐Żes (2000), sendo arm´┐Żnios 93%, azeris 3%, russos 2%, outros 2% (1996).
Popula´┐Ż´┐Żo urbana: 69% (1998).
Popula´┐Ż´┐Żo rural: 21% (1998).
Crescimento demogr´┐Żfico: -0,3% ao ano (1995-2000).
Fecundidade: 1,7 filhos por mulher (1995-2000).
Expectativa de vida M/F: 67/74 anos (1995-2000).
Mortalidade infantil: 26 por mil nascimentos (1995-2000).
Analfabetismo: 2% (1998).
IDH (0-1): 0,721 (1998).

POL´┐ŻTICA:
Forma de governo: Rep´┐Żblica parlamentarista.
Divis´┐Żo administrativa: 11 regi´┐Żes (incluindo a capital, Yerevan) subdivididas em comunidades.
Principais partidos: coaliz´┐Żo Bloco da Unidade (Republicano da Arm´┐Żnia, NHK; do Povo da Arm´┐Żnia, HZhK), Comunista da Arm´┐Żnia (HKK), da Direita, Bloco do Acordo (IM).
Legislativo: unicameral - Assembl´┐Żia Nacional, com 131 membros eleitos por voto direto para mandato de 4 anos.
Constitui´┐Ż´┐Żo em vigor: 1995.

ECONOMIA:
Moeda: dram.
PIB: US$ 1,9 bilh´┐Żo (1998).
PIB agropecu´┐Żria: 33% (1998).
PIB ind´┐Żstria: 32% (1998).
PIB servi´┐Żos: 35% (1998).
Crescimento do PIB: -4,7% ao ano (1990-1998).
Renda per capita: US$ 460 (1998).
For´┐Ża de trabalho: 2 milh´┐Żes (1998).
Agricultura: batata, legumes e verduras, trigo, cevada, uva, ma´┐Ż´┐Ż. Pecu´┐Żria: bovinos, su´┐Żnos, ovinos, aves.
Pesca: 3 mil t (1997).
Minera´┐Ż´┐Żo: cobre, molibd´┐Żnio, ouro, prata, ferro.
Ind´┐Żstria: aliment´┐Żcia, bebidas, m´┐Żquinas, metal´┐Żrgica, t´┐Żxtil, equipamentos (cient´┐Żficos), qu´┐Żmica.
Exporta´┐Ż´┐Żes: US$ 225 milh´┐Żes (1998).
Importa´┐Ż´┐Żes: US$ 895 milh´┐Żes (1998).
Principais parceiros comerciais: Federa´┐Ż´┐Żo Russa, Turcomenist´┐Żo, EUA, Ir´┐Ż, Reino Unido, B´┐Żlgica.

DEFESA:
Efetivo total: 53,4 mil (1998).
Gastos: US$ 146 milh´┐Żes (1998).

RELA´┐Ż´┐ŻES EXTERIORES:
Organiza´┐Ż´┐Żes: Banco Mundial, CEI, FMI, ONU.
Embaixada: Tel. (202) 319-1976, fax (202) 319-2982 - Washington D.C., EUA. - N´┐Żo h´┐Ż embaixada no Brasil.


A Arm´┐Żnia ou Arm´┐Żnia , denominada oficialmente de Rep´┐Żblica da Arm´┐Żnia ´┐Ż um pa´┐Żs sem costa mar´┐Żtima localizado numa regi´┐Żo montanhosa na Eur´┐Żsia, entre o mar Negro e o mar C´┐Żspio, no sul do C´┐Żucaso.

Faz fronteira com a Turquia a oeste, Ge´┐Żrgia ao norte, Azerbaij´┐Żo a leste, e com o Ir´┐Ż e com o enclave de Nakhchivan (pertencente ao Azerbaij´┐Żo) ao sul. Apesar de geograficamente estar inteiramente localizada na ´┐Żsia, a Arm´┐Żnia possui extensas rela´┐Ż´┐Żes sociopol´┐Żticas e culturais com a Europa.

Foi a menor das rep´┐Żblicas da extinta Uni´┐Żo Sovi´┐Żtica. A Arm´┐Żnia configura-se num estado unit´┐Żrio, multipartid´┐Żrio, democr´┐Żtico, com uma antiga heran´┐Ża hist´┐Żrica e cultural. Historicamente foi a primeira na´┐Ż´┐Żo a adotar o cristianismo como religi´┐Żo de Estado em 301. A Arm´┐Żnia ´┐Ż constitucionalmente um estado secular, tendo a f´┐Ż crist´┐Ż uma grande identifica´┐Ż´┐Żo com o povo. O pa´┐Żs ´┐Ż uma democracia emergente e por causa de sua posi´┐Ż´┐Żo estrat´┐Żgica, tenta conciliar alian´┐Żas com a R´┐Żssia e com o Oriente M´┐Żdio.

Entre 1915 e 1923 sofreu o que os historiadores consideram o primeiro genoc´┐Żdio do s´┐Żculo XX, perpetrado pelo Imp´┐Żrio Otomano e negado at´┐Ż hoje pela Rep´┐Żblica da Turquia. As mortes s´┐Żo estimadas em 1,5 milh´┐Żo de arm´┐Żnios e a deporta´┐Ż´┐Żo de milh´┐Żes de outros, fazendo com que a Arm´┐Żnia tenha uma di´┐Żspora gigantesca pelo mundo, de descendentes que fugindo das persegui´┐Ż´┐Żes, tomaram o rumo de pa´┐Żses como Fran´┐Ża, Estados Unidos, Argentina, Brasil, L´┐Żbano e muitos outros.

A Arm´┐Żnia ´┐Ż atualmente membro de mais de 40 diferentes organiza´┐Ż´┐Żes internacionais, incluindo a ONU, o Conselho da Europa, Banco Asi´┐Żtico de Desenvolvimento, CEI, Organiza´┐Ż´┐Żo Mundial do Com´┐Żrcio e a Organiza´┐Ż´┐Żo de Coopera´┐Ż´┐Żo Econ´┐Żmica do Mar Negro. ´┐Ż observadora da Francofonia, e do Movimento N´┐Żo-Alinhado. A Arm´┐Żnia tamb´┐Żm atua em organiza´┐Ż´┐Żes internacionais de desportos, como a FIFA, a UEFA, a Federa´┐Ż´┐Żo Internacional de H´┐Żquei no Gelo.

A Arm´┐Żnia ´┐Ż povoada desde os tempos pr´┐Ż-hist´┐Żricos e era o suposto local do Jardim do ´┐Żden b´┐Żblico. O pa´┐Żs se localiza no planalto ao entorno da montanha b´┐Żblica do Ararat. Segundo a tradi´┐Ż´┐Żo judaico-crist´┐Ż, foi o local onde a Arca de No´┐Ż encalhou ap´┐Żs o Dil´┐Żvio. Arque´┐Żlogos continuam a descobrir que o planalto arm´┐Żnio est´┐Ż no meio de locais onde estariam civiliza´┐Ż´┐Żes primitivas e talvez sejam os mesmos locais onde nasceram a agricultura e a civiliza´┐Ż´┐Żo. De 6000 a.C. a 1000 a.C., ferramentas como lan´┐Żas, machados e ninharias de cobre, bronze e ferro eram comumente produzidos na Arm´┐Żnia e trocados nas terras vizinhas onde esses metais eram menos abundantes.

A Arm´┐Żnia ´┐Ż a principal herdeira do lend´┐Żrio pa´┐Żs Aratta (Ararat), mencionado em inscri´┐Ż´┐Żes sum´┐Żrias. Na Idade do Bronze, muitos Estados floresceram na ´┐Żrea da Grande Arm´┐Żnia (ou "Arm´┐Żnia hist´┐Żrica"), incluindo o Imp´┐Żrio Hitita (o mais poderoso), o Mitanni (sudoeste da Grande Arm´┐Żnia) e Hayasa-Azzi (1500-1200 a.C.). Na ´┐Żpoca, o povo de Nairi (XII ao IX s´┐Żculos a.C.) e o reino de Urartu (1000-600 a.C.) sucessivamente estabeleceram suas soberanias no planalto Arm´┐Żnio. Cada uma das tribos e na´┐Ż´┐Żes supracitadas participaram da etnog´┐Żnese do povo arm´┐Żnio. Erevan, a moderna capital da Rep´┐Żblica da Arm´┐Żnia, foi fundada em 782 a.C. pelo rei urartiano Argishti I.

Por volta do ano 600 a.C., o reino da Arm´┐Żnia estava estabelecido sob a dinastia dos Or´┐Żntidas, a qual existiu sob diversas dinastias at´┐Ż o ano de 428. O reino chegou em seu maior tamanho entre 95 e 66 a.C. no reinado de Tigranes, o Grande, tornando-se um dos mais poderosos reinos da regi´┐Żo. Ao longo da hist´┐Żria, o reino da Arm´┐Żnia gozou de per´┐Żodos de independ´┐Żncia alternados com per´┐Żodos de submiss´┐Żo aos imp´┐Żrios contempor´┐Żneos. A Arm´┐Żnia, por sua posi´┐Ż´┐Żo estrat´┐Żgica, localizada entre dois continentes, foi sujeita a invas´┐Żes por diversos povos, incluindo ass´┐Żrios, gregos, romanos, bizantinos, ´┐Żrabes, mong´┐Żis, persas, turcos otomanos e russos.



A Arm´┐Żnia ´┐Ż povoada desde os tempos pr´┐Ż-hist´┐Żricos e era o suposto local do Jardim do ´┐Żden b´┐Żblico.8 O pa´┐Żs se localiza no planalto ao entorno da montanha b´┐Żblica do Ararate. Segundo a tradi´┐Ż´┐Żo judaico-crist´┐Ż, foi o local onde a Arca de No´┐Ż encalhou ap´┐Żs o Dil´┐Żvio. Arque´┐Żlogos continuam a descobrir que o planalto arm´┐Żnio est´┐Ż no meio de locais onde estariam civiliza´┐Ż´┐Żes primitivas e talvez sejam os mesmos locais onde nasceram a agricultura e a civiliza´┐Ż´┐Żo. De 6000 a.C. a 1000 a.C., ferramentas como lan´┐Żas, machados e ninharias de cobre, bronze e ferro eram comumente produzidos na Arm´┐Żnia e trocados nas terras vizinhas onde esses metais eram menos abundantes.

A Arm´┐Żnia ´┐Ż a principal herdeira do lend´┐Żrio pa´┐Żs Aratta (Ararate), mencionado em inscri´┐Ż´┐Żes sum´┐Żrias. Na Idade do Bronze, muitos Estados floresceram na ´┐Żrea da Grande Arm´┐Żnia (ou "Arm´┐Żnia hist´┐Żrica"), incluindo o Imp´┐Żrio Hitita (o mais poderoso), o Mitanni (sudoeste da Grande Arm´┐Żnia) e Hayasa-Azzi (1500-1200 a.C.). Na ´┐Żpoca, o povo de Nairi (XII ao IX s´┐Żculos a.C.) e o reino de Urartu (1000-600 a.C.) sucessivamente estabeleceram suas soberanias no planalto Arm´┐Żnio. Cada uma das tribos e na´┐Ż´┐Żes supracitadas participaram da etnog´┐Żnese do povo arm´┐Żnio. Erevan, a moderna capital da Rep´┐Żblica da Arm´┐Żnia, foi fundada em 782 a.C. pelo rei urartiano Argishti I.

