Países MixPlanet

Capas para Facebook


Países

Afeganistão
África do Sul
Albânia
Alemanha
Andorra
Angola
Antigua e Barbuda
Arábia Saudita
Argélia
Argentina
Armênia
Austrália
Áustria
Azerbaijão
Bahamas
Bangladesh
Barbados
Bélgica
Belize
Benin
Bielorrússia
Bolívia
Bósnia e Herzegovina
Botsuana
Brasil
Brunei
Bulgária
Burkina Fasso
Burundi
Butão
Cabo Verde
Camarões
Camboja
Canadá
Catar
Cazaquistão
Chade
Chile
China
Chipre
Cingapura
Colômbia
Comores
Congo
Coréia do Norte
Coréia do Sul
Costa do Marfim
Costa Rica
Croácia
Cuba
Dinamarca
Djibuti
Dominica
Egito
El Salvador
Emirados Árabes Unidos
Equador
Eritréia
Escócia
Eslováquia
Eslovênia
Espanha
Estados Unidos da América
Estônia
Etiópia
Federação Russa
Fiji
Filipinas
Finlândia
França
Gabão
Gâmbia
Gana
Geórgia
Granada
Grécia
Guatemala
Guiana
Guiana Francesa
Guiné
Guiné Equatorial
Guiné-Bissau
Haiti
Holanda
Honduras
Hungria
Iêmen
Ilhas Marshall
Ilhas Salomão
Índia
Indonésia
Irã
Iraque
Irlanda
Irlanda do Norte
Islândia
Israel
Itália
Jamaica
Japão
Jordânia
Kiribati
Kuweit
Laos
Lesoto
Letônia
Líbano
Libéria
Líbia
Liechtenstein
Lituânia
Luxemburgo
Macedônia
Madagáscar
Malásia
Malauí
Maldivas
Mali
Malta
Marrocos
Maurício
Mauritânia
México
Mianmar
Micronésia
Moçambique
Moldávia
Mônaco
Mongólia
Namíbia
Nauru
Nepal
Nicarágua
Níger
Nigéria
Noruega
Nova Zelândia
Omã
Palau
Panamá
Papua Nova Guiné
Paquistão
Paraguai
Peru
Polônia
Portugal
Quênia
Quirguistão
Reino Unido
República Centro-Africana
República Dominicana
República Tcheca
Romênia
Ruanda
Samoa
San Marino
Santa Lúcia
São Cristovão e Névis
São Tomé e Príncipe
São Vicente e Granadinas
Seicheles
Senegal
Serra Leoa
Sérvia e Montenegro
Síria
Somália
Sri Lanka
Suazilândia
Sudão
Suécia
Suíça
Suriname
Tadjiquistão
Tailândia
Taiwan (Formosa)
Tanzânia
Togo
Tonga
Trinidad e Tobago
Tunísia
Turcomenistão
Turquia
Tuvalú
Ucrânia
Uganda
Uruguai
Uzbequistão
Vanuatu
Vaticano
Venezuela
Vietnã
ZAIRE (República Democrática do Congo)
Zâmbia
Zimbábue


Dúvidas >?<
Fale Conosco

Parceiros
Webix
Recados
Frases
Receitas
Novelas
Recados para Facebook
Kuweit

Scraps para Orkut

Kuweit



DADOS PRINCIPAIS:
Nome oficial: Estado do Kuweit (Dawlat al-Kuwait).
Nacionalidade: kuweitiana.
Data nacional: 25 de fevereiro (Dia da Pátria).
Capital: Cidade do Kuweit.
Cidades principais: As-Salimiyah (130 215), Hawalli (82 238), Cidade do Kuweit (28 859) (1995).
Idioma: árabe (oficial).
Religião: islamismo 85% (sunitas 45%, xiitas 30%, outros islamitas 10%), outras 15% (maioria católica) (1995).

GEOGRAFIA:
Localização: sudoeste da Ásia.
Hora local: +6h.
Área: 17 818 km2.
Clima: árido subtropical.