Por volta do ano 600 a.C., o reino da Arm´┐Żnia estava estabelecido sob a Dinastia or´┐Żntida (em arm´┐Żnio, ďÁÍÇŇżŇíŇÂŇĄŇŞÍéŇÂŇźŇÂŇąÍÇ), a qual existiu sob diversas dinastias at´┐Ż o ano de 428. O reino chegou em seu maior tamanho entre 95 e 66 a.C. no reinado de Tigranes, o Grande, tornando-se um dos mais poderosos reinos da regi´┐Żo. Ao longo da hist´┐Żria, o reino da Arm´┐Żnia gozou de per´┐Żodos de independ´┐Żncia alternados com per´┐Żodos de submiss´┐Żo aos imp´┐Żrios contempor´┐Żneos. A Arm´┐Żnia, por sua posi´┐Ż´┐Żo estrat´┐Żgica, localizada entre dois continentes, foi sujeita a invas´┐Żes por diversos povos, incluindo ass´┐Żrios, gregos, romanos, bizantinos, ´┐Żrabes, mong´┐Żis, persas, turcos otomanos e russos.





O Reino da Arm´┐Żnia na sua maior extens´┐Żo, sob o reinado de Tigranes, o Grande.
Em 301, a Arm´┐Żnia se tornou o primeiro pa´┐Żs oficialmente crist´┐Żo do mundo, tomando-o como religi´┐Żo oficial de Estado,15 16 quando um n´┐Żmero de comunidades crist´┐Żs come´┐Żaram a se estabelecer na regi´┐Żo desde o ano 40. Havia v´┐Żrias comunidades pag´┐Żs antes do cristianismo, mas elas foram convertidas por influ´┐Żncias de mission´┐Żrios crist´┐Żos. Tir´┐Żdates III. Em arm´┐Żnio: ŇĆÍÇŇĄŇíŇ┐ ď│), juntamente com Greg´┐Żrio, o Iluminador (em arm´┐Żnio: ď│ÍÇŇźŇúŇŞÍÇ ď╝ŇŞÍéŇŻŇíÍéŇŞÍÇŇźŇ╣) foram os primeiros reguladores oficiais do cristianismo ao povo, conduzindo a convers´┐Żo oficial do pa´┐Żs dez anos antes de Roma emitir sua toler´┐Żncia aos crist´┐Żos por Gal´┐Żrio e 36 anos antes de Constantino I ser batizado.

Antes do decl´┐Żnio do reino arm´┐Żnio em 428, muitos arm´┐Żnios foram incorporados no per´┐Żodo masde´┐Żsta ao imp´┐Żrio dos sass´┐Żnidas (dinastia persa), regido pelo deus A´┐Żra-Masda. Ap´┐Żs uma rebeli´┐Żo arm´┐Żnia em 451 (Batalha de Avarair), os arm´┐Żnios crist´┐Żos mantiveram sua autonomia religiosa e tamb´┐Żm autonomia e direito de ser regida por uma Arm´┐Żnia mazde´┐Żsta, enquanto o outro imp´┐Żrio era regido somente pelos persas. Os mazde´┐Żstas da Arm´┐Żnia duraram at´┐Ż 630, quando a P´┐Żrsia Sass´┐Żnida foi destru´┐Żda pelo califado ´┐Żrabe.

Arm´┐Żnia Medieval





Baldu´┐Żno de Bolonha em Edessa Entrando fevereiro 1098, congratulou-se pelo cl´┐Żrigo arm´┐Żnio..



O Reino da Cil´┐Żcia, 1199-1375.


Ap´┐Żs o per´┐Żodo masde´┐Żsta (428-636), a Arm´┐Żnia emergiu como Emirado da Arm´┐Żnia, com uma relativa autonomia junto ao Imp´┐Żrio ´┐Żrabe, reunindo terras arm´┐Żnias previamente tomadas pelo Imp´┐Żrio Bizantino como dele. A principal terra era regulada pelo pr´┐Żncipe da Arm´┐Żnia, reconhecido pelo califa e pelo imperador bizantino. Era parte da divis´┐Żo administrativa Arminiyya, criada pelos ´┐Żrabes, que inclu´┐Ża partes da Ge´┐Żrgia e da Alb´┐Żnia Caucasiana e tinha a capital na cidade arm´┐Żnia de Tvin (ou Dvin, em arm´┐Żnio: ď┤ҿҟŇÂ). O Principado ou Emirado da Arm´┐Żnia terminou em 884, quando os arm´┐Żnios conseguiram a independ´┐Żncia do j´┐Ż enfraquecido Imp´┐Żrio ´┐Żrabe.

O Reino da Arm´┐Żnia reemergiu sob a dinastia dos Bagratuni (em arm´┐Żnio: ď▓ŇíŇúÍÇŇíŇ┐ŇŞÍéŇÂŇÁŇíÍü ď▒ÍÇÍäŇíŇÁŇíŇ»ŇíŇ ŇĆŇŞŇ░Ň┤, transl. Bagratunyac Arqayakan Tohm, "Real Dinastina dos Bagratuni"), at´┐Ż 1045. Neste tempo, diversas ´┐Żreas da Arm´┐Żnia Bagr´┐Żtida foram separadas como independentes reinos e principados, como o reino de Vaspuracan, regido pela Casa dos Artsruni, desde que reconhecendo a soberania e supremacia dos reis da Casa dos Bagratuni.

Em 1045, o Imp´┐Żrio Bizantino conquistou a Arm´┐Żnia Bagr´┐Żtida. Logo, os demais Estados arm´┐Żnios tamb´┐Żm ca´┐Żram sob o dom´┐Żnio bizantino. O dom´┐Żnio bizantino teve uma vida curta, pois em 1071, os turcos selj´┐Żcidas derrotaram os bizantinos e conquistaram a Arm´┐Żnia na batalha de Manziquerta, estabelecendo o Imp´┐Żrio Selj´┐Żcida. Para escapar da morte ou da escravid´┐Żo nas m´┐Żos daqueles que assassinaram o rei arm´┐Żnio Gagik II, rei de Ani, um arm´┐Żnio de nome Ruben (depois Ruben I), foi com alguns conterr´┐Żneos em dire´┐Ż´┐Żo as montanhas do Taurus e fundaram Tarso, na Cil´┐Żcia. O governador bizantino do pal´┐Żcio deu-lhes o abrigo onde o Reino Arm´┐Żnio da Cil´┐Żcia foi ent´┐Żo estabelecido. Este reino foi a salva´┐Ż´┐Żo dos arm´┐Żnios, uma vez que a Grande Arm´┐Żnia f´┐Żra devastada pelos invasores.

O Imp´┐Żrio Selj´┐Żcida entrou em colapso. Nos anos 1100, os pr´┐Żncipes da nobre fam´┐Żlia arm´┐Żnia dos Zac´┐Żridas estabeleceram uma semi-independ´┐Żncia dos principados arm´┐Żnios do norte e da Arm´┐Żnia oriental (agora chamada de Arm´┐Żnia Zac´┐Żrida). A nobre fam´┐Żlia dos Orbeliadas compartilhava o controle com os Zac´┐Żridas em v´┐Żrias partes do pa´┐Żs, especialmente em Siunique e Vayots Dzor.

Dom´┐Żnio estrangeiro[editar]

Durante os anos de 1230, o Ilcanato mongol conquistou o principado dos Zac´┐Żridas, assim como o resto da Arm´┐Żnia. Os invasores mong´┐Żis vieram seguidos de outras tribos da ´┐Żsia Central, em um processo que durou dos anos 1200 at´┐Ż 1400. Ap´┐Żs incessantes invas´┐Żes, cada uma trazendo a destrui´┐Ż´┐Żo ao pa´┐Żs, a Arm´┐Żnia ficou enfraquecida. Durante o s´┐Żculo XVI, o Imp´┐Żrio Otomano e a P´┐Żrsia Saf´┐Żvida dividiram a Arm´┐Żnia entre si. Mais tarde, o Imp´┐Żrio Russo incorporou a Arm´┐Żnia oriental (que consistia de Yerevan e as terras de Karabakh, na P´┐Żrsia) em 1813 e 1828.

Sob o jugo otomano, os arm´┐Żnios tiveram relativa autonomia em seus pr´┐Żprios enclaves e viviam em relativa autonomia com os demais grupos constituintes do imp´┐Żrio (incluindo os turcos). Entretanto, os crist´┐Żos viviam em um sistema social mu´┐Żulmano estrito. Os arm´┐Żnios enfrentaram a discrimina´┐Ż´┐Żo que persistia. Quando eles reivindicaram por maiores direitos, o sult´┐Żo Abdul Hamid II, em resposta, organizou massacres e deporta´┐Ż´┐Żo de arm´┐Żnios entre os anos de 1894 e 1896, resultando uma morte estimada de 300 mil arm´┐Żnios. Os massacres hamidianos, como ficaram conhecidos, deram a fama ´┐Ż Hamid II de "Sult´┐Żo Vermelho" ou "Sult´┐Żo Sangrento".

Quando o Imp´┐Żrio Otomano entrou em colapso, os Jovens Turcos assumiram o poder em 1908. Os arm´┐Żnios, que viviam em toda a parte do at´┐Ż ent´┐Żo Imp´┐Żrio Otomano, depositaram as suas esperan´┐Żas no Comit´┐Ż Uni´┐Żo e Progresso, criado pelos Jovens Turcos, como caminho para o fim das mortes e persegui´┐Ż´┐Żes aos arm´┐Żnios e que eles deixariam de ser cidad´┐Żos de segunda classe. Por´┐Żm, o pacote de reformas para os arm´┐Żnios de 1914 apresentaria a solu´┐Ż´┐Żo definitiva para os ensejos arm´┐Żnios e para toda a quest´┐Żo arm´┐Żnia da pior forma poss´┐Żvel.


Sult´┐Żo Abdul Hamid II aqui descrito como o carniceiro dos arm´┐Żnios.




Um cartaz de angaria´┐Ż´┐Żo de fundos para o Comit´┐Ż Americano para o Socorro em Oriente M´┐Żdio, destinada a ajudar as v´┐Żtimas do genoc´┐Żdio arm´┐Żnio.
Ver artigo principal: Genoc´┐Żdio arm´┐Żnio

Com o advento da Primeira Guerra Mundial, o Imp´┐Żrio Otomano e o Imp´┐Żrio Russo ocuparam o C´┐Żucaso durante a "Campanha Persa", o novo governo turco come´┐Żou a olhar para os arm´┐Żnios com d´┐Żvidas e suspeitas. Isso era conveniente com o fato do Imp´┐Żrio Russo ter em seu ex´┐Żrcito um contingente de volunt´┐Żrios arm´┐Żnios. Em 24 de abril de 1915, cerca de 600 intelectuais arm´┐Żnios foram presos e exterminados a mando de autoridades otomanas, e, com a lei Tehcir (29 de maio de 1915), uma grande parcela da popula´┐Ż´┐Żo arm´┐Żnia que vivia na Anat´┐Żlia come´┐Żou a ser deportada e privada de seus bens, em um processo que levou a morte de cerca de 1,5 milh´┐Żo de arm´┐Żnios.

Este evento aqui iniciado ficaria conhecido como genoc´┐Żdio arm´┐Żnio. Havia uma resist´┐Żncia arm´┐Żnia na regi´┐Żo, desenvolvida contra a atividade otomana. Os eventos de 1915 a 1923 s´┐Żo considerados pelos arm´┐Żnios e pela maioria dos historiadores ocidentais como um assassinato em massa patrocinado pelo estado, ou genoc´┐Żdio.

Entretanto, como a Turquia, herdeira direta do Imp´┐Żrio Otomano e que insiste na nega´┐Ż´┐Żo do genoc´┐Żdio arm´┐Żnio, ´┐Ż uma forte aliada ocidental na ´┐Żsia Menor e Oriente M´┐Żdio, tanto os governos dos Estados Unidos como da Gr´┐Ż-Bretanha s´┐Żo lac´┐Żnicos na categoriza´┐Ż´┐Żo do massacre dos arm´┐Żnios como genoc´┐Żdio.