POPULAÇÃO:
Total: 2 milhões (2000), sendo árabes kuweitianos 31,5%, outros árabes 48,5%, sul-asiáticos 9%, iranianos 4%, outros 7% (1996).
Densidade: 112,25 hab./km2.
População urbana: 97% (1998).
População rural: 3% (1998).
Crescimento demográfico: 3,1% ao ano (1995-2000).
Fecundidade: 2,89 filhos por mulher (1995-2000).
Expectativa de vida M/F: 74/78 anos (1995-2000).
Mortalidade infantil: 12 por mil nascimentos (1995-2000).
Analfabetismo: 17,7% (2000).
IDH (0-1): 0,836 (1998).

POLÍTICA:
Forma de governo: Monarquia islâmica (emirado).
Divisão administrativa: 5 governadorias.
Partidos políticos: não há.
Legislativo: unicameral - Assembléia Nacional, com 50 membros eleitos por voto direto para mandato de 4 anos.
Constituição em vigor: 1962.

ECONOMIA:
Moeda: dinar kuweitiano.
PIB: US$ 25,2 bilhões (1998).
PIB indústria: 54% (1998).
PIB serviços: 46% (1995).
Crescimento do PIB: 1% ao ano (1995).
Renda per capita: US$ 9 361 ou mais.
Força de trabalho: 1 milhão (1998).
Agricultura: melão, tomate, pepino, cebola.
Pecuária: bovinos, ovinos, caprinos, aves.
Pesca: 8 mil t (1997).
Mineração: petróleo, gás natural.
Indústria: refino de petróleo, fertilizantes, alimentícia, materiais de construção, metalúrgica (alumínio).
Exportações: US$ 8,5 bilhões (1998).
Importações: US$ 8,2 bilhões (1998).
Principais parceiros comerciais: EUA, Japão, Alemanha, Itália, Arábia Saudita, Reino Unido, França, Holanda (Países Baixos), Índia, Egito, Emirados Árabes Unidos.

DEFESA:
Efetivo total: 15,3 mil (1998).
Gastos: US$ 3,4 bilhões (1998).

RELAÇÕES EXTERIORES:
Organizações: Banco Mundial, FMI, OMC, ONU, Opep.
Embaixada: SHIS QI 5 Ch.30 - Tel. (61) 3248-2323, fax (61) 3248-0969 - Brasília, DF.





Kuaite (em árabe: دولة الكويت, Dawlat al-Kuwayt) é um emirado árabe soberano situado no nordeste da península Arábica na Ásia Ocidental. Faz fronteira com a Arábia Saudita ao sul e ao norte com o Iraque. Encontra-se na costa noroeste do Golfo Pérsico. O nome Kuwait é derivada do árabe "akwat", o plural de "Kout", que significa "fortaleza construída perto da água". O emirado tem uma área de 17.820 quilômetros quadrados e tem uma população de cerca de 2,7 milhões de habitantes.

Historicamente, a região era conhecida como Characene, um grande porto parta para o comércio entre a Índia e a Mesopotâmia. A tribo Bani Utbah foram os primeiros colonos árabes permanentes na região e estabeleceram as bases modernas do emirado. No século XIX, o Kuwait estava sob a influência do Império Otomano e depois da Primeira Guerra Mundial, ele emergiu como um xecado independente sob a proteção do Império Britânico. Grandes campos de petróleo no Kuwait foram descobertos na década de 1930.

Após Kuwait ter conquistado a independência do Reino Unido em 1961, a indústria de petróleo do país registou um crescimento econômico sem precedentes. Em 1990, o Kuwait foi invadido e anexado pelo vizinho Iraque. Os sete meses de ocupação iraquiana chegaram ao fim depois de uma intervenção militar direta por parte das forças liderada pelos Estados Unidos. Cerca de 773 poços de petróleo do Kuwait foram incendiados por parte do exército iraquiano, resultando em uma grande catástrofe ambiental e econômica para o país. A infraestrutura do Kuwait foi danificada durante a guerra e teve de ser reconstruída.