Autoridades turcas afirmam que as mortes s´┐Żo provenientes de uma guerra civil, acompanhada das doen´┐Żas e fome que assolaram o Imp´┐Żrio Otomano no in´┐Żcio do s´┐Żculo XX, com baixas tanto para arm´┐Żnios quanto para turcos. As estimativas de mortos variam entre 650 mil e 1,5 milh´┐Żo, sendo esta ´┐Żltima cifra a mais aceita pelos historiadores ocidentais e mesmo por alguns intelectuais dissidentes turcos, como Orhan Pamuk, Nobel de Literatura em 2006 e Taner Akcam, professor da Universidade de Minnesota.

A Arm´┐Żnia tem feito campanhas para o reconhecimento do genoc´┐Żdio no mundo por trinta anos. Esses eventos s´┐Żo tradicionalmente realizados no dia 24 de abril, data que marca o in´┐Żcio do genoc´┐Żdio arm´┐Żnio.

Embora o ex´┐Żrcito russo tenha obtido mais ganhos do que o ex´┐Żrcito otomano durante a Primeira Guerra Mundial, esta vantagem fora perdida com o advento da Revolu´┐Ż´┐Żo Russa de 1917. Neste momento, a R´┐Żssia controlava a Arm´┐Żnia oriental, Ge´┐Żrgia e Azerbaij´┐Żo, criando uma liga´┐Ż´┐Żo com a Rep´┐Żblica Democr´┐Żtica da Transcauc´┐Żsia em 28 de maio.





Divis´┐Żo Pol´┐Żtica da Europa em 1919, mostrando a independente Rep´┐Żblica da Arm´┐Żnia.
Rep´┐Żblica Democr´┐Żtica da Arm´┐Żnia



Infelizmente, a vida curta da RDA independente deveu-se aos perigos da guerra, disputas territoriais, um massivo fluxo de refugiados da Arm´┐Żnia Otomana, espalhando doen´┐Żas e famintos. A Tr´┐Żplice Entente alarmada pelos horrores do Imp´┐Żrio Otomano procurou ajudar o rec´┐Żm-formado estado Arm´┐Żnio a arrecadar fundos e outras formas de se sustentar.

Com o fim da guerra, a vitoriosa Entente procurou dividir o Imp´┐Żrio Otomano. Assinado entre as pot´┐Żncias aliadas e o as autoridades otomanas em 10 de agosto de 1920 em S´┐Żvres, o Tratado de S´┐Żvres previa manter independente a RDA e anexar os territ´┐Żrios da Arm´┐Żnia Ocidental. Pelas novas fronteiras terem sido desenhadas pelo presidente americano Woodrow Wilson, este territ´┐Żrio apontado pelo Tratado ficou conhecido como "Arm´┐Żnia Wilsoniana". Nesta ´┐Żpoca, foi considerada a possibilidade da Arm´┐Żnia se tornar um protetorado dos Estados Unidos. O tratado, entretanto, foi rejeitado pelo Movimento Nacional Turco e nunca entrou em vigor. O movimento, liderado por Mustafa Kemal Ataturk, usou o tratado como pretexto para legitimar-se no poder da Turquia, derrubando a monarquia sediada em Istambul e instaurando a Rep´┐Żblica da Turquia, com capital em Ancara.

Em 1920, for´┐Żas nacionalistas turcas invadiram a Rep´┐Żblica da Arm´┐Żnia pelo leste e teve in´┐Żcio a Guerra Turco-Arm´┐Żnia. For´┐Żas turcas sob o comando de Kaz´┐Żm Karabekir conquistaram territ´┐Żrios arm´┐Żnios que a R´┐Żssia anexou em conseq´┐Ż´┐Żncia da Guerra Russo-Turca de 1877-1878, e ocuparam a antiga cidade de Alexandropol (atual Gyumri). O violento conflito foi encerrado com o Tratado de Alexandropol em 2 de dezembro de 1920. O tratado for´┐Żou os arm´┐Żnios a se desmilitarizarem, ceder mais de 50% de seu territ´┐Żrio de antes da guerra e abrir m´┐Żo da Arm´┐Żnia Wilsoniana, garantida pelo Tratado de S´┐Żvres. Simultaneamente, o 11´┐Ż Ex´┐Żrcio Sovi´┐Żtico, sob o comando de Grigoriy Ordzhonikidze, invadiu a Arm´┐Żnia por Karavansarai (atual Ijevan) em 29 de novembro. Em 4 de dezembro, as for´┐Żas de Ordzhonikidze entraram em Yerevan e a curta vida da Rep´┐Żblica Democr´┐Żtica da Arm´┐Żnia teve fim.





Bras´┐Żo de armas da Rep´┐Żblica Socialista Sovi´┐Żtica da Arm´┐Żnia (Arm´┐Żnia na Uni´┐Żo Sovi´┐Żtica) com o Monte Ararate representado ao centro.
Arm´┐Żnia Sovi´┐Żtica.


A Arm´┐Żnia foi anexada pela R´┐Żssia bolchevista e juntamente com Ge´┐Żrgia e Azerbaij´┐Żo, foi incorporada ´┐Ż URSS como parte da Rep´┐Żblica Federativa Socialista Sovi´┐Żtica Transcaucasiana em 4 de mar´┐Żo de 1922. Com essa anexa´┐Ż´┐Żo, o Tratado de Alexandropol foi suplantado pelo turco-sovi´┐Żtico Tratado de Kars. No acordo, a Turquia permitiu ´┐Ż Uni´┐Żo Sovi´┐Żtica assumir o controle sob Adjara com o porto da cidade de Batumi, com o retorno da soberania de cidades como Kars, Ardahan e I´┐Żd´┐Żr, que pertenciam ´┐Ż Arm´┐Żnia Russa.

A RFSST existiu de 1922 at´┐Ż 1936, quando ela foi dividida em tr´┐Żs rep´┐Żblicas intituladas RSS da Arm´┐Żnia, RSS da Ge´┐Żrgia e RSS do Azerbaij´┐Żo. Os arm´┐Żnios desfrutaram de um per´┐Żodo de relativa estabilidade sob o jugo sovi´┐Żtico. Eles recebiam medicamentos, comida, e outras provis´┐Żes de Moscou, e o governo sovi´┐Żtico provou ser um "b´┐Żlsamo calmante" em contraste com os ´┐Żltimos anos do Imp´┐Żrio Turco-Otomano. A situa´┐Ż´┐Żo era dif´┐Żcil para a Igreja, estranguladas pelas normas anticlericais sovi´┐Żticas. Ap´┐Żs a morte de Lenin, St´┐Żlin tomou as r´┐Żdeas do poder e recome´┐Żou o per´┐Żodo de terror para os arm´┐Żnios. Como v´┐Żrias outras etnias minorit´┐Żrias que viviam na URSS durante o per´┐Żodo do Grande Expurgo de Stalin, dezenas de milhares de arm´┐Żnios foram executados ou deportados.

O medo diminuiu quando Stalin morreu em 1953 e Nikita Khruschev assumiu o poder na URSS. Logo, a vida na Arm´┐Żnia Sovi´┐Żtica sofreu uma r´┐Żpida melhora. A Igreja que sofria com as persegui´┐Ż´┐Żes de St´┐Żlin, foi restaurada quando o Catholicos Vasken I assumiu as fun´┐Ż´┐Żes de seu cargo em 1955. Em 1967, um memorial para as v´┐Żtimas do genoc´┐Żdio arm´┐Żnio foi constru´┐Żdo nas colinas de Tsitsernakaberd acima do c´┐Żnion de Hrazdan, em Erevan. Isto aconteceu depois que a Demonstra´┐Ż´┐Żo em massa de Yerevan exigiu que tomassem atitudes para rememorar as v´┐Żtimas do Genoc´┐Żdio no seu 50´┐Ż anivers´┐Żrio.

Durante a era Gorbachev, nos anos 1980, com as reformas da glasnost e perestroika, os arm´┐Żnios come´┐Żaram a exigir melhores cuidados ambientais com seu pa´┐Żs, opondo ´┐Ż polui´┐Ż´┐Żo que as f´┐Żbricas sovi´┐Żticas produziam. Tens´┐Żes tamb´┐Żm se desenvolveram entre o Azerbaij´┐Żo Sovi´┐Żtico e o distrito aut´┐Żnomo de Nagorno Karabakh, majoritariamente habitado por arm´┐Żnios, separado da Arm´┐Żnia por St´┐Żlin em 1923. Os arm´┐Żnios residentes em Karabakh reivindicaram a unifica´┐Ż´┐Żo com a Arm´┐Żnia Sovi´┐Żtica. Protestos pac´┐Żficos em Erevan apoiavam os arm´┐Żnios de Karabakh que se encontravam sob pogroms antiarm´┐Żnios na cidade azeri de Sumgait. Compondo os problemas da Arm´┐Żnia, um terremoto devastador atingiu o pa´┐Żs em 1988, com uma escala sismol´┐Żgica de 7.2.18





Arm´┐Żnios reunidos na Opera House, no centro de Erevan para protestar contra a pol´┐Żtica sovi´┐Żtica, em 1988.
A inabilidade de Mikhail Gorbachev de resolver os problemas da Arm´┐Żnia (especialmente Karabakh) criou desilus´┐Żes entre os arm´┐Żnios e apenas alimentou o desejo crescente de independ´┐Żncia. Em maio de 1990, o Novo Ex´┐Żrcito Arm´┐Żnio (NEA) foi estabelecido, servindo como for´┐Ża de defesa separatista do Ex´┐Żrcito Vermelho sovi´┐Żtico. Choques logo aconteceram entre o NEA e as tropas da For´┐Ża Sovi´┐Żtica de Defesa do Interior, baseadas em Yerevan, quando os arm´┐Żnios decidiram comemorar o estabelecimento da Rep´┐Żblica Democr´┐Żtica da Arm´┐Żnia de 1918. A viol´┐Żncia resultou na morte de cinco arm´┐Żnios baleados na esta´┐Ż´┐Żo de trem, pela For´┐Ża Sovi´┐Żtica. Testemunhas acusaram a For´┐Ża Sovi´┐Żtica de usar for´┐Ża excessiva e de ter instigado a viol´┐Żncia. Mais atritos aconteceram entre os milicianos arm´┐Żnios e as tropas sovi´┐Żticas em Sovetashen, pr´┐Żxima ´┐Ż capital, e resultou na morte de 26 pessoas, a maioria civis arm´┐Żnios. Em 17 de mar´┐Żo de 1991, a Arm´┐Żnia, junto com os Pa´┐Żses B´┐Żlticos, Ge´┐Żrgia e Mold´┐Żvia, boicotaram um referendo onde 78% dos votos eram para a reten´┐Ż´┐Żo da URSS, por´┐Żm ap´┐Żs uma reforma.

Restabelecimento da independ´┐Żncia

Em 1991, a Uni´┐Żo Sovi´┐Żtica se fragmentou e a Arm´┐Żnia restabeleceu sua independ´┐Żncia. Declarando-se independente em 23 de agosto, sendo a primeira rep´┐Żblica n´┐Żo-b´┐Żltica a se desassociar. No entanto, os primeiros anos p´┐Żs-sovi´┐Żticos foram assolados por dificuldades econ´┐Żmicas bem como pelo come´┐Żo repentino em grande escala de um confronto armado entre arm´┐Żnios de Karabakh e azeris. Os problemas econ´┐Żmicos tiveram origem no in´┐Żcio do conflito de Karabakh, quando a Frente Popular do Azerbaij´┐Żo conseguiu pressionar a RSS do Azerbaij´┐Żo a impor um bloqueio ferrovi´┐Żrio e a´┐Żreo contra a Arm´┐Żnia. Essa medida enfraqueceu efetivamente a economia arm´┐Żnia, pois 85% de seus produtos e mercadorias chegavam atrav´┐Żs do tr´┐Żfego ferrovi´┐Żrio. Em 1993, a Turquia adere ao bloqueio contra a Arm´┐Żnia em apoio ao Azerbaij´┐Żo.

A guerra de Karabakh terminou ap´┐Żs um cessar-fogo intermediado pela R´┐Żssia estabelecido em 1994. A guerra foi um sucesso para as For´┐Żas Armadas de Karabakh que asseguraram 14% do territ´┐Żrio azerbaijano. Desde ent´┐Żo, Arm´┐Żnia e Azerbaij´┐Żo t´┐Żm participado de conversas de paz, mediadas pela Organiza´┐Ż´┐Żo para a Seguran´┐Ża e Coopera´┐Ż´┐Żo na Europa (OSCE). O status de Karabakh est´┐Ż sendo ainda determinado. A economia de ambos pa´┐Żses t´┐Żm sido afetadas na falta de uma resolu´┐Ż´┐Żo definitiva e as fronteiras azeri e turca permanecem fechadas para a Arm´┐Żnia.

Ao entrar no s´┐Żculo XXI a Arm´┐Żnia enfrenta grandes dificuldades. Mesmo assim, apesar dos altos ´┐Żndices de desemprego, conseguiu fazer algumas melhorias econ´┐Żmicas, entre as quais, uma plena mudan´┐Ża para uma economia de mercado e desde 2007, permanece a 32´┐Ż na´┐Ż´┐Żo mais economicamente livre no mundo. Suas rela´┐Ż´┐Żes com a Europa, o Oriente M´┐Żdio e a Comunidade dos Estados Independentes t´┐Żm permitido o aumento do com´┐Żrcio da Arm´┐Żnia. G´┐Żs, ´┐Żleo e outros suprimentos chegam por meio de duas rotas vitais: o Ir´┐Żo e a Ge´┐Żrgia, com os quais a Arm´┐Żnia mant´┐Żm rela´┐Ż´┐Żes cordiais.

Geografia


A Arm´┐Żnia se localiza em um terreno montanhoso e vulc´┐Żnico.
A Arm´┐Żnia ´┐Ż um pa´┐Żs sem costa mar´┐Żtima na Transcauc´┐Żsia. Localizado entre os mares C´┐Żspio e Negro, o pa´┐Żs faz fronteiras a norte com a Ge´┐Żrgia, a leste com o Azerbaij´┐Żo, ao sul com o Ir´┐Ż e ao oeste com a Turquia.

Desde os prim´┐Żrdios da humamidade, o povo arm´┐Żnio vive no planalto am´┐Żnio, um vasto territ´┐Żrio com mais de 300 mil km´┐Ż, localizado na parte central e norte da ´┐Żsia Menor. O planalto arm´┐Żnio ´┐Ż cercado, ao norte, pelo encadeamento do Baixo C´┐Żucaso e ao sul, pelo encadeamento do Tauro Arm´┐Żnio, enquanto declina-se ao oeste para o vale do rio Eufrates e ao leste para as terras baixas do mar C´┐Żspio. Um enorme maci´┐Żo vulc´┐Żnico est´┐Ż localizado quase no centro desta regi´┐Żo. Este maci´┐Żo possui dois picos: o Grande Ararate, chamado pelos arm´┐Żnios de Massis (com 5156 metros de altitude acima do n´┐Żvel do mar), e o Pequeno Ararate, identificado pelos arm´┐Żnios pelo nome de Sis (com altitude de 3914 metros acima do n´┐Żvel do mar). Existe ainda, um n´┐Żmero consider´┐Żvel de plan´┐Żcies e vales f´┐Żrteis dentro do planalto do pa´┐Żs, entre os quais, os mais conhecidos s´┐Żo os vales de Ararate, Much, Khaberd, Yerznka, Alachkert e Chirak, destacando a vida econ´┐Żmica do povo arm´┐Żnio. O vale de Ararate ´┐Ż o maior e mais f´┐Żrtil de todos estes, e transformou-se, com o passar dos tempos, no centro da vida econ´┐Żmica, pol´┐Żtica e cultural da Arm´┐Żnia. Diversas capitais da Arm´┐Żnia hist´┐Żrica, como Armavir, Yervandachat, Vagharchapat e Dvin estavam situadas nesta regi´┐Żo geogr´┐Żfica, assim como ocorre hoje com a atual capital, Erevan.

Relevo e hidrografia

O relevo arm´┐Żnio ´┐Ż homog´┐Żneo. Constitui-se em sua maior parte por planaltos, sendo que estes s´┐Żo abundantes com rios. Localizam-se a´┐Ż as nascentes dos rios Eufrates e Tigres, com seus afluentes, que se desembocam no Golfo P´┐Żrsico, bem como os rios Kura e Arax, que desembocam no Mar C´┐Żspio. O maior rio da Arm´┐Żnia ´┐Ż o Arax, sendo seus afluentes os rios Akhurian, Hrazdan, Kassakh, Azat e outros. Os maiores lagos do planalto arm´┐Żnio s´┐Żo o Van, Urmia e Sevan, sendo que atualmente, o lago Van est´┐Ż em sua grande parte, dentro do territ´┐Żrio da Turquia. Este lago possui uma extens´┐Żo de 3733 km´┐Ż e sua ´┐Żgua ´┐Ż salgada. O lago Urmia, que tamb´┐Żm est´┐Ż em sua maior parte em outro pa´┐Żs, no Ir´┐Ż, era denominado antes de Kaputan, tamb´┐Żm possui ´┐Żgua salgada e n´┐Żo possui esp´┐Żcies de peixes. Sua dimens´┐Żo ´┐Ż de 5800 km´┐Ż. O lago Sevan, antes chamado de Mar de Guegham, ´┐Ż um dos lagos mais altos do mundo, com aproximadamente 1400 km´┐Ż. Aproximadamente duas d´┐Żzias de pequenos rios desembocam no lago, e apenas alguns afluem dele. Sua ´┐Żgua ´┐Ż doce.

Topografia

Mosteiro de Khor Virap ´┐Ż sombra do Monte Ararate, onde a Arca de No´┐Ż supostamente encalhou ap´┐Żs o Dil´┐Żvio.
A Rep´┐Żblica da Arm´┐Żnia ocupa uma ´┐Żrea de 30 mil km´┐Ż, localizada no nordeste do Planalto Arm´┐Żnio (ocupando 400 mil km´┐Ż), outrora conhecida como Arm´┐Żnia Hist´┐Żrica e considerada a terra original dos arm´┐Żnios. O terreno ´┐Ż muito montanhoso, com r´┐Żpidas correntezas de rios e poucas florestas. O Clima continental est´┐Ż em todo o planalto, o que significa que os ver´┐Żes s´┐Żo quentes e os invernos s´┐Żo rigorosos na Arm´┐Żnia. O ponto alto ´┐Ż o Monte Aragats, localizado no Pequeno C´┐Żucaso (4095 metros), e n´┐Żo h´┐Ż ponto do pa´┐Żs que esteja abaixo dos 390 metros acima do n´┐Żvel do mar.

O Monte Ararate que historicamente pertence ´┐Ż Arm´┐Żnia ´┐Ż o ponto mais alto da regi´┐Żo. Atualmente ele se localiza na Turquia, mas da Arm´┐Żnia tem-se uma vista clara e total da montanha, que lembra aos arm´┐Żnios de seu maior s´┐Żmbolo. A montanha est´┐Ż presente no Bras´┐Żo de armas da Arm´┐Żnia e em v´┐Żrias manifesta´┐Ż´┐Żes culturais do povo.

Meio ambiente

A Arm´┐Żnia possui muitos problemas ambientais, os quais ela tenta resolver. Existe no pa´┐Żs um Minist´┐Żrio do Meio Ambiente que introduziu taxas para a polui´┐Ż´┐Żo do ar e da ´┐Żgua, e para o despejo exagerado de lixo, que s´┐Żo usadas para atividades de prote´┐Ż´┐Żo ambiental. A Arm´┐Żnia tem interesse em cooperar com outros membros da Comunidade dos Estados Independentes (CEI) e com a comunidade internacional nas quest´┐Żes ambientais. O governo arm´┐Żnio trabalhou para fechar a Usina Nuclear de Medzamor, pr´┐Żximo a Yerevan, procurando desenvolver formas alternativas de energia.

Clima

O clima na Arm´┐Żnia ´┐Ż marcadamente continental. Os ver´┐Żes s´┐Żo secos e ensolarados, indo de junho at´┐Ż meados de setembro. A temperatura varia entre 22´┐Ż e 36´┐Ż C. Entretanto, a baixa umidade atenua o efeito das altas temperaturas. Brisas ´┐Ż tarde proveniente das montanhas promovem um bem-vindo frescor. A primavera ´┐Ż curta e os outonos s´┐Żo longos. Os outonos s´┐Żo conhecidos pela vibra´┐Ż´┐Żo e cor das folhas das ´┐Żrvores. Os invernos s´┐Żo muito frios com bastante neve, com temperaturas que variam entre -10´┐Ż ´┐Ż -5 ´┐ŻC. Os esportes de invernos fazem sucesso essa ´┐Żpoca do ano, como a pr´┐Żtica de esqui nas colinas de Tsakhkadzor, localizadas a 30 minutos de Yerevan. O Lago Sevan est´┐Ż situado nas terras altas e ´┐Ż o segundo lago mais alto do mundo, a 1900 metros acima do n´┐Żvel do mar.

Pol´┐Żtica


A pol´┐Żtica da Armenia situa-se em um ambiente de democracia representativa de rep´┐Żblica presidencial. Conforme a Constitui´┐Ż´┐Żo da Arm´┐Żnia, o presidente ´┐Ż o l´┐Żder do governo e do sistema multipartid´┐Żrio pluriforme. O parlamento unicameral (tambem chamado de Azgayin Joghov ou Assembleia Nacional) ´┐Ż controlado por uma coaliz´┐Żo de tr´┐Żs partidos pol´┐Żticos: o conservador Partido Republicano, o Partido Arm´┐Żnia Pr´┐Żspera e a Federa´┐Ż´┐Żo Revolucionaria Arm´┐Żnia. Os principais partidos de oposicao incluem o partido do ex-presidente da Assembleia Nacional, Estado de Direito, e o partido do ex-primeiro-ministro Raffi Hovannisian, Heran├ža, ambos sao favor´┐Żveis a uma eventual ades´┐Żo arm´┐Żnia ´┐Ż Uni´┐Żo Europeia e ´┐Ż OTAN.

O governo arm´┐Żnio declaradamente objetiva construir uma democracia parlamentar ao estilo ocidental e as bases para sua forma de governo. Contudo, observadores internacionais do Conselho da Europa e do Departamento de Estado dos Estados Unidos da Am´┐Żrica t´┐Żm questionado a clareza das elei´┐Ż´┐Żes parlamentares e presidenciais da Arm´┐Żnia e o referendo constitucional desde 1995, citando diverg´┐Żncia nas pesquisas, a falta de coopera´┐Ż´┐Żo da Comiss´┐Żo Eleitoral e a escassa manuten´┐Ż´┐Żo das listas eleitorais e os locais pesquisados. A Freedom House qualificou a Arm´┐Żnia como "praticamente livre" em seu relat´┐Żrio de 2007, apesar de n´┐Żo classificar o pa´┐Żs como uma "democracia eleitoral", indicando uma relativa falta de liberdade e competitividade eleitoral. H´┐Ż o sufr´┐Żgio universal com idade superior a dezoito anos.