O Kuwait é uma monarquia constitucional com um sistema parlamentar de governo, com a Cidade do Kuwait servindo como capital política e econômica do país. O país tem a quinta maior reserva de petróleo do mundo19 e os derivados de petróleo representam agora cerca de 95% das receitas de exportação e 80% da renda do governo do país. Kuwait tem o décimo primeiro maior PIB per capita do planeta e tem o maior índice de desenvolvimento humano (IDH) do mundo árabe. O Kuwait é classificado como uma economia de alta renda pelo Banco Mundial e é designado como um grande aliado não membro da OTAN dos Estados Unidos.



No século IV a.C., os gregos antigos colonizaram uma ilha ao largo da costa do Kuwait, agora conhecida como Failaka e a batizaram de "Ikarus". Em 123 a.C., a região ficou sob a influência do Império Parta e estava intimamente associada com a cidade de Charax, no sul da Mesopotâmia.24 Em 224 d.C., a reão caiu sob o controle do Império Sassânida e veio a ser conhecida como Hajar. Por volta do século XIV, a área que compreende o moderno Kuwait se tornou parte do o califado islâmico.

Os primeiros colonos permanentes na região vieram da tribo Bani Khalid de Nejd e estabelecram o Estado do Kuwait. Em 1756, o povo elegeu Sabah l bin Jaber como o primeiro monarca do Kuwait. A atual família real do Kuwait, al-Sabah, são descendentes de Sabah I. Durante o governo de Al-Sabah, o Kuwait progressivamente se tornou um centro de comércio. Ele já serviu como um centro de comércio entre a Índia, o chifre da África, o Nejd, a Mesopotâmia e o Levante. Até o advento da ostreicultura japonesa de pérolas, o Kuwait tinha uma das frotas de mar na região do Golfo Pérsico e uma indústria florescente de pérolas. O comércio até então consistia principalmente em pérolas, madeira, especiarias, tâmaras e cavalos.

No final do século XIX, a maior parte da Península Arábica ficou sob a influência do Império Otomano. Os otomanos reconheceram a autonomia da dinastia al-Sabah, mas ainda reivindicou a soberania sobre o Kuwait.

Em 1899, o Kuwait entrou em um tratado com o Reino Unido, que deu o controle extensivo britânico sobre a política externa do Kuwait, em troca de proteção e subsídios anuais. Este tratado foi principalmente motivado pelo temor de que a proposta da Ferrovia Berlim-Bagdá levasse a uma expansão da influência alemã no Golfo Pérsico. Após a assinatura da Convenção Anglo-Otomana de 1913, Mubarak Al-Sabah foi reconhecido diplomaticamente por otomanos e britânicos como o dirigente da caza autônoma da cidade do Kuwait e do interior. No entanto, logo após o início da Primeira Guerra Mundial, os britânicos anularam o tratado e declararam Kuwait um principado independente, sob a proteção do Império Britânico. O Tratado de Uqair de 1922 estabeleceu a fronteira do Kuwait com a Arábia Saudita e também estabeleceu a zona neutra Kuwait-Arábia Saudita, uma área de cerca de 5180 km² na fronteira sul do Kuwait.

Em 19 de junho de 1961, o Kuwait se tornou totalmente independente, na sequência de uma troca de notas entre o Reino Unido. A rupia do Golfo, emitida pelo Banco Central da Índia, passou a ser o dinar kuwaitiano. A descoberta de grandes campos de petróleo, em especial nos campos de Burgan, provocou um grande afluxo de investimentos estrangeiros no Kuwait. O enorme crescimento da indústria do petróleo transformou o Kuwait de uma pobre comunidade produtora de pérolas em um dos países mais ricos da Península Arábica e, em 1952, o país se tornou o maior exportador de petróleo na região do Golfo Pérsico. Este enorme crescimento atraiu muitos trabalhadores estrangeiros, especialmente do Egipto e da Índia.

O Kuwait estabeleceu as disputas da sua fronteira com a Arábia Saudita e concordou em compartilhar igualmente as reservas de petróleo, tanto em terra, quanto em água, da zona neutra. Depois de um breve impasse sobre questões de fronteira, o Iraque reconheceu formalmente a independência do Kuwait e as suas fronteiras em outubro de 1963. Durante a década de 1970, o governo nacionalizou a Kuwait Oil Company, terminando sua parceria com a Gulf Oil e a British Petroleum.