Rela´┐Ż´┐Żes exteriores



A Arm´┐Żnia atualmente mant´┐Żm boas rela´┐Ż´┐Żes com quase todos os pa´┐Żses do mundo, com duas importantes sendo seus vizinhos mais pr´┐Żximos, a Turquia e o Azerbaij´┐Żo. Tens´┐Żes foram elevadas entre arm´┐Żnios e azerbaijanos durante os ´┐Żltimos anos da Uni´┐Żo Sovi´┐Żtica. A Guerra de Nagorno-Karabakh dominou a pol´┐Żtica da regi´┐Żo por todo os anos de 1990.25 As fronteiras entre os dois pa´┐Żses rivais permanece fechada nos dias de hoje, a solu´┐Ż´┐Żo para o conflito n´┐Żo foi alcan´┐Żada apesar da media´┐Ż´┐Żo prestada por organiza´┐Ż´┐Żes como a OSCE. O ministro do exterior, Vardan Oskanyan, representa a Arm´┐Żnia nas negocia´┐Ż´┐Żes de paz.

A Turquia tamb´┐Żm possui uma longa historia de conturbadas rela´┐Ż´┐Żes com a Arm´┐Żnia por sua recusa em reconhecer o genoc´┐Żdio arm´┐Żnio de 1915. O conflito de Karabakh tornou-se uma desculpa para a Turquia fechar suas fronteiras com a Arm´┐Żnia em 1993. N´┐Żo tem revogado o bloqueio, apesar da press´┐Żo do poderoso lobby empresarial turco interessado nos mercados arm´┐Żnios.

Devido a sua posi´┐Ż´┐Żo hostil entre dois pa´┐Żses vizinhos, a Arm´┐Żnia tem aproximado la´┐Żos de seguran´┐Ża com a R´┐Żssia. A pedido do governo arm´┐Żnio a R´┐Żssia mant´┐Żm uma 102´┐Ż base militar russa no noroeste da cidade arm´┐Żnia de Gyumri como elemento de dissuas´┐Żo contra a Turquia.26 Apesar disto, a Arm´┐Żnia tamb´┐Żm tem olhado para as estruturas euro-atl´┐Żnticas nos ´┐Żltimos anos. Mant´┐Żm boas rela´┐Ż´┐Żes com os Estados Unidos especialmente por meio de sua di´┐Żspora. De acordo com o Censo americano de 2000, h´┐Ż 385.488 arm´┐Żnios vivendo naquele pa´┐Żs.

A Arm´┐Żnia ´┐Ż tamb´┐Żm membro da Parceria para Paz da OTAN, bem como, do Conselho da Europa, mantendo rela´┐Ż´┐Żes amig´┐Żveis com a Uni´┐Żo Europeia, especialmente com seus Estados-membros tais como a Fran´┐Ża e a Gr´┐Żcia. Uma pesquisa realizada em 2005 mostrou que 64% da popula´┐Ż´┐Żo arm´┐Żnia estaria a favor da ades´┐Żo ´┐Ż Uni´┐Żo Europeia. Muitos oficiais arm´┐Żnios tamb´┐Żm t´┐Żm expressado o desejo de seu pa´┐Żs eventualmente tornar-se um Estado-membro da UE, outros prev´┐Żem que ser´┐Ż feito uma candidatura oficial em poucos anos. Alguns tamb´┐Żm tem olhada a favor de uma ades´┐Żo ´┐Ż Otan. De qualquer modo o presidente, Robert Kotcharian, quer manter a Arm´┐Żnia atrelada ´┐Ż R´┐Żssia e ´┐Ż CEI e a OTSC, tornando parceiro, n´┐Żo membro, da UE e da OTAN.

For´┐Żas Armadas


Soldados arm´┐Żnios durante a comemora´┐Ż´┐Żo russa do Dia da Vit´┐Żria.
O Ex´┐Żrcito Arm´┐Żnio, For´┐Ża A´┐Żrea, Defesas A´┐Żreas e a Guarda de Fronteira s´┐Żo os quatro bra´┐Żos que formam as For´┐Żas Armadas da Rep´┐Żblica da Arm´┐Żnia. As For´┐Żas Armadas foram formadas ap´┐Żs o colapso da URSS em 1991 e com o estabelecimento do Minist´┐Żrio da Defesa em 1992. O comandante-em-chefe das For´┐Żas Armadas ´┐Ż o Presidente da Rep´┐Żblica Robert Kocharyan. O Minist´┐Żrio da Defesa ´┐Ż um cargo de lideran´┐Ża pol´┐Żtica, atualmente ocupado pelo Coronel-General Mikael Harutyunyan, enquanto os comandos militares restantes est´┐Żo nas m´┐Żos do Estado-Maior, liderado pelo Chefe do Estado, que atualmente ´┐Ż o Tenente-General Seyran Ohanian.

As for´┐Żas ativas t´┐Żm perto de 60 mil homens, com um adicional de reservas de 32 mil e "reservas dos reservas" estimados em 350 mil soldados. A Guarda de Fronteira arm´┐Żnia tem condi´┐Ż´┐Żo de patrulhar as divisas com a Ge´┐Żrgia e Azerbaij´┐Żo, enquanto tropas russas monitoram as fronteiras com a Turquia e Ir´┐Żo. Em caso de eventual ataque, a Arm´┐Żnia pode mobilizar todo homem capaz de manejar uma arma entre 15 e 59 anos, com treinamento militar.

O Tratado das For´┐Żas Armadas Convencionais da Europa (FACE) estabeleceu limites nas categorias-chaves de equipamentos militares, foi ratificado pelo Parlamento Arm´┐Żnio em julho de 1992. Em mar´┐Żo de 1993, a Arm´┐Żnia assinou a multilateral Conven´┐Ż´┐Żo de Armas Qu´┐Żmicas, que clamava pela eventual elimina´┐Ż´┐Żo das armas qu´┐Żmicas. A Arm´┐Żnia aderiu tamb´┐Żm ao Tratado de N´┐Żo-Prolifera´┐Ż´┐Żo de Armas Nucleares como um pa´┐Żs sem armas nucleares, em junho de 1993. O pa´┐Żs ´┐Ż membro da Organiza´┐Ż´┐Żo do Tratado de Seguran´┐Ża Coletiva, juntamente com Bielorr´┐Żssia, Cazaquist´┐Żo, Quirguist´┐Żo, R´┐Żssia, Tajiquist´┐Żo e Uzbequist´┐Żo. Participa do programas desenvolvidos pela OTAN "Parceria pela Paz" e Conselho da Parceira Euro-Atl´┐Żntico. A Arm´┐Żnia estava engajada em miss´┐Żes de paz no Kosovo como parte das tropas kosovares n´┐Żo-OTAN, sob o comando grego.32 E no Iraque, o pa´┐Żs possui 46 membros das For´┐Żas Armadas como parte da For´┐Ża de Coaliz´┐Żo.

A Arm´┐Żnia est´┐Ż organizada pol´┐Żtico-territorialmente em onze subdivis´┐Żes. Destas onze, dez s´┐Żo chamadas marzer (em arm´┐Żnio: Ň┤ŇíÍÇŇŽŇąÍÇ) ou no singular marz (Ň┤ŇíÍÇŇŽ), que ´┐Ż derivada da palavra persa marz, cujo significado ´┐Ż "fronteira", "limite". Yerevan ´┐Ż tratada separadamente e recebe status especial de hamaynq (Ň░ŇíŇ┤ŇíŇÁŇÂÍä) por ser a capital do pa´┐Żs. O l´┐Żder do executivo em cada uma das 10 marzes ´┐Ż o marzpet (Ň┤ŇíÍÇŇŽŇ║ŇąŇ┐) ou governador da marz, apontado pelo governo da Arm´┐Żnia. Em Yerevan, o l´┐Żder do executivo ´┐Ż o prefeito, apontado pelo presidente. A rep´┐Żblica possui 953 vilarejos, 48 cidades e 932 comunidades, das quais 871 s´┐Żo rurais e 61 urbanas.


S´┐Żmbolos nacionais


A bandeira nacional consiste de tr´┐Żs listas horizontais de cores vermelha, azul e laranja. Existem muitas interpreta´┐Ż´┐Żes do significado das cores, mas a mais aceite diz que o vermelho simboliza o sangue derramado pelos arm´┐Żnios em defesa do seu pa´┐Żs, o laranja simboliza o solo f´┐Żrtil da na´┐Ż´┐Żo e o azul simboliza o c´┐Żu.

O bras´┐Żo de armas ´┐Ż composto por uma ´┐Żguia e um le´┐Żo segurando um escudo. O Bras´┐Żo combina elementos simb´┐Żlicos antigos e modernos da cultura arm´┐Żnia. A ´┐Żguia e o le´┐Żo s´┐Żo antigos s´┐Żmbolos arm´┐Żnios que datam dos primeiros reinos que dominaram a regi´┐Żo, na era pr´┐Ż-crist´┐Ż.

"Mer Hayrenik" (no alfabeto arm´┐Żnio: ŇäŇąÍÇ Ň░ŇíŇÁÍÇŇąŇÂŇźÍä) ´┐Ż o hino nacional adoptado a 1 de Julho de 1991, adquiriu a mesma m´┐Żsica do antigo hino mas com uma letra diferente. Esta foi adaptada de um poema de Mikael Nalbandian (1829-1866) que mais tarde foi transformado em m´┐Żsica pelo compositor Barsegh Kanachyan (1885-1967). Seu t´┐Żtulo significada Nossa P´┐Żtria.

Economia


A economia da Arm´┐Żnia sobrevive de pesados aux´┐Żlios estrangeiros.35 Antes da independ´┐Żncia, a economia da Arm´┐Żnia era principalmente de ind´┐Żstrias de base como ind´┐Żstrias qu´┐Żmicas, eletr´┐Żnicas, maquinaria, alimentos, borracha sint´┐Żtica e t´┐Żxtil, totalmente dependente de fontes externas. A Agricultura contribu´┐Ża com cerca de 20% na produ´┐Ż´┐Żo final e com 10% dos empregos antes da queda da URSS em 1991. A rep´┐Żblica desenvolveu um moderno setor industrial, abastecendo com m´┐Żquinas, tecidos e outros produtos manufaturados para as suas "rep´┐Żblicas irm´┐Żs" em troca de mat´┐Żria-prima e energia.

As minas arm´┐Żnias produzem cobre, zinco, ouro e chumbo. A maior parte da energia ´┐Ż produzida com combust´┐Żvel importado da R´┐Żssia, incluindo g´┐Żs natural e combust´┐Żvel nuclear (para a ´┐Żnica usina nuclear); a fonte para a energia residencial ´┐Ż hidroel´┐Żtrica. Pequenas quantidades de carv´┐Żo, g´┐Żs natural e petr´┐Żleo do pa´┐Żs n´┐Żo suficientes para o desenvolvimento.

Como outras rec´┐Żm-independentes estados da ex-URSS, a economia da Arm´┐Żnia sofreu com o legado da economia planificada e com o colapso do padr´┐Żo de troca sovi´┐Żtico. Investimentos sovi´┐Żticos que apoiavam a ind´┐Żstria da Arm´┐Żnia virtualmente desapareceram, tanto que poucas das maiores empresas est´┐Żo ainda em atividade no pa´┐Żs. Al´┐Żm disso, os efeitos do terremoto de 1988 (Terremoto de Spitak ou Gyumri), que vitimou 25 mil pessoas e feriu mais de meio milh´┐Żo, ainda s´┐Żo sentidos. O conflito com o Azerbaij´┐Żo pelo territ´┐Żrio de Nagorno Karabakh ainda n´┐Żo est´┐Ż resolvido. As fronteiras fechadas com a Turquia e o Azerbaij´┐Żo tem devastado a economia do pa´┐Żs, pois a Arm´┐Żnia depende de outras formas de energia e de mat´┐Żrias-primas. Estradas atrav´┐Żs da Ge´┐Żrgia e Ir´┐Żo s´┐Żo inadequadas e insuficientes. O PIB cresceu cerca de 60% de 1989 at´┐Ż 1993. A moeda nacional corrente, o Dram, sofreu uma hiperinfla´┐Ż´┐Żo nos primeiros anos de sua introdu´┐Ż´┐Żo.


A economia da Arm´┐Żnia sobrevive de pesados aux´┐Żlios estrangeiros.35 Antes da independ´┐Żncia, a economia da Arm´┐Żnia era principalmente de ind´┐Żstrias de base como ind´┐Żstrias qu´┐Żmicas, eletr´┐Żnicas, maquinaria, alimentos, borracha sint´┐Żtica e t´┐Żxtil, totalmente dependente de fontes externas. A Agricultura contribu´┐Ża com cerca de 20% na produ´┐Ż´┐Żo final e com 10% dos empregos antes da queda da URSS em 1991. A rep´┐Żblica desenvolveu um moderno setor industrial, abastecendo com m´┐Żquinas, tecidos e outros produtos manufaturados para as suas "rep´┐Żblicas irm´┐Żs" em troca de mat´┐Żria-prima e energia.

As minas arm´┐Żnias produzem cobre, zinco, ouro e chumbo. A maior parte da energia ´┐Ż produzida com combust´┐Żvel importado da R´┐Żssia, incluindo g´┐Żs natural e combust´┐Żvel nuclear (para a ´┐Żnica usina nuclear); a fonte para a energia residencial ´┐Ż hidroel´┐Żtrica. Pequenas quantidades de carv´┐Żo, g´┐Żs natural e petr´┐Żleo do pa´┐Żs n´┐Żo suficientes para o desenvolvimento.

Como outras rec´┐Żm-independentes estados da ex-URSS, a economia da Arm´┐Żnia sofreu com o legado da economia planificada e com o colapso do padrao de troca sovi´┐Żtico. Investimentos sovi´┐Żticos que apoiavam a industria da Arm´┐Żnia virtualmente desapareceram, tanto que poucas das maiores empresas est´┐Żo ainda em atividade no pais. Alem disso, os efeitos do terremoto de 1988 (Terremoto de Spitak ou Gyumri), que vitimou 25 mil pessoas e feriu mais de meio milh´┐Żo, ainda s´┐Żo sentidos. O conflito com o Azerbaij´┐Żo pelo territorio de Nagorno Karabakh ainda nao estas resolvido. As fronteiras fechadas com a Turquia e o Azerbaij´┐Żo tem devastado a economia do pa´┐Żs, pois a Arm´┐Żnia depende de outras formas de energia e de materias-primas. Estradas atrav´┐Żs da Ge´┐Żrgia e Ir´┐Żo s´┐Żo inadequadas e insuficientes. O PIB cresceu cerca de 60% de 1989 at´┐Ż 1993. A moeda nacional corrente, o Dram, sofreu uma hiperinfla´┐Ż´┐Żo nos primeiros anos de sua introdu´┐Ż´┐Żo.


Todavia, o governo fez reformas econ´┐Żmicas abrangentes que diminu´┐Żram os dram´┐Żticos niveis de infla´┐Ż´┐Żo e estabilizou o crescimento. O cessar-fogo na Guerra de Nagorno-Karabakh em 1994 ajudou a recuperar a economia. A Arm´┐Żnia vem tendo um forte crescimento desde 1995, construindo uma reviravolta que come´┐Żou no ano anterior, fazendo a infla´┐Ż´┐Żo ficar em n´┐Żveis insignificantes nos ´┐Żltimos anos. Novos setores, como o de pedras preciosas e joalheria, tecnologia de informa´┐Ż´┐Żo, tecnologia de comunica´┐Ż´┐Żo e tamb´┐Żm o turismo est´┐Żo come´┐Żando a substituir os tradicionais setores econ´┐Żmicos do pa´┐Żs, como a agricultura.


Todavia, o governo fez reformas econ´┐Żmicas abrangentes que diminu´┐Żram os dram´┐Żticos n´┐Żveis de infla´┐Ż´┐Żo e estabilizou o crescimento. O cessar-fogo na Guerra de Nagorno-Karabakh em 1994 ajudou a recuperar a economia. A Arm´┐Żnia vem tendo um forte crescimento desde 1995, construindo uma reviravolta que come´┐Żou no ano anterior, fazendo a infla´┐Ż´┐Żo ficar em n´┐Żveis insignificantes nos ´┐Żltimos anos. Novos setores, como o de pedras preciosas e joalheria, tecnologia de informa´┐Ż´┐Żo, tecnologia de comunica´┐Ż´┐Żo e tamb´┐Żm o turismo est´┐Żo come´┐Żando a substituir os tradicionais setores econ´┐Żmicos do pa´┐Żs, como a agricultura.

Este est´┐Żvel progresso econ´┐Żmico foi ganho com um crescente investimento de institui´┐Ż´┐Żes internacionais na Arm´┐Żnia. O Fundo Monet´┐Żrio Internacional (FMI), Banco Mundial, Banco Europeu para Reconstru´┐Ż´┐Żo e Desenvolvimento e outras institui´┐Ż´┐Żes financeiras internacionais bem como outros pa´┐Żses fornecem consider´┐Żveis empr´┐Żstimos, que desde 1993, excederam 1,1 bilh´┐Żo de d´┐Żlares. Estes empr´┐Żstimos s´┐Żo direcionados para a redu´┐Ż´┐Żo do d´┐Żfict do or´┐Żamento, estabilizando a moeda; desenvolvendo neg´┐Żcios privados; energia; agricultura; comida processada; transporte p´┐Żblico, sa´┐Żde e educa´┐Ż´┐Żo; e a reconstru´┐Ż´┐Żo da ´┐Żrea atingida pelo terremoto. O governo aderiu a Organiza´┐Ż´┐Żo Mundial do Com´┐Żrcio em 5 de fevereiro de 2003. Mas uma de suas maiores fontes de investimentos ´┐Ż a di´┐Żspora arm´┐Żnia, que financia a maior parte da reconstru´┐Ż´┐Żo da infra-estrutura e outros projetos p´┐Żblicos. Sendo um Estado democr´┐Żtico, a Arm´┐Żnia tamb´┐Żm recebe ajuda do ocidente.

Uma lei liberal de investimentos estrangeiros foi aprovada em junho de 1994, e a Lei de Privatiza´┐Ż´┐Żes foi aprovada em 1997, bem como um programa de privatiza´┐Ż´┐Żo de propriedades estatais. A continua´┐Ż´┐Żo do progresso depende da habilidade do governo de fortalecer a ger´┐Żncia da macro economia, incluindo uma crescente coleta de rendimentos de governo, melhorando o clima dos investimentos e promovendo opera´┐Ż´┐Żes de combate ´┐Ż corrup´┐Ż´┐Żo. Entretanto, o desemprego se revela o maior problema do pa´┐Żs, principalmente devido ao grande fluxo de imigrantes vindo de Karabakh, refugiados do conflito, que encaram taxas de desemprego em torno de 15%.

Em 2007, a Transpar´┐Żncia Internacional publicou na Lista de percep´┐Ż´┐Żo de corrup´┐Ż´┐Żo a Arm´┐Żnia na posi´┐Ż´┐Żo de 99´┐Ż, em 179 pa´┐Żses avaliados. O pa´┐Żs foi classificado como o 80´┐Ż melhor IDH pelo Programa das Na´┐Ż´┐Żes Unidas para o Desenvolvimento, o mais alto das rep´┐Żblicas transcaucasianas. Em 2007, no ´┐Żndice de Liberdade Econ´┐Żmica, a Arm´┐Żnia foi classificada como o 32´┐Ż pa´┐Żs, com um ´┐Żndice pr´┐Żximo a pa´┐Żses como Portugal e It´┐Żlia.

Demografia

A Arm´┐Żnia possui uma popula´┐Ż´┐Żo estimada em 3.215.800 habitantes e ´┐Ż a segunda maior densidade populacional das ex-rep´┐Żblicas sovi´┐Żticas. Tem havido um problema de decl´┐Żnio populacional causado por altos ´┐Żndices de emigra´┐Ż´┐Żo ap´┐Żs a dissolu´┐Ż´┐Żo da URSS. As taxas de emigra´┐Ż´┐Żo e o decl´┐Żnio populacional, no entanto, diminu´┐Żram drasticamente nos ´┐Żltimos anos e um moderado afluxo de arm´┐Żnios regressa ´┐Ż Arm´┐Żnia, t´┐Żm sido as principais raz´┐Żes para a tend´┐Żncia, que estima-se continuar. ´┐Ż esperado que a Arm´┐Żnia retome seu crescimento populacional positivo em 2010.

Os arm´┐Żnios configuram 97,9% da popula´┐Ż´┐Żo, enquanto que os i´┐Żziges 1,3% e os russos 0,5%. h´┐Ż demais minorias que incluem ass´┐Żrios, ucranianos, gregos, curdos, georgianos e bielorrussos. Pequenas comunidades de valacos, volgaicos, ossetas, udinos e tatras, existem comunidades de polacos e alem´┐Żes caucasianos sobre uma pesada russifica´┐Ż´┐Żo. Durante os anos sovi´┐Żticos, os azerbaijanos compunham a segunda maior popula´┐Ż´┐Żo no pa´┐Żs (aproximadamente 2,5% em 198941 ). Por´┐Żm, devido ´┐Żs hostilidades com o vizinho Azerbaij´┐Żo sobre a disputada regi´┐Żo de Nagorno-Karabakh, praticamente toda popula´┐Ż´┐Żo azeri emigrou da Arm´┐Żnia. Por outro lado, a Arm´┐Żnia recebeu um grande afluxo de refugiados arm´┐Żnios do Azerbaij´┐Żo, dando assim um car´┐Żter mais homog´┐Żneo ´┐Ż Arm´┐Żnia.


Di´┐Żspora


A Arm´┐Żnia possui uma di´┐Żspora relativamente grande (8 milh´┐Żes segundo algumas estimativas, excedendo signitivamente a popula´┐Ż´┐Żo de 3 milh´┐Żes da pr´┐Żpria Arm´┐Żnia), com col´┐Żnias espalhadas pelo mundo todo. As maiores comunidades arm´┐Żnias fora da Arm´┐Żnia se encontram na R´┐Żssia, Fran´┐Ża, Ir´┐Ż, Estados Unidos, Brasil, Ge´┐Żrgia, S´┐Żria, L´┐Żbano, Argentina, Chile, Uruguay, Austr´┐Żlia, Canad´┐Ż, Chipre, Ucr´┐Żnia e Israel. De 40 a 70 mil arm´┐Żnios ainda vivem na Turquia (a maioria pr´┐Żximo a Istambul). Aproximadamente, mil arm´┐Żnios residem no bairro Arm´┐Żnio na cidade antiga de Jerusal´┐Żm em Israel, remanescentes do que fora uma vez uma grande comunidade. Na It´┐Żlia se encontra a San Lazzaro degli Armeni, uma ilha localizada na Lagoa de Veneza, que ´┐Ż completamente ocupada por um mosteiro dirigido pelos mekhitaristas, uma congrega´┐Ż´┐Żo cat´┐Żlica arm´┐Żnia. Al´┐Żm disso, por volta de 130 mil arm´┐Żnios vivem na regi´┐Żo de Nagorno-Karabakh onde comp´┐Żem a maioria da popula´┐Ż´┐Żo. No Brasil se concentram principalmente na cidade de Osasco, no estado de S´┐Żo Paulo.