Em 1982, o Kuwait sofreu uma grande crise econômica após a quebra da bolsa de valores de Souk Al-Manakh e a redução do preço do petróleo. No entanto, a crise teve curta duração, já que a produção de petróleo do Kuwait aumentou de forma constante para preencher o vazio causado pela diminuição da produção iraquiana e os níveis de produção de petróleo do Irã na sequência dos acontecimentos da Guerra Irã-Iraque. Em 1983, uma série de seis explosões ocorreu em Kuwait matando cinco pessoas. O ataque foi realizado pelo partido xiita Dawa, em parte para retaliar o apoio financeiro do Kuwait ao Iraque durante a guerra com o Irã.





Aeronaves da Força Aérea dos Estados Unidos sobrevoando os campos de petróleo do Kuwait incendiados pelas forças iraquianas durante a Guerra do Golfo em 1991.
O Kuwait tinha financiado fortemente os oito anos de duração da guerra do Iraque com o Irã. Após o fim da guerra, o Kuwait recusou um pedido iraquiano para perdoar uma dívida de US$ 65.000 milhões. A guerra econômica entre os dois países seguiu após o Kuwait aumentar sua produção de petróleo em 40%. As tensões entre os dois países aumentaram ainda mais após Iraque alegar que o Kuwait abusou de seus direitos de perfuração de petróleo no campo de Rumaila.

Em 2 de agosto de 1990, as forças iraquianas invadiram e anexaram o Kuwait. Saddam Hussein, então presidente do Iraque, depôs o então Emir do Kuwait, Jaber Al-Sabah, e instalou Ali Hassan al-Majid como o novo governador do Kuwait. Durante a ocupação do Iraque, cerca de 1.000 civis do Kuwait foram mortos e mais 300 mil moradores fugiram do país. Após uma série de negociações diplomáticas falharem, uma coalizão de trinta e quatro nações, liderada pelos Estados Unidos, combateu na Guerra do Golfo Pérsico para retirar as forças iraquianas do Kuwait. Em 26 de fevereiro de 1991, a coalizão conseguiu expulsar as forças iraquianas, restaurando o Emir do Kuwait ao poder. O Kuwait pagou US$ 17 milhões às forças da coalizão pelos seus esforços de guerra.

Durante a retirada da coalizão, as forças armadas iraquianas realizaram uma política de terra arrasada, prejudicando 737 poços de petróleo no Kuwait, dos quais aproximadamente 600 foram incendiados. Estima-se que até aquele momento cerca de 5 a 6 milhões de barris (950 mil m³) de petróleo foram queimados em um único dia por causa destes incêndios.

A acumulação de óleo e fuligem afetou toda a região do golfo Pérsico e lagos de petróleo de grande porte foram criados mantendo cerca de 25 a 50 milhões de barris (7,9 milhões m³) de petróleo,40 cobrindo 5% da área terrestre do Kuwait8 No total, cerca de 11 milhões de barris (1,7 milhões m³) de óleo foi lançado no Golfo Pérsico e um adicional de 2% dos 96.000 milhões Kuwait de barris (1,53 × 1010 m³) das reservas de petróleo foram queimadas até o incêndios serem colocados sob controle. Os incêndios levaram mais de nove meses para se extinguir completamente e levaram o Kuwait a gastar mais de dois anos e US$ 50 bilhões na reconstrução da infra-estrutura para atingir a produção de petróleo pré-invasão. O Kuwait, desde então, recuperou grande parte das consequências sócio-econômicas, ambientais e os efeitos sobre a saúde pública decorrentes das Guerra do Golfo Pérsico.


Referência para busca:
Kuweit ásia árabe
Fotos de Kuweit.

Indicar ao amigo(a) Página anterior

Curta nossa página
 
Publicidade





Recados - Frases - Receitas - Resumo de Novelas - Webix - Recados para Facebook - Dicionário Português - Capas para Facebook

Política de Privacidade
galheteiro
©2007 - 2016 .: Mix Planet :.