Cultura


Os arm´┐Żnios tem seu pr´┐Żprio alfabeto e sua l´┐Żngua. O alfabeto foi inventado em 406 pelo S´┐Żo Mesrob Machtots, e consiste em 38 letras, duas delas adicionadas durante o per´┐Żodo ciliciano. 96% da popula´┐Ż´┐Żo fala o idioma arm´┐Żnio e cerca de 75,8% fala tamb´┐Żm o russo. Entrentanto, o ingl´┐Żs vem cada vez mais ganhando espa´┐Żo entre a popula´┐Ż´┐Żo.

Religi´┐Żo


A religi´┐Żo predominante na Arm´┐Żnia ´┐Ż o cristianismo, sendo esta cren´┐Ża partilhada por 98,7% da popula´┐Ż´┐Żo de acordo com o site. As origens da Igreja Arm´┐Żnia remontam ao s´┐Żculo I. De acordo com a tradi´┐Ż´┐Żo, a Igreja Arm´┐Żnia foi fundada por dois dos doze ap´┐Żstolos de Cristo, S´┐Żo Judas Tadeu e S´┐Żo Bartolomeu, que pregaram o cristianismo na Arm´┐Żnia entre os anos de 40 e 60 d.C. Por causa destes ap´┐Żstolos fundadores, o nome oficial da Igreja Arm´┐Żnia ´┐Ż Igreja Apost´┐Żlica Arm´┐Żnia. A Arm´┐Żnia foi a primeira na´┐Ż´┐Żo ´┐Ż adotar o cristianismo como religi´┐Żo oficial de Estado, em 301. Mais de 93% dos crist´┐Żos arm´┐Żnios pertencem ´┐Ż Igreja Apost´┐Żlica Arm´┐Żnia, uma forma de ortodoxia oriental (n´┐Żo-calced´┐Żnia), que ´┐Ż uma igreja muito ritual´┐Żstica e conservadora, muitas vezes comparada ´┐Żs igrejas copta e s´┐Żria. A Arm´┐Żnia possui tamb´┐Żm uma popula´┐Ż´┐Żo de cat´┐Żlicos, ambos romanos e arm´┐Żnios-mekhtaristas (juntos 180 mil), evang´┐Żlicos protestantes e seguidores da religi´┐Żo tradicional arm´┐Żnia. Os curdos i´┐Żziges, que vivem na parte ocidental do pa´┐Żs, praticam o iazdanismo. A Igreja Cat´┐Żlica Arm´┐Żnia e sediada em Bzummar, L´┐Żbano. Os curdos n´┐Żo-i´┐Żziges praticam o islamismo sunita. A comunidade judaica na Arm´┐Żnia diminuiu a 750 pessoas desde a independ´┐Żncia devido ´┐Żs dificuldades econ´┐Żmicas, onde a maioria dos emigrantes foram para Israel. Existem atualmente duas sinagogas na Arm´┐Żnia, uma na capital, Yerevan, e outra na cidade de Sevan localizada pr´┐Żxima ao Lago Sevan. Casamentos com crist´┐Żos arm´┐Żnios s´┐Żo frequentes. Ainda assim, apesar destas dificuldades, existe muito entusiasmo para ajudar a comunidade a satisfazer suas necessidades.

Os santos padroeiros da Arm´┐Żnia s´┐Żo o primeiro Catholicos de Todos os Arm´┐Żnios, S´┐Żo Greg´┐Żrio, o Iluminador, e o ap´┐Żstolo Bartolomeu.49

M´┐Żsica e arte


A Galeria Nacional de Arte de Yerevan possui mais de 16 mil obras que datam desde a Idade M´┐Żdia. O Museu de Arte Moderna, a Galeria de Imagens Infantis e o Museu Martiros Saryan re´┐Żnem not´┐Żveis acervos. Contudo, muitas cole´┐Ż´┐Żes particulares est´┐Żo em opera´┐Ż´┐Żo, abertas o ano todo. Elas promovem exposi´┐Ż´┐Żes rotativas e vendas de obras de arte.

A Orquestra Filarm´┐Żnica da Arm´┐Żnia se apresenta na recondicionada Casa de ´┐Żpera de Yerevan. Al´┐Żm disso, v´┐Żrias c´┐Żmaras est´┐Żo dispon´┐Żveis para o aprendizado da m´┐Żsica, como a Orquestra de C´┐Żmara Nacional da Arm´┐Żnia e a Orquestra Serenade. A m´┐Żsica cl´┐Żssica pode ser ouvida em v´┐Żrios pequenos locais, incluindo o Conservat´┐Żrio Estadual de M´┐Żsica de Yerevan e o Hall da Orquestra de C´┐Żmara. O jazz ´┐Ż popular, especialmente no Ver´┐Żo, quando performances ao vivo acontecem frequentemente nos caf´┐Żs e bares da cidade.

Em Yerevan um mercado de arte e artesanato fecha a Pra´┐Ża da Rep´┐Żblica com um alvoro´┐Żo de centenas de mercadores vendendo uma grande variedade de artesanatos aos finais de semana e ´┐Żs quartas-feiras, embora com o hor´┐Żrio reduzido ao meio-dia. O mercado oferece antig´┐Żidades, rendas finas e tapetes feitos ´┐Ż m´┐Żo que s´┐Żo a especialidade do C´┐Żucaso. A obsidiana ´┐Ż achada facilmente e ´┐Ż mat´┐Żria-prima para os artes´┐Żos do pa´┐Żs fazerem chaveiros, crucifixos, placas, objetos ornamentais, bijoterias, etc. A ourivesaria arm´┐Żnia ´┐Ż muito tradicional e ocupa uma esquina no mercado, com itens de ouro para serem negociados. Rel´┐Żquias sovi´┐Żticas e souvenirs manufaturados da R´┐Żssia - bonecas, rel´┐Żgios, caixas esmaltes tamb´┐Żm est´┐Żo dispon´┐Żveis no mercado.

Do outro lado da Opera House, um popular mercado de arte fecha o parque da cidade aos fins de semana. A longa hist´┐Żria arm´┐Żnia, como no tempo das Cruzadas no mundo antigo, resultaram em paisagens com muitos s´┐Żtios arqueol´┐Żgicos a serem explorados. S´┐Żtios da Idade M´┐Żdia, Idade do Ferro, Idade do Bronze e at´┐Ż a Idade da Pedra est´┐Żo h´┐Ż poucas horas do centro da cidade. Por´┐Żm, a mais espetacular experi´┐Żncia ´┐Ż poder visitar Igrejas e fortalezas como eram originalmente.


A Universidade Americana da Arm´┐Żnia possui gradua´┐Ż´┐Żo em Neg´┐Żcios, Direito e em outras ´┐Żreas. A institui´┐Ż´┐Żo existe gra´┐Żas aos esfor´┐Żos combinados do governo da Arm´┐Żnia, da Uni´┐Żo Geral Arm´┐Żnia de Benefic´┐Żncia (UGAB), da Ag´┐Żncia dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional e da Universidade da Calif´┐Żrnia. Os programas de extens´┐Żo e a biblioteca da universidade fazem dela um centro da l´┐Żngua inglesa no pa´┐Żs e um local de incentivo ´┐Ż vida intelectual na cidade.

Muitos nomes famosos da m´┐Żsica mundial s´┐Żo arm´┐Żnios ou descendentes, incluindo o famoso compositor cl´┐Żssico Aram Khachaturian, o baterista Aram Khachaturian, a famosa cantora americana Cher e o cantor franc´┐Żs Charles Aznavour. Todos os membros da banda americana de metal System of a Down s´┐Żo descendentes de arm´┐Żnios.

Hospitalidade e cerim´┐Żnia de casamento

A hospitalidade arm´┐Żnia ´┐Ż bem conhecida e tem origem nas antigas tradi´┐Ż´┐Żes do povo. Reuni´┐Żes sociais s´┐Żo sempre acompanhadas de suntuosos banquetes com muita comida tradicional. Os anfitri´┐Żes podem servir seus convidados com bastante comida e os pratos e copos nunca devem ficar vazios ou incompletos. Ap´┐Żs uma por´┐Ż´┐Żo de comida, ´┐Ż aceit´┐Żvel negar de forma educada e cort´┐Żs repetir, ou mais simplesmente deixe um pouco de comida no prato. Bebidas alco´┐Żlicas, como conhaque, vodka e vinho tinto, podem acompanhar a comida ou serem servidas nas reuni´┐Żes. ´┐Ż raro que se v´┐Ż a uma casa arm´┐Żnia e n´┐Żo ser convidado para um caf´┐Ż, massas, alguma comida ou mesmo ´┐Żgua.

A elaborada cerim´┐Żnia de casamento na Arm´┐Żnia ´┐Ż preparada desde quando o homem e a mulher s´┐Żo " "prometidos" um ao outro. O chefe da fam´┐Żlia (pai, av´┐Ż ou em alguns casos o tio) vai at´┐Ż a casa da mulher pedir permiss´┐Żo ao pai dela para seus filhos namorarem e com esperan´┐Ża de terem um futuro pr´┐Żspero. Se a permiss´┐Żo for concedida pelo pai da mulher, o homem d´┐Ż ent´┐Żo a ela um anel de compromisso para oficializar a rela´┐Ż´┐Żo. Para celebrar a uni´┐Żo das fam´┐Żlias, a fam´┐Żlia da mulher abre uma garrafa de conhaque. Ap´┐Żs a promessa, muitas fam´┐Żlias promovem uma grande festa de noivado. A fam´┐Żlia da noiva ´┐Ż quem planeja, organiza e paga pela festa. H´┐Ż apenas um pequeno envolvimento por parte da fam´┐Żlia do noivo. Na festa, um padre convoca a todos para rezarem, para que o casal se torne mais tarde marido e mulher e sejam aben´┐Żoados. Quando as palavras do padre s´┐Żo conclu´┐Żdas, o casal desliza por uma fita de casamento pela m´┐Żo esquerda (o anel ´┐Ż movido para a m´┐Żo direita em uma cerim´┐Żnia formal de casamento na Igreja Arm´┐Żnia). ´┐Ż o tempo habitual para escolher se o casal ir´┐Ż se casar ´┐Ż de um ano. Diferentemente de outras culturas, ´┐Ż o homem e sua fam´┐Żlia que pagam para casar. O processo de organiza´┐Ż´┐Żo e planejamento ´┐Ż usualmente feito pela noiva.

Culin´┐Żria

Kebab (ÍäŇąŇóŇíŇó) de frango arm´┐Żnio, esfiha (ŇČŇíŇ░Ň┤ŇíŇ╗ŇŞ lahmadjo), charuto de folha de uva (ŇęÍâŇŞŇż Ň┐ŇŞŇČŇ┤Ňí thpov tolma), arroz (ŇóÍÇŇźŇÂŇ▒ brindz) e baklava (ŇóŇíŇ»ŇČŇíŇżŇí).
Dada a geografia e a historia do pa´┐Żs, a culin´┐Żria arm´┐Żnia ´┐Ż uma representatividade da culin´┐Żria mediterr´┐Żnea e caucasiana, com fortes influ´┐Żncias da Europa Oriental e do Oriente M´┐Żdio com pequeno alcance dos B´┐Żlc´┐Żs. Os arm´┐Żnios t´┐Żm influenciado as tradi´┐Ż´┐Żes culin´┐Żrias de seus pa´┐Żses vizinhos ou cidades, como Alepo. A culin´┐Żria arm´┐Żnia caracteriza-se pelos recheios, pur´┐Żs e coberturas na prepara´┐Ż´┐Żo de um grande n´┐Żmero de carnes, peixes e legumes.

Desporto

Na Arm´┐Żnia jogam-se v´┐Żrios tipos de desportos, entre os que se destacam est´┐Żo a luta livre, o levantamento de peso, o jud´┐Ż, o futebol, o xadrez e o boxe.52 O relevo da Arm´┐Żnia ´┐Ż bastante montanhoso, o que facilita a pr´┐Żtica de desportos como esqui e o alpinismo sejam practicados massivamente. Uma vez que ´┐Ż um pa´┐Żs sem litoral, os desportos aqu´┐Żticos somente podem ser practicados em lagos, especialmente no lago Sevan. Competitivamente, a Arm´┐Żnia tem tido ´┐Żxito em halterofilia e luta livre.

A Arm´┐Żnia ´┐Ż tamb´┐Żm participante activo na comunidade desportiva internacional com a plena pertencida ´┐Ż Uni´┐Żo das Federa´┐Ż´┐Żes Europeias de Futebol e a Federa´┐Ż´┐Żo Internacional de H´┐Żquei no Gelo.

A Arm´┐Żnia, sem embargo ´┐Ż uma aut´┐Żntica pot´┐Żncia mundial em xadrez. Na Olimp´┐Żada de Xadrez de 2006, celebrada em Turim, a equipe masculina foi campe´┐Ż e a equipe feminina ficou em s´┐Żtimo lugar. Levon Aronian ´┐Ż o principal jogador de xadrez da Arm´┐Żnia.


Personalidades


A di´┐Żspora arm´┐Żnia teve como efeito o surgimento de personalidades de origem arm´┐Żnia por todo o mundo. Destacados nas artes, esportes ou pol´┐Żticas, v´┐Żrios pa´┐Żses ocidentais t´┐Żm em arm´┐Żnios seus ´┐Żdolos e her´┐Żis: na Fran´┐Ża, o cantor Charles Aznavour, aclamado como um dos maiores cantores do pa´┐Żs, e o ex-piloto de F´┐Żrmula 1, Alain Prost; nos Estados Unidos, a banda de metal System of a Down, formada por descendentes de arm´┐Żnios, a atriz e cantora Cher, filha de um caminhoneiro refugiado arm´┐Żnio, e o escritor de contos William Saroyan, famoso por suas hist´┐Żrias curtas e tocantes; no Brasil, os atores Stepan Nercessian e Aracy Balabanian. Nercessian, que atualmente ocupa o cargo de deputado federal, conseguiu da C´┐Żmara Municipal do Rio de Janeiro, quando era vereador desse munic´┐Żpio, o reconhecimento oficial ao genoc´┐Żdio arm´┐Żnio e aos seus 1,5 milh´┐Żo de mortos


Armenia - officially the Republic of Armenia Hayastani Hanrapetut´┐Żyun), is a mountainous country in the South Caucasus region of Eurasia. Located at the crossroads of Western Asia and Eastern Europe, it is bordered by Turkey to the west, Georgia to the north, the de facto independent Nagorno-Karabakh Republic and Azerbaijan to the east, and Iran and the Azerbaijani exclave of Nakhchivan to the south.

Armenia is a unitary, multi-party, democratic nation-state with an ancient cultural heritage. The Kingdom of Armenia was established in the 6th century BC, after the fall of Urartu; it became the first state in the world to adopt Christianity as its religion, in the early years of the 4th century (the traditional date is 301 AD). For this reason, Armenia is often called "the first Christian nation." An Armenian principality and later a kingdom, known as Cilician Armenia, existed on the coast of the Mediterranean Sea between the 11th and 14th centuries.

By the 19th century, the traditional Armenian homeland was divided between the Ottoman and Russian empires. During World War I, the Armenians living in their ancestral lands in the Ottoman Empire were systematically exterminated in the Armenian Genocide. After almost 600 years of statelessness, Armenia was able to become independent in 1918, however, the First Republic of Armenia was surrounded by hostile countries that forcibly ended its independence in 1920. Between 1920 and 1991, Armenia was part of the Soviet Union. The modern Republic of Armenia became independent in 1991.

The Republic of Armenia recognizes the Armenian Apostolic Church, the world's oldest national church, as the country's primary religious establishment. Armenians have their own unique alphabet invented by Mesrop Mashtots in 405 AD.

Armenia is a member of the Council of Europe and the Collective Security Treaty Organization. Armenia supports the de-facto independence of the Nagorno-Karabakh Republic which arose after a long and bitter war in the early 1990s.


Middle Ages


Etchmiadzin Cathedral ´┐Ż the oldest church in the world built by the state.
After the Marzpanate period (428´┐Ż636), Armenia emerged as the Emirate of Armenia, an autonomous principality within the Arabic Empire, reuniting Armenian lands previously taken by the Byzantine Empire as well. The principality was ruled by the Prince of Armenia, recognised by the Caliph and the Byzantine Emperor. It was part of the administrative division/emirate Arminiyya created by the Arabs, which also included parts of Georgia and Caucasian Albania, and had its center in the Armenian city Dvin. The Principality of Armenia lasted until 884, when it regained its independence from the weakened Arabic Empire.

The re-emergent Armenian kingdom was ruled by the Bagratuni dynasty, and lasted until 1045. In time, several areas of the Bagratid Armenia separated as independent kingdoms and principalities such as the Kingdom of Vaspurakan ruled by the House of Artsruni in the south, Kingdom of Syunik in the east, or Kingdom of Artsakh on the territory of modern Nagorno Karabakh, while still recognizing the supremacy of the Bagratid kings.


In 1045, the Byzantine Empire conquered Bagratid Armenia. Soon, the other Armenian states fell under Byzantine control as well. The Byzantine rule was short lived, as in 1071 Seljuk Turks defeated the Byzantines and conquered Armenia at the Battle of Manzikert, establishing the Seljuk Empire. To escape death or servitude at the hands of those who had assassinated his relative, Gagik II, King of Ani, an Armenian named Roupen went with some of his countrymen into the gorges of the Taurus Mountains and then into Tarsus of Cilicia. The Byzantine governor of the palace gave them shelter where the Armenian Kingdom of Cilicia was eventually established.

Cilicia was a strong ally of the European Crusaders, and saw itself as a bastion of Christendom in the East. Cilicia's significance in Armenian history and statehood is also attested by the transfer of the seat of the Catholicos of the Armenian Apostolic Church, spiritual leader of the Armenian people, to the region.

The Seljuk Empire soon started to collapse. In the early 12th century, Armenian princes of the Zakarid noble family drove out the Seljuk Turks and established a semi-independent Armenian principality in Northern and Eastern Armenia, known as Zakarid Armenia, which lasted under the patronage of the Georgian Kingdom. The noble family of Orbelians shared control with the Zakarids in various parts of the country, especially in Syunik and Vayots Dzor, while the Armenian family of Hasan-Jalalians controlled provinces of Artsakh and Utik as the Kingdom of Artsakh.





Early Modern era

Further information: Persian Armenia, Ottoman Armenia, Russian Armenia





Seizure of Yerevan fortress by Russian troops in 1827 during the Russo-Persian War (1826-1828) by Franz Roubaud.
During the 1230s, the Mongol Empire conquered the Zakaryan Principality, as well as the rest of Armenia. The Mongolian invasions were soon followed by those of other Central Asian tribes such as the (Kara Koyunlu, Timurid and Ak Koyunlu), which continued from the 13th century until the 15th century. After incessant invasions, each bringing destruction to the country, with time Armenia became weakened. In the 16th century, the Ottoman Empire and Safavid Persia divided Armenia. From 1604 Abbas I of Persia implemented a "scorched earth" policy in the region to protect his north-western frontier against any invading Ottoman forces, a policy which involved a forced resettlement of many Armenians outside of their homelands.[44] In 1813 and 1828, following the Russo-Persian War (1804-1813) and the Russo-Persian War (1826-1828) respectively, Persia was forced to irrevocably cede Eastern Armenia to Imperial Russia. (consisting of the Erivan and Karabakh khanates[45]). By now Eastern Armenia had, after centuries of Iranian rule, fallen in a Russian dominated era.

While Western Armenia still remained under Ottoman rule, the Armenians were granted considerable autonomy within their own enclaves and lived in relative harmony with other groups in the empire (including the ruling Turks). However, as Christians under a strict Muslim social system, Armenians faced pervasive discrimination. When they began pushing for more rights within the Ottoman Empire, Sultan ´┐ŻAbdu´┐Żl-Hamid II, in response, organized state-sponsored massacres against the Armenians between 1894 and 1896, resulting in an estimated death toll of 80,000 to 300,000 people. The Hamidian massacres, as they came to be known, gave Hamid international infamy as the "Red Sultan" or "Bloody Sultan."

During the 1890s, the Armenian Revolutionary Federation, commonly known as Dashnaktsutyun, became active within the Ottoman Empire with the aim of unifying the various small groups in the empire that were advocating for reform and defending Armenian villages from massacres that were widespread in some of the Armenian-populated areas of the empire. Dashnaktsutyun members also formed fedayi groups that defended Armenian civilians through armed resistance. The Dashnaks also worked for the wider goal of creating a "free, independent and unified" Armenia, although they sometimes set aside this goal in favor of a more realistic approach, such as advocating autonomy.

The Ottoman Empire began to collapse, and in 1908, the Young Turk Revolution overthrew the government of Sultan Hamid. Armenians living in the empire hoped that the Committee of Union and Progress would change their second-class status. Armenian reform package (1914) was presented as a solution by appointing an inspector general over Armenian issues.





When World War I broke out leading to confrontation between the Ottoman Empire and the Russian Empire in the Caucasus and Persian Campaigns, the new government in Istanbul began to look on the Armenians with distrust and suspicion. This was because the Imperial Russian Army contained a contingent of Armenian volunteers. On 24 April 1915, Armenian intellectuals were arrested by Ottoman authorities and, with the Tehcir Law (29 May 1915), eventually a large proportion of Armenians living in Anatolia perished in what has become known as the Armenian Genocide.

The genocide was implemented in two phases: the wholesale killing of the able-bodied male population through massacre and subjection of army conscripts to forced labour, followed by the deportation of women, children, the elderly and infirm on death marches leading to the Syrian desert. Driven forward by military escorts, the deportees were deprived of food and water and subjected to periodic robbery, rape, and massacre. There was local Armenian resistance in the region, developed against the activities of the Ottoman Empire. The events of 1915 to 1917 are regarded by Armenians and the vast majority of Western historians to have been state-sponsored mass killings, or genocide. Turkish authorities deny the genocide took place to this day. The Armenian Genocide is acknowledged to have been one of the first modern genocides. According to the research conducted by Arnold J. Toynbee, an estimated 600,000 Armenians died during deportation from 1915´┐Ż16). This figure, however, accounts for solely the first year of the Genocide and does not take into account those who died or were killed after the report was compiled on the 24th May 1916. The International Association of Genocide Scholars places the death toll at "more than a million". The total number of people killed has been most widely estimated at between 1 and 1.5 million.

Armenia and the Armenian diaspora have been campaigning for official recognition of the events as genocide for over 30 years. These events are traditionally commemorated yearly on 24 April, the Armenian Martyr Day, or the Day of the Armenian Genocide.

First Republic of Armenia


Referŕncia para busca:
Arm´┐Żnia arm´┐Żnio europa
Fotos de Arm´┐Żnia.

Indicar ao amigo(a) Pßgina anterior

Curta nossa pßgina
 
Publicidade





Recados - Frases - Receitas - Resumo de Novelas - Webix - Recados para Facebook - Dicionßrio Portuguŕs - Capas para Facebook

PolÝtica de Privacidade
ę2007 - 2016 .: Mix Planet :.